segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Guaspari Viognier Vista do Bosque 2015

Uma família de origem ligada ao campo, com espírito inovador e empreendedor, chega em 2001 a uma região tradicionalmente cafeeira e identifica condições muito favoráveis à viticultura. Era o começo do sonho que se transformaria na Vinícola Guaspari. As terras altas de Espírito Santo do Pinhal se tornaram sinônimo da convivência em família e do prazer de estar junto. A paixão pelo vinho e o desejo de retribuir à região toda a alegria proporcionada foram acentuados por uma rica e curiosa combinação de fatores: a semelhança da paisagem da fazenda com a da Toscana, a origem italiana da maioria da população local e da família, o terreno granítico, a oportunidade de adquirir videiras de uma estação experimental e o desenvolvimento de uma nova tecnologia por um pesquisador brasileiro radicado em Bordeaux. Em 2006, foram plantadas as primeiras videiras, que ocuparam seis hectares. Eram mudas de diversas variedades francesas, escolhidas em virtude das características do terroir da região. Dois anos após o primeiro plantio, a vinícola foi construída. Tendo nascido em uma antiga tulha de café, com projeto que preservou o estilo arquitetônico das antigas fazendas da região, integrou-se à cultura e à estética locais. O primeiro vinho foi produzido em 2008, de maneira artesanal. Foram apenas 30 garrafas, que reforçaram o potencial do projeto. A partir desse momento, não se mediram esforços para trazer para a Guaspari o que havia de melhor no mercado mundial. Gradualmente a área de plantio de parreirais veio sendo ampliada. Hoje são 50 hectares de vinhedos próprios a partir dos quais todo o vinho é produzido.


Sobre o Guaspari Viognier Vista do Bosque 2015 podemos ainda afirmar que é um vinho feito a partir uvas Viognier advindas do vinhedo Vista do Bosque, com estágio de 10 meses em barris de carvalho francês de 300 e 600 litros. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração amarelo palha com reflexos dourados, muito brilhante e limpidez.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutas tropicais, flores brancas, fósforo com leve toque de especiarias.

Na boca o vinho se mostrou ao mesmo tempo muito fresco e untuoso, com o retrogosto confirmando o que achamos no olfato. O final era de longa duração.

Vou ser sincero, provei alguns dos vinhos desta vinícola e este pra mim, é de longe o melhor deles. É típico, entrega o que promete e apesar do preço um pouco salgado, foi o que mais prazer me trouxe. Eu recomendo e muito a prova.

Até o próximo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário