quarta-feira, 30 de junho de 2010

Viagem a NY - Parte I

Dando início a esta série de posts sobre minha última viagem, vou tentar descrever várias de minhas experiências decorrentes desde o ínicio, quando decidi por fazer a viagem, até meu regresso para casa. E nada melhor do que começar falando de como eu escolhi onde e como comprar as passagens aéreas e a hospedagem.

A tempos eu vinha vendo/lendo alguns newsletters e promoções enviadas por uma agência de viagens virtual chamada decolar.com e desde então comecei a ficar curioso sobre o quão confiável seria tal site. Assim, quando me veio a idéia de fazer uma viagem e eu escolhi o destino, comecei a utilizar todas as ferramentas virtuais disponíveis para pesquisa de preços e comparação entre companhias aéreas, preços de hotéis, etc. Foi ai que o preço mais baixo para as passagens aéreas apareceu neste site. Ainda envolto em algumas dúvidas, resolvi pesquisar, mais uma vez na internet (sim, sou meio nerd, adimito) em fóruns e verificar se haviam reclamações ou mesmo alguma coisa que pudesse me fazer desistir de utilizar tal site para a compra. Quando me dei por mim, estava efetuando a compra.

O que eu posso dizer é que não me arrependo em nada e que a compra foi muito simples, rápida e eficiente. A interface do site é muito auto explicativa e poucos minutos depois de fechar a compra da passagem, recebi em meu email um recibo da compra e logo depois, o ticket eletrônico da companhia aérea. Tudo muito simples e eficiente.

Além disso o site conta com uma ferramenta de busca e comparação de preços de hotéis/hostels em praticamente todo o redor do globo. Desta maneira, fica fácil e simples escolher também a hospedagem no local escolhido para sua viagem. E foi o que eu fiz. Após pesquisar em alguns outros lugares, resolvi apostar mais uma vez no decolar.com, neste caso entretanto vale a dica de que mesmo fechando a compra pelo site você ainda pode ter que esperar a confirmação da reserva, o que a meu ver pode ser um ponto negativo. Este ponto negativo porém pode ser facilmente resolvido por telefone, uma vez que se você faz a compra diretamente por telefone a confirmação é imediata. Fechada a compra, a primeira parte da viagem começava a se desenhar.

E a copa do medo continua...

Como vocês já devem ter percebido estive um pouco ausente do blog nestes últimos dias. Mas isto tem um motivo: estive de férias por uma semana e aproveitei pra fazer uma viagem para New York, que sempre foi um de meus sonhos de consumo de viagem a tempos e como a oportunidade pintou não exitei em ir pra lá. Isto posto, pretendo fazer daqui pra frente uma série de posts relacionados a esta viagem com algumas de minhas impressões sobre todos os aspectos da viagem, desde escolha da companhia aérea, hotel, atrações a visitar (ou não) e por ai vai. Vamos ver se consigo colocar esta idéia em prática. Mas neste post eu queria falar um pouco mais de Copa do Mundo, tendo em vista que já temos definidos os confrontos pelas quartas de finais do torneio: Brasil x Holanda; Gana x Uruguai; Argentina x Alemanha e Espanha x Paraguai.

Esta copa tem sido a copa do medo, onde as seleções em sua grande maioria jogam primeiramente se defendendo e com medo de tomarem gol/perderem a partida e depois pensam em tentar alguma coisa em seus ataques. E as únicas duas exceções, a meu ver, são Argentina e Alemanha. O exemplo crasso desta tese é a seleção de Portugal, que era um time extremamente coeso e defensivo que foi eliminado da copa tendo sua defesa sido vazada por apenas uma oportunidade, exatamente nas oitavas diante a não mais tão favorita Espanha.

É também verdade que não acompanhei com tanta atenção os jogos da última semana pois nos EUA este não é um esporte tão amplamente divulgado. A exceção é claro foi o jogo de oitavas diante de Gana, a eliminação americana, onde pudever muitos americanos caracterizados com uniformes e pinturas no rosto em alusão a seleção de seu país.

