quarta-feira, 29 de julho de 2009

Por favor, rebobine


Não sei se já comentei alguma vez neste blog, mas não sou muito adepto de filmes comédia. Porém, ao ouvir algumas críticas positivas e por confiar no tato do ator Jack Black, resolvi arriscar e no último final de semana resolvi alugar o filme “Por favor, rebobine” (título original: Be kind, rewind) e confesso que mesmo com um pé atrás, não me arrependi. Vamos as impressões.

Dirigido por Michel Gondry (Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças) e estrelado por Jack Black, Mos Def, Mia Farrow e Danny Glover, o filme é , como dito anteriormente, uma comédia, com direito a muitos personagens caricatos. A história se passa em uma pequena cidadezinha em New Jersey, com direito a uma lenda de um famoso pianista de jazz tendo nascido lá e tudo mais. A premissa é um tanto quanto diferente: um cara (Jack Black) com fortes dores de cabeça acha que seu problema diz respeito a rede elétrica da cidade e planeja um ataque ao centro de distribuição para tentar diminui-la; após o ataque seu cérebro acaba sendo magnetizado e sem querer ele acaba apagando todas as fitas VHS da locadora na qual um amigo (Mos Def) trabalhava enquanto o dono estava fora (Danny Glover) tentando resolver as pendências antes que o prédio localizado num bairro antigo fosse demolido; neste interim a cliente mais antiga (Mia Farrow) da locadora resolve alugar um filme que ela nunca tinha visto (Ghost Busters) e para enganá-la e tentar esconder o acontecido a dupla de protagonistas resolve refilmar o clássico do cinema com alguns takes e figurantes da cidade e é claro que acabam sendo descobertos e a partir dai tudo começa a ficar muito engraçado pois as pessoas da cidade começam a gostar destas “versões” dos filmes famosos e diversas histórias acontecem a partir disto fazendo a dupla famosa pela vizinhança.

Porém, muito mais do que uma comédia, o filme se mostra uma celebração ao cinema e ao modo de se fazer e filmar os filmes no passado. Além disso, a contra posição das tecnologias (VHS x DVD), a suposta divisão da locadora em apenas duas sessões (comédia e ação) com a busca por filmes apenas por entretenimento escapista com a retirada dos filmes clássicos e documentários ilustram muito do que pensamos a cerca do que a indústria cinematográfica vem se tornando nos dias de hoje. A única ressalva acontece a meu ver com o final do filme, acaba sendo um pouco artificial e manjado, deixando o espectador com uma sensação de que algo faltou ao filme.

Altamente recomendado para quem, assim como eu, gosta de cinema e de filmes pouco convencionais e de idéias originais e que de vez em quando quer fugir dos block buster e da indústria cinematográfica moderna. Depois, voltem ao balaio e deixem seus comentários sobre o filme.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Vinho León de Tarapacá Carmenére - Safra 2007

A uva Carmenére é originária da França, mais precisamente da região do Médoc, e se acreditava que havia sido extinta pela filoxera. Porém, na década de 90 a casta foi redescoberta no Chile, onde estava escondida em meio a videiras de uvas Merlot. Desde então a uva tem gerado vinhos emblemáticos no Chile, onde a cepa tem encontrado facilidade em desenvolver-se devido ao clima e solo da região. E é uma vinho desta uva que irei descrever hoje.

O vinho em questão é da linha varietal da vinícola Tarapacá (Ex- Zavala) sendo este um vinho mais simples para o dia a dia. Cerca de 40% do vinho passa por barris de carvalho. Na taça o vinho apresentou uma cor de vermelho rubi intenso com notas violáceas. Ao agitar o vinho, percebe-se a formação de muitas lágrimas lentas e aromas de frutas vermelhas maduras e algo picante, lembrando pimenta vermelha além de baunilha ao fundo. Vinho de corpo médio com taninos presentes porém macios e redondos, tornando o vinho fácil de ser bebido inclusive com sua acidez e álcool balanceados (14o). Deixou um gosto até doce na boca ao final. Combinou bem com a costela assada com batata que foi feita pro almoço de domingo. Vinho jovem e pronto para beber. Paguei cerca de R$ 20,00 e valeu o custo benefício.

domingo, 26 de julho de 2009

Rodízio de Pizza: A perdição

Sábado normalmente é dia de comer pizza aqui em casa, mas aproveitando a oportunidade de comemorar o aniversário de minha mãe, resolvemos que seria o dia para sair e aproveitarmos a redonda em algum restaurante bacana. Foi ai que escolhemos o Charles Pizza Grill, que fica situado na Av. José Maria Whitaker 1785, aqui no bairro de Mirandópolis em São Paulo. O preço é muito bom pelo serviço e qualidade das pizzas, R$ 28,90 por pessoa.

O salão onde está alojada a pizzaria é bem grande e conta com dois andares amplos e com bom espaço entre as mesas, sendo a capacidade nominal da casa para 580 pessoas. Conta ainda com um bolsão de estacionamento para aproximadamente 500 carros e custa R$ 5,00. A casa possui diversos garçons e funcionários, o que torna a experiência agradável e sem a necessidade de se esperar muito para receber os pedaços de pizza e seus pedidos em geral.

