quarta-feira, 11 de julho de 2018

Coyam 2014

A vinícola Viña Emiliana está localizada nos principais vales de vinho do Chile: Valle de Casablanca, Valle del Maipo, Valle del Cachapoal, Valle de Colchagua e Valle del Bio-Bio. Dessa maneira, aproveita-se ao máximo os benefícios que cada uma destas diferentes geografias têm à oferecer à cada variedade de uva e seus respectivos cultivos. Ela se caracteriza por produzir apenas vinhos orgânicos e biodinâmicos, de forma a preservar o equilíbrio natural da vida, do ser humano e do meio ambiente. Produzir vinhos desta maneira torna-os no final mais saudáveis, únicos e de melhor qualidade.


Falando sobre o Coyam 2014, podemos acrescentar que é um vinho feito a partir de uvas Cabernet Sauvignon (12%), Carmenère (17%), Malbec (3%), Merlot (31%), Mourvèdre (3%)e Syrah (34%). Após a colheita, seleção e fermentação das uvas, o vinho estagia durante 14 meses em barricas de carvalho (80% francês e 20% americano). Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração violácea profunda, brilhante e limpida. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente coloridas também se faziam notar.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos escuros, especiarias, chocolate, toques terrosos e herbáceos.

Na boca o vinho se mostrou encorpado com boa acidez e taninos redondos. O retrogosto confirma o olfato e o final era longo e saboroso.

Um belo vinho chileno, ícone da vinícola e um dos tops quando falamos de vinhos do chile. Eu recomendo a prova. Foi o fiel escudeiro de um belo corte de short rib e fez a alegria da noite.

Até o próximo.

terça-feira, 10 de julho de 2018

Filipa Pato 3B Rosé Brut

Filipa Pato e William Wouters é uma colaboração mágica de esposa e marido. Sua filosofia é simples: criar vinhos autênticos sem maquiagem,expressando a verdadeira natureza dos vinhedos de onde eles vêm. Eles se concentram apenas em uvas indígenas portuguesas: Baga, Bical, Arinto, Cercial e Maria Gomes criam vinhos com alma de vinhedos com solos, microclimas e aspecto ideais para o cultivo de tais uvas com práticas vitícolas biododinâmicas. Filipa Pato com sua pós-graduação da Universidade de Coimbra como engenheira química refinou suas habilidades de vinicultores em Bordeaux, França - Mendoza, Argentina e Margaret River, na Austrália, e com seu pai Luis Pato, o rebelde Baga. William Wouters vem de uma família de restauradores de Antuérpia, na Bélgica. Ele é um sommelier, dono de restaurante e ex-chefe de cozinha da seleção nacional de futebol da Bélgica na Copa do Mundo no Brasil e na Copa da Europa na França. Juntos, Filipa e William compartilham todas as suas experiências: o amor pela comida e pelo vinho, encontros com grandes produtores de vinho, sommeliers e amantes do vinho de todo o mundo e a mágica e inexaurível cultura do mundo do vinho. Hoje para Filipa e William, o Ois do Bairro é o centro do seu universo do vinho.
 

Falando agora do Filipa Pato 3B Rosé Brut, podemos ainda acrescentar que o vinho espumante feito a partir do método tradicional com as uvas Bical e Baga sendo que o vinho fermenta com leveduras indígenas em barril de 650 litros (baga) e em cubas de inox (bical) a temperaturas inferiores a 16ºC. Vamos as impressões?

Na taça o vinho espumante apresentou coloração salmão levemente mais escura com bom brilho e limpidez. Perlage fina, persistente e cremosa.
No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos, tostado, fermento de pão e leves toques minerais que trazem aquele que de "salinidade" no nariz.

Na boca o vinho espumante apresentou corpo médio, boa acidez e boa cremosidade aliada a formação de perlage que "estoura" no paladar. O retrogosto confirma o olfato e o final era longo e extremamente fresco.

Um belo "bruto" português com certeza, que deve agradar em cheio para aquela comemoração especial. No meu caso, foi um jantar de dia dos namorados no meu restaurante português preferido de sampa, o Ora Pois Serra da Cantareira. Eu recomendo, o vinho espumante e o restaurante.

Até o próximo!

terça-feira, 3 de julho de 2018

Haras de Pirque Reserva de Propiedad 2016

A vinícola Haras de Pirque está situada em Pirque, uma das áreas mais prestigiadas e históricas do Vale do Maipo, no Chile. No sopé da cordilheira de Los Andes, na área central do país, em uma zona privilegiada para o plantio de vinhas. Entre 500 e 800 metros acima do nível do mar encontra-se o Maipo Alto, uma área com oscilação térmica amena, onde a vegetação nativa, como a murta e os boldos, prosperam, o que em certas ocasiões confere aos vinhos notas balsâmicas distintas. Seus proprietários acreditam firmemente nos fundamentos da sustentabilidade como um dos valores fundamentais da propriedade, tanto para o meio ambiente quanto para a responsabilidade social. Por esta razão, vários projetos foram desenvolvidos com o objetivo de alcançar uma atividade produtiva sustentável e responsável dentro da comunidade, como a agricultura orgânica dos vinhedos, medição da pegada de carbono e programas de eficiência energética, promoção do treinamento e desenvolvimento profissional dos trabalhadores e marcação trabalho e segurança do trabalho como uma das principais prioridades. A propriedade está comprometida com uma visão de longo prazo que busca melhorar os padrões de produção orientados para a qualidade, em um ambiente socialmente responsável por seus trabalhadores e práticas sustentáveis ​​para o território. Um design único, a arquitetura da adega tem a forma de uma ferradura, simbolizando a paixão pelos cavalos de raça pura. Por estar localizado na encosta, os diferentes vasos de fermentação apresentam um desnível acentuado que permite que as uvas e os mostos sejam processados ​​por gravidade, limitando o uso de bombas de água e outros equipamentos. Esta técnica evita substancialmente os riscos de oxidação e é mais suave nos taninos e ajuda a proteger os aromas e sabores do vinho.

Falando agora sobre o Haras de Pirque Reserva de Propiedad 2016, podemos ainda dizer que o vinho é um blend tinto feito a partir das castas Cabernet Sauvignon, Carménère e Cabernet Franc. As parcelas individuais de vinha foram fermentadas separadamente e depois que os vinhos são prensados, eles são colocados em barris de carvalho para serem submetidos à fermentação malolática. Após o envelhecimento nestes barris, o vinho é misturado e engarrafado. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração violácea de grande intensidade com bom brilho e limpidez.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos, especiarias, mentolado, tabaco e notas herbáceas agradáveis (não aquela verde, que incomoda, sabe?).

Na boca o vinho apresentou corpo médio, boa acidez e taninos macios. O retrogosto confirma o olfato e o final era de média para longa duração (média +).

Um ótimo vinho chileno com um bom custo benefício e que tende a agradar os paladares menos iniciados e os mais iniciados no mundo do vinho. Acompanhou um belo corte de carne (prime rib) com sucesso. É trazido ao Brasil pela Winebrands.

Até o próximo!