Outro ponto que pude relevar do pouco que acompnhei a copa nesta última semana são os erros constantes de arbitragem, e até certo ponto erros gritantes (quer mais do que o gol dos EUA anulado equivocadamente logo nas primeiras rodadas, o gol não assinalado para a Inglaterra no jogo de oitavas ou o impedimento claro no gol de Tevez contra o México?), que vem aocntecendo nesta copa. É claro que a FIFA tem que evoluir assim como todos os esportes o tem feito com uso de tecnologias, mais arbitros em campo, ou quaisquer outras maneiras que venham a diminuir a incidencia de tais erros e a influência dos mesmos sobre os resultados finais das partidas. E pra ontem.

Quanto a nós brasileiros, além da torcida na sexta feira nos resta fazer uma corrente positiva em prol da recuperação de nossos atletas que se encontram no estaleiro por motivos de contusões para que em passando pela Holanda, o time esteja 100% já para o jogo semi final. 

E faltam 3 partidas para o hexa!

domingo, 20 de junho de 2010

Jantar do dias dos namorados

Tá certo que estou um pouco atrasado mas preciso colocar aqui minhas impressões sobre o jantar que eu e minha namorada tivemos na noite do dia dos namorados. A grande maioria dos restaurantes tinham um cardápio fechado e ficava difícil escolher alguma coisa. Como eu sempre quero conhecer restaurantes/sabores novos resolvi me utilizar de um "amigo" que ultimamente tem sido bem fiel digamos assim. Pois bem, este amigo é o guia que vem toda sexta feira no jornal " O Estado de São Paulo". E o escolhido então fora o restaurante Rosmarino, que tem o foco na cozinha italiana, minha preferida diga-se de passagem.

 
O restaurante conta com um salão inicial bem aconchegante e com alguma mesinhas estilo clássico e um belo jardim interno, espaço aconchegante e ideal para festas e eventos como os proprietários mesmo gostam de dizer. A carta de vinhos é bem interessante e a preços acessíveis. O serviço é muito bom e são extremamente atenciosos, mesmo em um dia de grande movimento como fora o dia deste jantar.

Para o menu do dia dos namorados teríamos direito a uma entrada, prato principal e sobremesa. Ambos escolhemos para a entradinha uma bela polenta cremosa com cogumelos flambados no conhaque. Excelente opção diga-se de passagem ( a outra opção era uma saladinha verde). A combinação cogumelos com polenta realmente me surpreendeu. Passando ao prato principal as opções iam de um belo Badejo em Crosta de Castanha de Cajú servido com pure de mandioquinha (opção da minha namorada) a uma bela Picanha de Cordeiro com batatas assadas e ervilhas (minha opção). E para finalizar, a sobremesa era composta por um coração de chocolate recheado com mousse de maracujá mais um outro coração de chocolate branco recheado com mousse de chocolate. Simplesmente perfeito para fechar a noite comemorativa.

Restaurante aprovado, mesmo que não tenha tido a oportunidade de conhecer o menu a la carte (coisa que pretendo fazer de novo). Para quem quiser maiores informações recomendo acessar o site deles www.rosmarino.com.br.

E bom apetite!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

E a palhaçada do Morumbi tem seu final (previsto)

Com um comunicado em seu site, a CBF acaba de confirmar que o estádio panetone em São Paulo acaba de ser excluído da organização do mundial de 2014 no Brasil por não ter apresentado as garantias financeiras para a reforma aprovada em último projeto enviado a FIFA. Mesmo o São Paulo tendo enviado um projeto mais modesto e apresentado garantias para tal, a FIFA disse que nem irá avaliar o projeto pois já havia aprovado a última instância e que o prazo já havia se estinguido.

Eis a nota oficial: "Não foram entregues ao Comitê Organizador Local da Copa do Mundo 2014 (COL), por parte do Comitê da Cidade de São Paulo, as garantias financeiras referentes ao projeto do Estádio do Morumbi aprovado pelo COL/FIFA no dia 14 de maio de 2010. O Comitê da Cidade de São Paulo enviou ao COL um sexto projeto, que não será examinado.Sendo assim, fica excluído do projeto da Copa do Mundo de 2014 o Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi. A FIFA e o COL estão à disposição da cidade de São Paulo para futuras discussões."

O assunto já era discutido abertamente nos meios de comunicação aqui do Brasil que vem fazendo a cobertura do mudial da África e ventilado a toda prosa pelos integrantes da CBF que estão junto a seleção brasileira no continente africano.

Existem diversos aspectos a serem mencionados com relação ao acontecido e primeiro deles é que o São Paulo e sua diretoria egocentrica entendiam que a FIFA deixaria a abertura ser em São Paulo por falta de opções no Brasil com relação a infraestrutura, leitos de hotel e afins. Mas é claro que a FIFA não é a zona conhecida como Brasil e as coisas são mais embaixo. É claro que se não tem condições, não vai e pronto.

Outro ponto muito importante a se discutir é o uso do dinheiro público nesta obra faraônica, coisa que o São Paulo e sua diretoria acreditavam que iria acontecer. Mas é claro que ninguém em sã consciencia iria apoiar tal idéia uma vez que a propriedade é "privada". Coloquei a palavra privada entre aspas por que todos sabemos que o estádio do Morumbi por si só já foi envolvido em diversas mutretas desde o seu nascimento, tendo o terreno doado pelo governo da época além do que muito dinheiro público injetado em suas obras, mesmo que isso seja sempre negado por todos dentro do clube cor de rosa.

Mas, contestando um pouco o que a FIFA tem feito com São Paulo e com o Brasil em geral, o que temos visto na África não é nem de longe o exigido por nossas terras tupiniquins. É só ver o caos que é chegar aos estádios, as constantes reclamações feitas pelos veículos de midia de diversos países com relação as conexões e infra estrutura de trabalho, greves e manifestações de trabalhadores locais além dos estádios propriamente ditos, que tirando um ou outro não atendem nem de longe as exigências da FIFA entre outros.

É claro que existem muitos outros fatos a serem discutidos e acontecimentos por virem, mas 
é por essas e outras que eu sempre disse que era contra esta copa no Brasil e eu vejo que cada vez mais estava certo em minhas convicções. Se é pra ficar com brigas internas, interesses excusos e uso da máquina pública (dinheiro público, meu, seu, nosso dinheiro) que não haja a copa no Brasil. Um país com tantas necessidades básicas não se pode dar ao luxo de torrar milhões em estádios...

terça-feira, 15 de junho de 2010

E o sofrimento começou..

E alguém ainda duvidava que a Copa seria um teste de paciência pros brasileiros? E não é que a primeira partida, apesar da vitória por 2 x 1, nos confirmou a tese?

O que se pode ver foi uma seleção extremamente burocrática, sem variações táticas e sem a mínima criatividade. Os jogadores pareciam se esconder atrás de seus marcadores e a sensação de que teríamos mais um empate sem graça era cada vez maior. Eis que quando a seleção ousou um pouco mais, sairam os gols. E olha que foram de um lateral e de um volante. 

Kaká não foi nem um arremedo do jogador que ele sempre mostrou nas épocas de Milan, talvez prejudicado ainda por uma contusão no púbis ou mesmo pela falta de ritmo resultante de uma fraca temporada pelo Real Madrid devido a contusões, como a do púbis mesmo. Luís Fabiano demonstrou muita irritabilidade, falta de segurança e o temperamento que o marcou negativamente em seu começo de carreira na Ponte Preta e no São Paulo. O que dizer de Felipe Melo? Aliás, ele foi o que é na verdade: extremamente fraco técnicamente!

Com as modificações do pseudo técnico Dunga, a seleção esboçou um melhor futebol mas que acabou ofuscado por um gol em uma falha da até então "perfeita" zaga brasileira. Acho que fora apenas a segunda bola que foi em direção ao gol do Brasil, onde Júlio Cesar fora apenas um mero expectador da partida. Mas foi pouco para quem ainda sonha em ser campeão do mundo.

E que venha Costa do Marfim no domingo.

domingo, 13 de junho de 2010

Primeiros momentos da copa...