A pizzaria funciona no sistema rodízio, servindo mais de 60 tipos de pizzas, entre doces e salgadas. Isso mesmo, você leu corretamente, são mais de 60 sabores diferentes de pizza. Além disso, ainda são servidos pastéizinhos, bolinhos de bacalhau, batatas fritas, mandioca e polenta fritas e ainda frango grelhado. Eu recomendo altamente as pizzas de picanha, de carne seca e a de shitake, que são minhas favoritas. Mas você pode experimentar ainda algumas curiosas, como por exemplo pizza de cachorro quente (salsicha, batata palha e molho de tomate). Já na área das pizzas doce, eu destaco a pizza de chocolate branco, preto e morangos ou a de chocolate branco com morangos, excepcionais. Para acompanhar as pizzas, temos chopp, cervejas, refrigerantes, sucos, água e toda sorte de bebidas que normalmente são servidos neste tipo de lugar. Como estava dirigindo, acabei me esquecendo de ao menos passar o olho sobre a carta de vinhos, portanto me abstenho de opinar sobre a mesma apesar de ter visto muitas pessoas tomando vinho, o que me leva a crer deva existir uma carta de vinhos básica ao menos.

Para os bons de garfo, assim como eu, vale a pena ao menos experimentar pois muitos dizem ser uma das melhores, se não a melhor, pizzaria sistema rodízio de sampa. E olha que sampa tem pizzarias saindo pelo ladrão. Bom apetite!!

terça-feira, 21 de julho de 2009

Imagens falam mais que mil palavras





Dolorosas despedidas

André Santos e Cristian choram na despedida do Corinthians


Tossiro Yamamoto, especial para a GE.Net - São Paulo (SP)


O lateral esquerdo André Santos e o volante Cristian se emocionaram bastante ao se despedirem do Corinthians, na manhã desta terça-feira. Os dois jogadores, que na última segunda acertaram transferência para o Fenerbahce, viajam para a Turquia ainda nesta tarde para realizar exames médicos e assinar um contrato de cinco anos com o novo clube.

Em uma rápida passagem pela sala de musculação, Cristian pediu autógrafos na camisa aos companheiros Ronaldo, Chicão e Elias e não se conteve ao abraçá-los. Na sequência, tanto ele como André Santos foram à sala de imprensa e, ao contrário das despedidas convencionais, não esconderam a emoção pela saída. Com lágrimas nos olhos, ambos prometeram um dia retornar ao Parque São Jorge.

Cristian chegou ao Corinthians no ano passado, depois de fazer um bom Campeonato Estadual pelo Flamengo mas não apresentar o mesmo futebol no Campeonato Brasileiro. Com a camisa alvinegra, o jogador conquistou os títulos da Série B, do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil.

Em 51 jogos pela equipe alvinegra, Cristian anotou oito gols, o último na semana passada, na vitória por 4 a 3 sobre o Sport, no Pacaembu. Aos 26 anos, ele tem passagens também por Paulista e Atlético-PR.

André Santos tem no Corinthians os mesmos três títulos que o colega. Com passagens por Flamengo, Atlético-MG e Figueirense, foi no Parque São Jorge que o lateral esquerdo despontou para o cenário nacional, sendo convocado pelo técnico Dunga para servir a seleção brasileira na conquista da Copa das Confederações. Em 98 jogos com a camisa alvinegra, anotou 25 gols.


Nota do balaio: Em tempos de futebol profissional e falta de amor a camisa, me emociona esta notícia pois ambos jogadores acreditaram no projeto Corínthians quando muitos rejeitaram o clube por estar na segunda divisão, sempre honraram a camisa do Corínthians e mais do que isso, recolocaram o clube no lugar de onde nunca deveria ter saido: o de vitórias e títulos.

Fico com o coração partido mas desejo acima de tudo muita sorte e felicidade aos dois atletas, pois eles trouxeram estes sentimentos ao Corínthians e a mim e portanto apesar da vontade de dizer que estes não deveriam sair, entendo o lado de ambos e sei que a vida de atleta profissional é muito curta e eles mais do que nunca merecem o pé de meia que irão fazer no futebol europeu, afinal dizem por ai que os salários de ambos no clube turco será cerca de 6 x maior.

Resta agora acreditar na diretoria do clube quando se fala em peças de reposição. Entendo que o meio campo possui algumas peças que podem render o suficiente para suprir ao menos momentaneamente a falta de Cristian (Edu ex – Valência, Jucilei ex – J Malucelli e Moradei ex- Bragantino) porém o trabalho deverá ser mais árduo para a ala esquerda pois com as recentes dispensas e negociações, o Corínthians não possui um jogador de ofício na posição. Entretanto ainda dou um voto de confiança para a atual presidência/diretoria tendo em vista o trabalho executado.

E que venham os próximos títulos!!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Padaria Dona Deôla

Este final de semana fui apresentado a mais uma dica gastronômica para quem mora em Sampa. É um estabelecimento que mescla num só lugar padaria, loja de conveniência, pizzaria e lanchonete. Estou falando sim da padaria Dona Deôla.

