quinta-feira, 25 de maio de 2017

Ménage à Trois California Red Wine 2014

Ménage à Trois originou-se como um blend de três variedades tintas, criado em 1996 por dois profissionais psiquiátricos na Folie à Deux Winery, em Santa Helena, Califórnia. Capturando a imaginação dos amantes do vinho através do boca-a-boca, a oferta foi logo expandida para blends brancos e rosés também. Continuando a crescer, a marca Ménage à Trois aumentou significativamente depois que foi adicionada à carteira da Trinchero Family Estates em 2004. Ménage à Trois é creditado com a criação da categoria Red Blend e definindo o segmento doméstico americano de vinhos super premium, elevando a marca para um status icônico dentro da indústria de vinho e bebidas espirituosas. A marca Ménage à Trois é atualmente composta por 15 variedades de vinhos e blends, mais três tipos de vodka.


Sobre o Ménage à Trois California Red Wine 2014, podemos ainda acrescentar que o vinho é feito a partir do corte das uvas Zinfandel (45%), Merlot (35%) e Cabernet Sauvignon (20%) sendo que, cada variedade foi fermentada separadamente, sendo que o blend final é feito antes do engarrafamento. Não encontrei detalhes, mas aparentemente o vinho tem passagem de 12 meses por madeira. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração violácea de grande intensidade, bom brilho e limpidez. Lágrimas finas, de média velocidade e coloridas também se faziam presentes.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos e escuros em compota, chocolate, pimenta, tabaco e algo de coco.

Na boca o vinho se mostrou encorpado, taninos macios e acidez média. O retrogosto confirma o olfato e o final era de longa duração.

Um ótimo vinho americano, bem característico e que tende a agradar principalmente os iniciantes, que estão naquela transição entre os vinhos suaves e os vinhos secos. Eu recomendo a prova.

Até o próximo!

terça-feira, 23 de maio de 2017

Divulgação: Vem aí a semana do vinho em São Paulo!

SPWW vai oferecer rótulos com desconto em restaurantes da capital paulista



Entre os dias 5 e 11 de junho será realizada a 1ª São Paulo Wine Week, uma semana dedicada ao vinho em alguns dos mais renomados restaurantes da capital paulista. O evento acontece no mesmo período do ExpoVinis Brasil (6 a 8 de junho), principal feira de vinhos na América Latina, e o objetivo é fomentar o conhecimento e o consumo de tintos, brancos, rosés e espumantes através da experiência com vinhos do Brasil, Chile, Argentina, Uruguai, África do Sul, França, Itália e Portugal.

A mecânica é simples: os restaurantes participantes vão oferecer três taças de vinhos a um preço único e menor do que aquele praticado fora da SPWW. A ideia é que as casas montem um flight de vinhos de diferentes estilos, começando com um perfil aperitivo, mais leve e aumentando em intensidade e complexidade. A faixa de preços para cada “trio” de vinhos vai variar entre R$ 45,00 e R$ 60,00. A ação será focada nos jantares de segunda a sexta-feira (5 a 9 de junho) e almoços e jantares no sábado e domingo (10 e 11 de junho).

“Queremos oferecer uma experiência sensorial diferente e mais divertida para os consumidores, sem as formalidades que ainda atribuem ao consumo do vinho. Além disso, é uma oportunidade única de apreciar uma variedade de rótulos especiais de diversos países pagando um excelente preço”, explica Leonardo Sanchez, sócio da SPWW.

A lista completa dos restaurantes participantes da SPWW pode ser conferida em: www.spww.com.br.

O evento é organizado pela Wine Revolution, formada por um grupo de empreendedores (e apreciadores de vinhos) de vários segmentos, que promove ações para o público jovem e é responsável, entre outros projetos, pelo Malbec World Day em Buenos Aires, México e Nova York.

São Paulo Wine Week

5 a 11 de junho de 2017

*Os horários de almoço e jantar podem variar nos restaurantes participantes. Recomenda-se checagem prévia.

Mais informações: www.spww.com.br.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Stambolovo Estate Syrah & Merlot 2013

O vinho é produzido pela Stambolovo Winery, vinícola esta que tem as suas vinhas e instalações situadas no sul da Bulgária, em estreita proximidade com as fronteiras com a Grécia e a Turquia. A região é de importância geográfica chave. O caminho mais curto da Europa para a Ásia e Ásia Menor passa por estas terras. Muito provavelmente esse foi o caminho pelo qual as primeiras videiras foram trazidas para o que é hoje o território da Bulgária. Com uma história de quase 80 anos no negócio, atualmente a vinícola está entre os principais produtores de vinho na Bulgária. Devido às características benéficas climáticas e terroir da região, bem como com a qualidade e tradição comprovada pelo tempo, hoje a marca Stambolovo é considerado pela maioria dos profissionais de negócios de vinho, a vinícola com os melhores, da mais alta qualidade e mais típicos vinhos Merlot na Bulgária.


Já sobre o Stambolovo Estate Syrah & Merlot 2013, podemos ainda afirmar que o vinho é um blend das uvas citadas sem proporções descritas e com passagem em madeira (sem período divulgado). Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma coloração rubi violácea de média intensidade com halos granada, algum brilho e limpidez. Lágrimas finas, rápidas e quase sem cor também se faziam notar.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos, especiarias (pimenta em abundância), baunilha, tostado e algo que lembrava caramelo.

Na boca o vinho mostrou corpo médio, boa acidez e taninos marcados, de boa qualidade. O retrogosto confirma o olfato e o final era de média para longa duração.

A meu ver mais um excelente vinho búlgaro apresentado por aqui, um vinho no mínimo diferente, evoluído e que agrada paladares um pouco mais exigentes e acostumados com o mundo do vinho. Vale conhecer e provar. Este é mais um vinho que foi apresentado pelo Winelands Clube do Vinho, o clube que eu assino e recomendo.

Até o próximo!

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Mirandelle De L. Lurton Bordeaux Sauvignon Blanc 2015

A família Récapet começou a plantar vinhas em St. Emillion ainda em 1650. Foi só na metade do século XIX que migraram para o sul da França, com destino à Branne. Desde 1897 a família é conhecida por sua produção, e atualmente a vinícola é comandada por François Lurton, membro da quinta geração da família. Enólogo de formação, ele esteve a frente de grandes projetos, entre eles, o grupo Möet & Chandon, no qual adquiriu grande experiência. Em 1988, abriu uma consultoria com seu irmão, Jacques, com quem passou a viajar o mundo conhecendo novos terroirs. Em 2007, deu continuidade aos projetos familiares, rebatizou a propriedade com seu nome e desde então dedica-se à produção de vinhos de qualidade impecável, na França, Espanha, Argentina e Portugal.


Já sobre o Mirandelle De L. Lurton Bordeaux Sauvignon Blanc 2015, podemos ainda acrescentar que o vinho é feito com 100% de uvas Sauvignon Blanc da região de Bordeaux (sem uma AOC mais específica) e sem passagem por madeira. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração amarelo palha bem clarinho com reflexos esverdeados, límpida e com bom brilho. Lágrimas finas, rápidas e incolores também se faziam presentes.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos cítricos, ervas, flores e algo que lembrava melado.

Na boca o vinho apresentou muito frescor e certa untuosidade. O retrogosto confirmou o olfato e o final era de longa duração.

Um bom vinho branco de Bordeaux, de um afamado produtor e que trás um bom custo benefício. Foi bem com tilápia a parmigiana. Eu recomendo a prova. 

Até o próximo!



Fonte de informações sobre o produtor: www.grandcru.com.br

quarta-feira, 17 de maio de 2017

La Mora Maremma Toscana Rosso 2014

A Vinícola Cecchi, produtora do vinho de hoje, faz parte do Grupo Família Cecchi. Tudo começou em 1893, quando Luigi Cecchi se tornou um provador de vinho profissional e compreendeu o potencial da produção de vinho italiano. A empresa foi então criada neste mesmo ano, graças à paixão e dedicação da família Cecchi. A combinação de empreendedorismo e talento levou a empresa a se tornar sinônimo de vinificação, tanto na Itália como no mundo. Com mais de um século de experiência e amor para o campo, a Família Cecchi ainda enfrenta cada dia com forte entusiasmo.


Já sobre o La Mora Maremma Toscana Rosso 2014, podemos afirmar que o vinho é um blend de Cabernet Sauvignon e Merlot plantadas na região de Maremma Toscana. Vale lembrar que esta região era considerada uma IGT até 2011, quando foi alçada a DOC adicionada às 39 denominações existentes na Toscana. Após maceração prolongada, seguida de fermentação em inox (alcoólica e malolática), o vinho passa por um período em madeira de segundo e terceiro usos para ganhar alguma complexidade, quando é finalmente engarrafado e liberado ao mercado. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração rubi violácea de grande intensidade com bom brilho e limpidez. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente coloridas também se faziam notar.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos, folhas de chá, especiarias, baunilha e algo de floral.

Na boca o vinho apresentou corpo médio, boa acidez e taninos redondos. O retrogosto confirma o olfato e o final era de longa duração.

Mais um bom vinho italiano provado por aqui, que apresentou um bom custo benefício e apresentou, ao menos pra mim, uma nova denominação Toscana. Eu recomendo a prova.

Até o próximo!