Tendo visto os primeiros jogos da copa até aqui, só tenho uma única impressão: a qualidade técnica dos times é sofrível e quem serão os protagonistas da copa serão os goleiros (para o bem e para o mal). Afinal de contas, quem não viu as grandes defesas do golerios nigeriano ou os frangassos dos goleiros inglês e argelino? E não adianta culpar a bola. Afinal, ela é igual para todos.

Resta agora aguardar a estréia do Brasil na copa contra a até então misteriosa, e por que não, fraca tecnicamente Coréia do Norte. Nosso time não empolga do meio pra frente, mas fica a impressão de que, com uma defesa sólida e bem postada, poderemos fazer um bom papel neste mundial. Um outro alento que podemos ter é que o atacante Robinho finalmente vem assumindo seu papel de destaque na seleção brasileira, tendo apresentado um bom futebol e chamando para si a responsabilidade no jogos até aqui. E vou um pouco além, entendo que guardadas as devidas proporções, este será o mundial de Robinho.

E vocês, o que pensam a respeito?

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Museu TAM, em São Carlos, reabre com o dobro de aeronaves



É por essas e outras iniciativas que eu sempre tive orgulho desta empresa, que me fez ser o profissional que sou hoje.

Algumas das relíquias históricas da aeronáutica, chegaram pelos ares para a reabertura da exposição prevista para domingo (13); Constellation pintado nas cores da antiga Panair do Brasil: trazido do Paraguai, onde abrigou um restaurante.

(Portal Veja SP) - Boa parte do acervo do Museu TAM, localizado em São Carlos, a 237 quilômetros de São Paulo, veio voando para a reinauguração do local, prevista para domingo (13). Não se trata de força de expressão. Das 72 aeronaves em exibição, 31 chegaram pelos ares ao galpão de 20 000 metros quadrados, vizinho ao Centro Tecnológico onde a companhia aérea realiza a manutenção de sua frota. “Transportar essas preciosidades exige muita responsabilidade”, afirma o presidente do museu, João Francisco Amaro.

Um dos fundadores da TAM ao lado do irmão, o comandante Rolim Amaro (1942-2001), ele mesmo conduziu a maioria dessas relíquias até lá. “Vim da Argentina com um caça alemão Focke-Wulf FW-44J”. Alguns percorreram distâncias maiores, como o Douglas DC-3, usado na II Guerra, que veio dos Estados Unidos. A réplica do De moiselle, de Santos Dumont, e o caça inglês Supermarine Spitfire são outras raridades. “Nosso RWD-13, que já pilotei, é o único exemplar do mundo em condições de voar”, garante o empresário, referindo-se a um modelo polonês de 1938.

Concebida pelos irmãos Amaro em 1996, a coleção do museu começou com dois Cessna (um 195 e um espécie de finger que dá acesso a um túnel repleto de painéis sobre a história da aviação mundial — dos primeiros balões aos ônibus espaciais. Ao fim da jornada, avistam-se os mais de setenta modelos, organizados no pátio em ordem cronológica. Uma das principais atrações é o hidroavião Jahú, que cruzou o Atlântico em 1927, pilotado pelo paulista João Ribeiro de Barros. Há ainda o Cessna 140 repleto de assinaturas na fuselagem — uma delas do presidente Getúlio Vargas. Nos anos 50, transportou a paulistana Ada Rogato em sua travessia solitária pelas três Américas.

Os apaixonados por aviação militar encontram um cardápio farto. Uma das estrelas é o alemão Messerschmitt Bf 109, conhecido como Me 109, que custou mais de 1 milhão de dólares. Três MiGs modelos 15, 17 e 21 e nove exemplares da Força Aérea Brasileira, a principal doadora, completam o acervo. Entre os destaques da FAB está o P-47, usado na campanha brasileira na Itália. Na frota de aeronaves civis, é possível apreciar o Lockheed Constellation, que carregava passageiros nos anos 40 e abrigou um restaurante no Paraguai décadas mais tarde.