A história da padaria remete aos anos 40 quando uma imigrante portuguesa inaugurou uma padaria em perdizes para venda de suas deliciosas receitas portuguesas. E esta história durou por varios anos até que a Dona Deolinda vendeu a padaria e abriu outro negócio. Mas não demorou muito e os filhos e netos de Dna Deolinda resolveram homenagea-la e no mesmo local inauguram nos anos 90 a padaria Dona Deôla. A padaria inovou e mesclou conceitos de confeitaria, lanchonete e restaurante. Foi então que veio o sucesso.

De volta aos dias de hoje, a padaria possui 4 unidades (Alto da Lapa, Higienópolis, Granja Viana e Pompéia) todas funcionando no esquema 24 h. Pude então conferir um pouco das delícias que lá existem neste final de semana em companhia mais do que agradáveis de minha namorada e dois casais de amigos. Escolhemos então a unidade de Higienópolis, que seria a mais próxima para todos.

Dentre as diversas opções disponíveis na noite de sábado (pizzas, lanches, etc.) fomos para a opção que entendemos ser a mais diferente: um buffet noturno que incliua saladas, sopas, pães, tortas salgadas e doces além de diversas sobremesas. A preço único de R$ 20,90 e com início a partir das 18h, pode-se desfrutar de uma mesa bem servida de saladas, sopas (creme de cebola, sopa de feijão branco com linguiça, canja entre outras com direitos a incrementos de bacon e calabreza picados, queijo ralado, etc.), sanduiches de metro (pães tipo “baguete”recheados de queijos, salame, tomates secos, presunto, etc.), pães recheados diversos, torta de palmitos, salada de frutas, torta de brigadeiro e bolo de cenoura com cobertura de chocolate entre outros doces. As bebidas não estão inclusas, mas acabamos por incluir um belo vinho Carmen Cabernet Sauvignon, que era muito bom também.

Fica a dica então para os que assim como eu adoram uma comilança e a companhia dos amigos para aproveitarem a noite de sábado e colocar a conversa em dia e comer muito bem em um lugar despojado e sem mais frescuras.

Mais do mesmo

O futebol brasileiro seria triste, se não fosse cômico. A dança das cadeiras que existe no cargo de técnico de futebol nos chamados times grandes da maioria dos estados brasileiros beira o ridículo. Time A dirigido por fulano perde 3 jogos seguidos e manda fulano embora. Cicrano já vinha mal das pernas no time B e eis que a mágica é feita: Cicrano vai pro time A e fulano assume o time B. Eu me pergunto: se fulano não servia para o time A, pq serviria para o time B? E vice versa.

Conjecturas a parte, tivemos mais um episódio da série mais do que mesmo , desta vez no futebol paulista: Vanderlei Luxemburgo, que havia sido demitido a pouco mais de 3 semanas do comando do Palmeiras, assina nesta segunda feira com o Santos que a pouco mais de 2 semanas demitiu o então treinador Vagner Mancini.

Será então a quarta passagem de Vanderlei pelo time da Vila Belmiro, que neste final de semana sofreu mais uma derrota na campeonato, e vem enfrentando uma crise e grandes pressões sobre o elenco e diretoria. O treinador possui uma certa identificação com o clube praieiro uma vez que, em suas passagens anteriores colecionou alguns títulos: Rio-São Paulo de 1997, Campeonato Brasileiro de 2004 e o bicampeonato paulista de 2006 e 2007.

No entanto, o treinador colecionou desafetos e crises nos últimos clubes que passou (vide o próprio Santos e o Palmeiras, por exemplo). Acusado em grande parte por se preocupar com assuntos extra campo, o técnico vê no Santos a possibilidade de redenção: o time vai mal da pernas, inevitavelmente passará por uma reformulação no elenco e, segundo dizem por ai, o treinador trará também ao clube praieiro uma parceria para a obtenção de reforços. Ou seja, não existe maneira de piorar a situação pré existente e Vanderlei pode ser coroado caso faça o time jogar um pouco de futebol e subir na tabela, nada muito difícil, convenhamos.

Realmente muito me espanta a aposta em um técnico que, apesar de entender muito bem do riscado, não tem obitido resultados convincentes e expressivos no futebol nos últimos anos, e mais, tem deixado os times por onde passa normalmente terra de ninguém. Além disso, é um ténico caro e que quer, além de mandar no time dentro das 4 linhas, poder para fazer e desfazer no time como uma espécie de manager, se envolvendo em negociacões e tudo mais. Entendo que a fase de Vanderlei ja passou e que a aposta da diretoria em não tirar alguns laranjas podres de seu elenco (sim, estou falando de Fábio Costa) pode custar caro no final, mas como diriam os pensadores do mundo esportivo: O futebol é uma caixinha de supresas.

Pata Negra Gran Reserva

Hoje o vinho a ser descrito é um espanhol, o Pata Negra Gran Reserva, Safra 2001. É um vinho feito a base de uvas Tempranillo, emblemáticas da Espanha no geral. Feito pela Bodega Los Llanos tem como região de origem Valdepenas, na Espanha. O vinho foi adiquirido na loja Rei os Whiskys e Vinhos em Sampa a R$ 39,90, preço o qual achei justo pela qualidade do vinho. Vamos as impressões:

O vinho é envelhecido em carvalhos e passa também por um período de envelhecimento na garrafa sendo que o produtor recomenda o consumo em qté 10 anos após a data da safra. O vinho se mostrou equilibrado e muito agradável, apresentando um vermelho rubi na taça. Os primeiros aromas que senti foram amadeirados, um pouco de baunilha e algo de frutado por demais agradável. Apresentou média complexidade e muito limpido. Deixou na boca uma lembrança de frutas vermelhas e um certo adocicado sentido bem ao final. Taninos persistentes porém em harmonia com os outros aspectos do vinho. Sem muita acidez sentida e com grau alcóolico moderado equilibrado (12,5%). Final persistente, mesclando bem fruta e madeira, com clara lembrança de tabaco. Acompanhou precisamente um pernil de cordeiro ao molho de limão e ervas.

Recomendo!!!

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Libertadores: futebol brasileiro o melhor do mundo?

Nas últimas 10 decisões da Copa Libertadores da América, em 8 tivemos times brasileiros disputando o título e apenas por duas vezes um time brasileiro se sagrou campeão. Verdade que nestas duas oportunidades, a final foi time brasileiro contra time brasileiro ( em 2005 o São Paulo venceu do Atlético Paranaense e em 2006 o Inter venceu em cima do São Paulo). Nas outras oportunidades sempre o time de fora venceu, e na maioria das vezes no Brasil. Pior ainda se a estatística for contra a Argentina, com o Boca Júniors derrotando o Grêmio, Santos e Palmeiras e o Estudiantes, no jogo de ontem, derrotando o Cruzeiro. Diante disso me pergunto, por que ainda achamos que o futebol brasileiro é o melhor do mundo se nossos clubes, os melhores dentro do país cada qual em sua época, não conseguem superar os rivais latinos?

É indiscutível que os times latino americanos, com ampla vantagem para os argentinos, demonstram uma garra insuperável dentro de campo, correndo os 90 minutos de partida sem demonstrar-se cansados ou desanimados, mesmo atrás do placar em algumas oportunidades. Entendo ainda que intimamente ligado a este fator está a tarimba dos argentinos principalmente neste tipo de competição, pois eles sabem como provocar e desgastar o adversário emocionalmente de uma forma que o mesmo se desestabilize na partida e perca o rumo de vez, gerando expulsões e confusões dentro de campo. Não vejo maldade, simplesmente malícia de jogar o jogo como ele deve ser.

Evidentemente um outro fator que pesa é o fato de que a América Latina (com grande destaque para Brasil, Argentina e Uruguai) é um grande celeiro de grandes jogadores para o mundo, e aliado a todo o diferencial emocional que os times argentinos tem, por exemplo, une-se então uma técnica muito apurada de diversos grandes jogadores, como foi o caso por exemplo do jogador Veron na partida de ontem, um verdadeiro “maestro” de seu time, que sabe muito bem dosar e acelerar o ataque de seu time quando necessário.

Outro destaque, este sem sombra de dúvida vencido de longe pelos argentinos, é a forma como a entusiasmada torcida portenha empurra o time os noventa minutos em todo jogo, seja dentro ou fora de casa, estando em maioria ou minoria. Ontem, desde muito cedo já se faziam ouvir os poucos mais de 3 mil torcedores do Estudiantes no mineirão sob uma imensa maioria celeste. Digno de nota 10 para nossos hermanos.

Muitos são os argumentos, muitos irão concordar comigo, muitos não, mas a verdade esta ai, em números, goste quem gostar. E nada melhor do que um bom vinho tinto, Malbec de preferência, um bom assado e um Tango pra comemorar!!!

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Termina greve nas obras que visam a Copa de 2010 na África do Sul

Da EFE Em Johanesburgo (África do Sul)

Por: UOL Esporte - Últimas Notícias



Os operários sul-africanos chegaram nesta quarta-feira a um acordo sobre melhorias salariais com a entidade patronal do setor de construção civil do país, a Safcec, e suspenderão a greve que interrompeu por uma semana os trabalhos nos estádios que serão usados na Copa do Mundo de 2010.

O anúncio foi feito em Johanesburgo pelo Sindicato Nacional de Mineradores (NUM, em inglês) e pelo Sindicato de Trabalhadores da Construção e Aliados (BCAWU, em inglês) após uma rodada final de negociações com a Safcec iniciada ontem e concluída nesta manhã.

O acordo que põe fim à greve entrará em vigor às 12h locais (7h de Brasília) e prevê que os operários retornem ao trabalho na quinta-feira, diz um comunicado emitido pelos sindicatos.

O documento não indica a percentagem final do aumento salarial acordado entre as partes, embora fontes próximas às negociações tenham informado que o incremento será de 12%.

Os sindicatos NUM e BCAWU exigiam inicialmente 13%. A Safcec ofereceu 10,4% e depois 11,5% após o começo da greve.

A greve começou na quarta-feira da semana passada e não afetou apenas os trabalhos nos estádios da Copa do Mundo. Grandes obras de infraestrutura, principalmente as relacionadas a transportes, também foram interropidas.

A Copa de 2010 criou mais de 400 mil postos de trabalho na África do Sul, segundo números do comitê organizador local, o que reduziu consideravelmente a taxa de desemprego sul-africana, que atualmente supera passa dos 23%.

Dos dez estádios situados em nove cidades sul-africanas que serão utilizados na competição, cinco já começaram a receber eventos esportivos. Os demais deverão ser entregues em dezembro.

Nota do balaio: Espero que os entraves para a realização de uma grande copa do mundo sejam resolvidos na África, e mais do que isso, que estes tipos de lições sejam aprendidas pelas autoridades e governo brasileiro (acreditam em papai noel?!) para que não passemos por vexame nenhum quando formos nos preparar para a nossa copa. Aliás, não estaríamos atrasados em nossos cronogramas, uma vez que temos menos de 5 anos até lá? O que vocês acham? Mande seus comentários.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Vinho Góes Tempos


Hoje vou tentar falar sobre um assunto que me desperta muito interesse e do qual tenho lido e tentando estudar muito sobre: como degustar vinhos, e o mais importante, como conseguir passar com clareza minhas sensações a cerca de vinhos que eu por ventura venha a degustar. Para o início desta agradável brincadeira, resolvi escolher o vinho Góes Tempos por dois motivos principais: por ser um vinho simples e de fácil degustação e pela motivação sentimental do mesmo ser feito na cidade onde minha namorada morava e a qual tenho grande carinho por estar sempre viajando para lá e visitando a vinicola.

Sei que muitos já experimentados e rodados no mundo do vinho irão torcer o nariz para o vinho escolhido, dizendo que o mesmo não deveria nem ser comprado, que é fraco, pobre e muito blá blá blá, mas dei minhas razões acima e pronto, isso que importa pra mim.

Vamos então às impressões sobre o vinho: o vinho é feito com um blend de safras de uvas Cabernet Sauvignon plantadas aqui mesmo no estado de São Paulo e tem como característica ser um vinho simples, para ser bebido no dia a dia a um preço justo (na média tem preço em torno dos R$ 12,00). De coloração violácea puxando para um vermelho rubi bem brilhante, límpido e sem corpo em suspensão/depositado ao fundo da garrafa o vinho possui um corpo bem leve porém com taninos bem aparentes, nada deselegantes entretanto e até macios eu diria. De baixa graduação alcoólica (em torno dos 11,5%) o álcool me pareceu bem harmônico com o propósito do vinho e não ressalta na boca. De primeira, ao aproximar o nariz da taça é possível sentir aromas de frutas vermelhas e algo adocicado que não consegui decifrar o que é. Pode ser que a vinícola tenha se utilizado do expediente de introduzir chips de madeira na produção do vinho para que o mesmo incorpore um pouco de essência de baunilha/chocolate no produto final. Ao final, deixa um sabor adocicado agradável na boca que persiste por um bom período.

Vinho honesto e que pode ser degustado por conta, ou acompanhando pratos como alguns tipos de massas e carnes vermelhas, além de queijos médios e, apesar da heresia, caiu muito bem com um belo prato de feijoada. Recomendo para os não iniciados no mundo do vinho e queiram começar a conhecer e distinguir os vinhos entre si. O site da vinícola é www.vinicolagoes.com.br, e possui informações detalhadas dos demais produtos da mesma além do endereço e notícias do mundo enogastronômico.

Saúde!!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Dom Castilho

Venho agora com mais uma dica gastronômica de São José dos Campos, que como muitos já sabem, tem sido minha moradia durante os dias da semana. A cidade tem diversos bons restaurantes, e o Dom Castilho se destaca pelo mix bar/restaurante e pelo excelente ambiente que proporciona ainda ao cliente a vista muito legal pro banhado aqui de São José.

De cara, o cliente tem opção de escolher se quer ficar no salão interno, nas varandas ou mesmo em um salão interno aberto com cobertura retrátil para os dias de muito calor. Estas opções mais do que tornam agradáveis os momentos de nossa estadia no local.

O próximo passo é o menu, onde definitivamente o Dom Castilho ganha muitos adeptos. Além dos petiscos comumente encontrados em outros bares, com destaque para a porção de pastéis diversos e as tábuas de filet mignon, temos as carnes e grelhados, duas opções de peixe (badejo e salmão), acompanhados por guarnições (cinco opções) e molhos especiais a escolha do cliente. A carta de vinhos é bem elaborada , o coquetel da casa é o Dom Castilho (vodka, curaçau red, suco de abacaxi e energético) e além disso existe também o Clube do Whisky, onde o cliente se torna “proprietário” da garrafa, mas o destaque vai para o chopp Bhrama geladíssimo e tirado com primor.