Transportado para cá em seis carretas, foi remontado dentro do pátio do museu. A restauração da maioria dos itens é feita por engenheiros da própria empresa. No momento, eles trabalham em vinte modelos, que ficam numa reserva técnica, aguardando sua vez de entrar em cena. “É diversão para mais dez anos”, afirma Amaro.
Fonte: Portal Veja SP Qua, 09 de Junho de 2010 12:07

terça-feira, 8 de junho de 2010

E começa a copa..

Depois de dois amistosos que serviram apenas pra o Brasil mostrar que tem deficiências na marcação e que o meio campo do time também não empolga, é chegada a hora de torcer. Sim pode me chamar de incoerente mas é isso que temos que fazer. Muitos podem não acreditar mais na lisura do esporte depois da Copa de 1998 ou ainda pelas convocações duvidosas que sempre são feitas (quem não lembra do zagueiro Célio Silva ou do atacante Afonso?) mas a questão é que todos brasileiros, mais ou menos, irão torcer pela seleção de seu país. E eu me incluo nessa.

Esta copa está até meio estranha, assim podemos dizer, pois grandes jogadores se contundiram na fase preparatória ou foram cortados de suas seleções ainda na fase de convocação, vide os exemplos do alemão Ballack, do inglês Ferdinand ou muitos outros que ainda correm risco de ficar de fora como o italiano Pirlo, o marfinense Drogba ou o holandês Robeen.

Mas  o que importa é que no dia 15 de junho, as 15:30 da tarde pelo horário de Brasília o Brasil entra em campo no primeiro jogo do mundial de 2010 frente a Coréia do Norte, uma ilustre desconhecida, para começar sua caminhada rumo ao tõ sonhado hexa campeonato mundial de futebol. E olha que esta mesma Coréia já fez vitimas no distante 1966 quando eliminou a Itália ainda na primeira fase e deu um grande susto em Portugal nas oitavas de final abrindo 3 x 0 no jogo. Que isso não aconteça este ano!

Faça sua torcida e vamos juntos ver o que irá acontecer no dia 11 de julho, dia da final da copa.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

O brasileirão e a pausa para a Copa

A maioria dos times brasileiros comemoram e muito a folga de praticamente 40 dias que teremos para a realização da Copa do Mundo. É claro que existem os opostos. Os times que estão bem ou em ascensão veem nesta parada uma chance para aperfeiçoamento técnico e físico e para crescerem ainda mais na competição. Por outro lado, os times que estavam cambaleando comemoram em dobro pois tem a chance de trabalharem arduamente para que seus times saim da pasmaceira e consigam engrenar de uma vez por todas na tabela.

Mas o que mais me causa apreensão não é nem a pausa no campeonato mas sim a famigerada "janela" de transferências, a ser aberta em agosto para que jogadores brasileiros possam se transferir daqui para outros países ou para que alguns façam o caminho inverso. É ai que mora o perigo principalmente para os times de ponta. Com grandes desfalques pós janela, a configuração do campeonato tende a se alterar bastante. E as especulações que já tomavam conta dos noticiários tende a se intensificar até a volta do brasileiro e até o último dia de fechamento da tal janela. O que será que temos por vir?

Ficamos agora com a copa e com a seledunga. E té dia 14 de julho!!

domingo, 6 de junho de 2010

Up Altas Aventuras

Feriado, frio, sem muita vontade para sair e com uma viagem de férias se aproximando e o resultado mais comum é: assistir a filmes em casa mesmo. E um dos filmes escolhidos foi esta animação da Disney/Pixar "UP - Altas Aventuras". Abaixo, seguem minhas impressões sobre o filme.

Primeiro, um pouco da premissa do filme. Carl é um senhorzinho vendedor de balões de gás para crianças que desde sempre viveu na mesma casa com a então falecida esposa Ellie, a qual conheceu quando ainda era garoto e desde então nunca se separou. Mas com o advento da modernidade, seu terreno é pretendido por um empresário do ramo da construção civil que faz de tudo para conseguir a casa do velhinho. Quando Carl tem uma reação extrema (acerta com sua bengala um rapaz que acidentalmente quebra sua caixa de correio) passa a ser considerado ameaça a sociedade e é "condenado" a ir viver em um asilo. Mas ele planeja uma fuga espetacular se baseando em uma promessa que fez a então falecida esposa. E é a partir dai que toda a ação se desenrola. E bota ação nisso.

Mais do que ação, o filme trata do amor e da cumplicidade! Sim, desde seu início a animação faz questão de desenvolver a história de Carl desde que conhece sua esposa quando criança até o casamento e os anos que viveram juntos. Carl sempre foi a parte caladona do casamento, mas sempre mostrou como era dedicado a esposa e como o casal tinha uma química perfeita entre eles. Por outro lado Ellie era o lado mais agitado e falante, sempre falando e fazendo e tomando as rédeas do relacionamento. É emocionante ver como o casal funciona bem junto e como seus sonhos e anceios parecem estar sempre se encaixando, conectados por suas vontades individuais. E mesmo com o falecimento da esposa, Carl passa seus dias se dedicando a ela e as vontades que eles dividiam em seus dias de vida. E juntamente com toda a ação que se desenvolve com a fuga de Carl o amor e cumplicidade do casal vai desenhando o desenrolar da história. E que história!

Up é um filme triste e divertido ao mesmo tempo, mas acima de tudo um lindo filme que exalta o amor e desenvolve personagens que muito filme de verdade gostaria de fazer. Situações maduras e as vezes até difíceis para crianças compreenderem mas que por outro lado faze de Up o filme mais adulto da Pixar. Vale cada minuto!!!

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Distrito 9 - O filme

Já tivemos inúmeros filmes sobre invasões alienígenas na Terra e esta é, sem dúvida, a premissa principal e comercial de Distrito 9. Porém ao assistir ao filme, tive a sensação de que o filme queria passar também uma lição digamos moral. Mas antes de falar sobre isso, saibam que o filme tem todos os demais clichês cinematográficos dos filmes de seu gênero: sogro militar malvado, soldado mal encarado que não morre mesmo se chovesse bala de canhão do céu, mocinha indefesa, reviravolta na vida do " mocinho", inimigos que viram amigos e se unem por objetivo comum e por ai vai, sem falar é claro das naves e dos próprios extraterrestres que por si só já são clichês.

A premissa de Distrito 9 é a chegada de uma grande nave alienígena a Terra,vinda refugiada de seu planeta natal. Com isto os seres humanos ao mesmo tempo que temem uma invasão hostil, tentam de todas as formas sugar os avanços tecnológicos e novidades vindas do espaço e confinam os aliens as margens da cidade de Joanesburgo. Mas o aumento da tensão entre aliens e os africanos faz com que o governo trace um plano de reassentamento destes aliens em outro local. Só que o plano sai errado. E a partir dai toda a história se desenrola.

Mas voltando a história do politicamente correto (ou incorreto?), o filme trata também de segregação racial. Sim, isto mesmo. Não estranha portanto o fato do filme se passar no bairro de Soweto em Joanesburgo (África do Sul). Os aliens são tratados como constante ameaça e desde a sua chegada foram "assentados"  num campo militar que depois de um certo tempo migra para algo perto de uma favela nos dias de hoje. A partir dai são retratados como marginalizados a sociedade e adeptos do crime, tráfico de armas e drogas, prostituição e assim por diante. Quem já não viu isso no dia a dia como alusão a pobres e ricos, negros e brancos? Pois é essa a mensagem digamos secundária que o filme tenta passar. E acho que consegue com certa maestria, sem parecer piegas. O que ajuda também é o fato de se usar de formato documentário para aproximar a platéia do dia a dia dos alienigenas (camarões, como são tratados no filme).

O filme consegue entreter e fazer pensar ao mesmo tempo, o que traz um grande ponto positivo para a produção ao passo que deixa pontas abertas para uma possível continuação (afinal, neste mercado dinheiro e retorno é quase tudo certo?). Vale a pena, caso não tenha o visto no cinema, alugar o filme e aproveitar o feriado e o frio para passar bons momentos em frente de seu televisor.