Existe uma programação musical para a área externa incluindo ainda no meio, às quartas feiras, exibição de jogos de futebol dos principais campeonatos em disputa. Neste dia inclusive existe uma promoção para caipirinhas e chopp claro, onde o cliente consome dois pelo preço de um, o que deixa o futebol ainda melhor.

O preço não é de todo ruim, mas pelo requinte e sofisticação do lugar, não fica muito caro principalmente quando se utilizando da promoção 2x1. Existe ainda serviço de valet para estacionamento dos automóvies, mas é fácil encontrar um local na rua em frente ao local. O Dom Castilho fica situado na Avenida Anchieta, 313 - Jardim Esplanada e é de fácil acesso.

Fica a dica para aqueles que nunca experimentaram, e também para aqueles que já experimentaram, ficando aberto o canal de comentários do balaio para trocarmos experiências sobre o local. Bom apetite e boa diversão.

Dia Mundial do Rock!!

Para todo apreciador de um bom e velho rock n’roll hoje pode ser uma data muito especial. Por que? Por que hoje comemoramos o dia mundial do rock. Isto mesmo, 13 de julho é o dia do rock.

Desde 1985 esta data é celebrada, quando na ocasião ocorreu o famoso festival Live Aid, festival pelo fim da fome na Etiópia, e a partir dai esta data se firmou como o dia mundial deste estilo musical. O Live Aid foi um festival que aconteceu simultaneamente na Filadélfia (EUA) e em Londres (Inglaterra) e trouxe nomes como Black Sabbath (com Ozzy), Status Quo, INXS, Loudness, Mick Jagger, David Bowie, Dire Straits, Queen, Judas Priest, Bob Dylan, Duran Duran, Santana, The Who e Phil Collins entre muitos outros. O Live Aid arrecadou mais de 60 milhões de dólares que foram doados em prol dos famintos na África. Curiosamente, não foi feito nenhum vídeo, CD, DVD sobre o festival até hoje, muito possivelmente pela grande quantidade de bandas e cantores(as) envolvidos no projeto.

Apesar do gênero ser considerado anárquico e de ser ouvido por “rebeldes”, é muito difícil definir o que é rock n’roll. O ritimo acelerado, o som distorcido de guitarras, o peso da batida da bateria e os vocais muitas vezes guturais são comumente associados ao rock porém desde a criação do gênero, diversas vertentes foram criadas até hoje e não é a toa que no mesmo barco encontramo Black Sabbath e Duran Duran, por exemplo.

Apesar disso, com o festival Live Aid e diversos outros, principalmente na década de 80, o rock se mostrou um gênero musical social e politicamente consciente, encabeçando diversas campanhas em prol de se levantar fundos por diversas causas atuais, como fomes e guerras, além de passar muitas mensagens em suas letras através dos tempos.

Enfim, celebremos a data com muita música, alegria e aceitação as diferenças. Um salve ao dia do rock!!!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Hoje é dia da redonda!


A pizza é um dos pratos favoritos para reunir os amigos em casa, em restaurantes ou mesmo para comer rapidinho em frente à TV. Não à toa, ganhou um dia só dela, celebrado nesta sexta-feira, dia 10 de julho.

O Dia da Pizza foi instituído pela Secretaria do Turismo do Estado de São Paulo, em 1985, por ocasião de um concurso de pizzas realizado na capital paulista. Na época, 100 pizzarias da cidade aderiram ao projeto, com descontos promocionais. Hoje em dia, no entanto, dos quase 6 mil restaurantes que fazem pizza na cidade, poucos são os grandes nomes que promovem alguma comemoração especial nessa data. "As pizzarias enchem de qualquer jeito", justifica o assessor de uma famosa rede paulistana.

Entre as casas que oferecem programação especial estão 1900, que terá todas as pizzas com 50% de desconto, a Piola, que dará discos de massa pré-assada e três receitas exclusivas, a Monte Verde, que trará preço promocionais, Pizza Hut, que presenteará os clientes nos restaurantes com miniaturas de azeite e desconto de 50% para o delivery, e a Sala Vip, que lançará o novo sabor 10 de julho, com queijo especial, tomate italiano, manjericão e azeite (clique nos nomes das pizzarias para ver endereços, telefones e preços).

Para completar as comemorações, na sexta, a Associação das Pizzarias Unidas do Estado de São Paulo, promete fazer a maior pizza do Brasil ao ar livre, na rua Catarina Braida, no bairro da Mooca, durante o Sampa Pizza.

Como este é meu prato favorito, preciso embarcar na onda!!! Bom apetite a todos!

Fonte: UOL Estilo

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Nasce mais um fenômeno

Neste domingo tivemos um dia histórico para o tênis: Roger Federer ganhou o torneio de Wimbledon e quebrou o recorde de títulos em Grand Slams, seu décimo quinto título contra os 14 de Pete Sampras. E de lambuja ainda retomou o primeiro lugar do ranking mundial do tênis do então machucado Rafael Nadal. E isto com apenas 27 anos de idade. Indiscutívelmente um fenômeno.

Numa final equilibradíssima contra o americano Andy Roddick, que mostrou uma garra e um jogo extremamente efetivo durante a partida, o suíço fez 3 x 2 em mais de quatro horas de jogo de tênis, vencido por 16/14 no quinto e decisivo set. Federer se mostra recuperado de uma temporada um tanto quanto frustrante em 2008 onde, desde 2003, deixou de ganhar o torneio londrino.

O tenista entra assim também para a história do esporte, e dificilmente será alcançado por algum tenista de sua geração. O único quesito que mantém Federer atrás de Pete Sampras é o número de semanas em primeiro lugar no ranking mundial. Com a retomada do primeiro lugar, não podemos duvidar de sua capacidade para manutenção de tal posição no ranking e quem sabe, bater mais um recorde.

Parabéns Roger Federer, você merece!!!

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Pirotecnia ganha jogo?!

Em menos de uma semana assistimos às apresentações de dois jogadores ao time do Real Madrid dignas de filmes de Holywood. Estádio Santiago Bernabeu lotado (50 mil e 85 mil pessoas nas respectivas apresentações), muita pompa, festa e simpatia. Os jogadores? Kaká, brasileiro eleito o melhor jogador do mundo pela FIFA em 2007 e Cristiano Ronaldo, português eleito o melhor jogador do mundo pela FIFA em 2008. Os valores das negociações? Kaká saiu pela bagatela de aproximadamente € 60 milhões e Cristiano Ronaldo, o jogador mais caro da história do futebol custou € 94 milhões.

Mas, experiências passadas pelo próprio time merengue para a montagem de equipes chamadas “galáticas” se mostraram fracassadas ao longo do tempo. E mais do que isso. Um amontoado de craques não forma um time. Vide um exemplo bem mais próximo de nós: o time do Corínthians de 2005 que apenas ganhou o Campeonato Brasileiro de 2005 mesmo tendo formado um time recheado de estrelas do futebol, inclusive internacional como foi o caso do atacante Carlos Tevez.

Além disso, uma pergunta que de vez em quando volta a assombrar os times europeus: da onde vem tanto dinheiro? Correm as línguas soltas de que o time do Real Madrid deve milhões de euros para diversos credores e mesmo assim coloca no mercado estas quantias astrônomicas. E tem mais, diversas acusações de lavagem de dinheiro, dinheiro oriundo das máfias e por ai vai. A FIFA já faz algum tempo diz que iria fiscalizar os rios de dinheiro que são derramados no futebol europeu mas até agora não passou de promessas.

Isso me remete inclusive ao ano que vem, e digo o por que: é o ano do centenário do Corínthians, meu clube de coração, e que pode representar muita coisa pro time. A vaga na Libertadores trouxe junto uma dúvida: montar um time cheio de estrelas ou um time guerreiro, formado de jogadores operários prontos para vencer a qualquer custo? E pelo visto este é o mesmo dilema que passa pela cabeça do presidente Andres Sanchez, do Corínthians. E eu ainda acho que devemos investir neste elenco de brigadores e carregadores de piano.

E vocês, o que acham de tudo isso?

sexta-feira, 3 de julho de 2009

A ignorância transcende o humor

Esta semana, muito feliz para nós corinthianos, trouxe também algumas notícias que vieram a trazer nada mais que indignação e asco de certas pessoas. Todos no Brasil já conhecemos o programa CQC e a revolução que tal programa trouxe para o humor e a crítica politico-social na televisão brasileira. Nesta semana porém, os repórteres Danilo Gentili e Felipe Andreolli foram agredidos quando exerciam sua profissão, cada qual em situações distintas.

O primeiro, conhecido por suas coberturas políticas no senado em Brasília, foi atrás de respostas relacionadas a um assunto que vem tomando o notíciario político dos últimos dias: a campanha pelo afastamento do presidente da casa, José Sarney, e seu envolvimento nos atos secretos entre outros causos do falastrão. Sarney, amparado em suas falcatruas por ninguém menos que o presidente “Mula” e sua trupe, acha que é uma espécie de deus e é intocável, motivo pelo qual foi justificada a truculência com que seus seguranças agarraram Danilo Gentili e o arremessaram ao chão, utilizando-se também de pontapés e safanões contra o repórter. Onde estaria a alardeada liberdade de expressão e de imprenssa? E o livre arbítrio? Cidadãos podem ser agredidos por estarem no pleno exercício de sua profissão? É no mínimo ridicula a situação a que se presta este político que clama por inocência e cultua sua então tão bem falada vida política...

No segundo caso, Felipe Andreolli que costumeiramente faz coberturas esportivas para o programa, além de outras matéria é claro, estava a caminho do Beira-Lixo, ops, Beira-Rio, para acompanhar toda a movimentação da finalíssima da Copa do Brasil entre Corínthians e Internacional quando em sua chegada ao estádio foi cercado por um bando de animais e selvagens que num ato de racismo e discriminação (sim, não só os negros e pardos sofrem preconceitos neste país) começaram a insinuar que o mesmo era corinthiano e paulista (como se isso fosse ofensa) e que merecia ser morto (sim, estas palavras foram utilizadas) e/ou espancado por estes motivos. Justo o povo do sul, que se julga mais culto e educado que os demais dentro do país. Começou então uma sessão de empurrões, pontapés e safanões até que o repórter e sua equipe conseguiram ajuda de alguns seguranças e separaram a confusão. É evidente que nós somos hipócritas por natureza e gostamos de tirar um sarro da cara dos outros torcedores, chamando os são-paulinos de bambis, palmeirenses de porcos e assim por diante mas me parece que a ignorância de alguns pseudo-torcedores do time das bonecas do sul nem gostariam de ouvir tais coisas, afinal já imaginavam o que estava por acontecer no estádio após os 90 minutos. No mínimo lamentável.

Atitudes como as descritas acima só me fazem acreditar cada vez com mais convicção que este país não tem mais jeito mesmo, e que as instituições que detém o poder realmente se lixam para quem busca a verdade ou exerce sua profissão de maneira justa e digna, o que pode incomodar muitas pessoas que não o fazem. Existiria alguma luz no final do túnel? Fica a sugestão para que vocês, leitores ou não do blog, coloquem suas sugestões na caixinha de comentários do balaio. E que Deus nos proteja.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

TRICAMPEÃO

Ainda com sono, de ressaca e rouco por causa do jogo de ontem estou aqui para prestar um singela homenagem ao time que, mesmo nas dificuldades, só me faz ser feliz: Corínthians. Sim, este será um post apaixonado, sem qualquer razão ou fatos, apenas de exaltação e felicidade. Ontem o Corínthians provou, mais uma vez, que futebol se vence dentro de campo.

Desde o primeiro jogo da final da Copa do Brasil, o pseudo-dirigente do timinho de meninas do sul fez questão de minimizar a vitória do Corínthians, de desprezar a CBF, a instituição Corínthians e os árbitros que trabalham para o nosso futebol. O ápice de toda soberba gaúcha foi aquele famigerado dvd, ou dossiê, com acusações de supostos erros de arbitragem pró-Corínthians durante a Copa do Brasil deste ano. Só colocou combustível em uma fornalha já incandescente.

O Corínthians, representado pela austeridade de seu treinador Mano Menezes, jogou como poucas vezes vi este time jogando dentre meus pouco mais de 20 anos acompanhando futebol, com atenção, vontade, gana de ser campeão, enfim, mostrou o por que era merecedor deste título. Não se deixou cair em provocações nem por um minuto, D’Alessandro inclusive foi exorcizado como antigo fantasma do Corínthians tendo sido expulso e protagonista de uma enorme confusão no gramado. A cena emblemática da partida foi o nosso capitão William, que muito inteligente, fugiu da confusão com o argentino e ainda riu da situação cara a cara com ele. Se mostrou um perfeito seguidor do incapaz dirigente gaúcho que gerou o clima bélico nas vésperas do jogo e deveria ser de alguma forma punido por isso.

Desde o fatídico rebaixamento em dezembro de 2007 até as recentes vitórias do time, vemos a evolução que a longevidade de um treinador a frente de uma equipe pode gerar. Mano Menezes desde então ganhou o Brasileirão da série B, Campeonato Paulista e a Copa do Brasil, se firmando mais do que nunca como um treinador de ponto no cenário brasileiro. Veja que mesmo não sendo fã incondicional deste treinador, me rendo ao trabalho feito por ele desde então e as constantes provas de que ele conseguiu aprender com seus próprios erros e que mudou diversas convicções suas em prol da montagem deste time vencedor.

Agora os desafios que vem pela frente são grandes: o Campeonato Brasileiro deste ano, o ano do centenário do clube em 2010 disputando a Taça Libertadores da América e a montagem e manutenção de um elenco vencedor. Tenho certeza que em se mantendo o Mano Menezes, um grande passo será dado. Quanto ao resto deposito muita confiança nesta diretoria pelo trabalho realizado desde que assumiu o clube.

Enfim, o momento é de comemoração, de exaltação, de felicidade e felicitações. Parabéns Corínthians, por mais esta conquista e muito obrigado por deixar que tamanha felicidade possa existir em minha vida. Obrigado Ronaldo por seus gols e passes decisivos; obrigado Alessandro por seu pulmão de aço que faz com que chegue sempre com perigo na frente e seja um leão na marcação; obrigado Chicão e William pela austeridade, seriedade com que encaram cada partida; obrigado André Santos por ter representado o Corínthians tão bem na seleção e ainda voltar e fazer o gol que praticamente selou nosso destino ontem; obrigado Elias e Cristian por correrem e marcarem divinamente e ainda deixarem os homens de frente e a defesa tranquilos para jogar o que sabem; obrigado Jorge Henrique por ser este incansável batalhador e também por seus gols decisivos nesta finalíssima; obrigado Mano Menezes por ter aprendido com seus erros e fazer este trabalho maravilhoso a frente do nosso Coringão; obrigado a todos os demais jogadores, reservas ou não, por ajudarem em todos os momentos difíceis ao longo da temporada! Não podemos baixar a guarda e deposito plena confiança em vocês.

PS.: No final, até eles já sabiam o que iria acontecer.




Idéia (muito boa por sinal) retirada do Blog do Juca Kfouri.