quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Stellenrust Chenin Blanc 2016

Hoje no Balaio iremos falar de um vinho oriundo de um país que não é muito comentado por aqui mas que sempre trás boas surpresas com castas pouco usuais, também. Estou falando do Stellenrust Chenin Blanc 2016, um vinho sulafricano da região de Stellenbosch que impressionou por aqui. Vamos ver o que descobrimos sobre ele?


A Vinícola Stellenrust foi fundada em 1928 e já produziu alguns dos mais excelentes vinhos de qualidade que a região de Stellenbosch da África do Sul pode oferecer. Consiste em cerca de 400ha (200 ha plantadas), das quais a metade fica localizada sobre a área do Triângulo Dourado de Stellenbosch, reconhecida internacionalmente por alguns dos melhores vinhos tintos da África do Sul. A outra metade situa-se no alto das Montanhas Bottelares, conhecida pelo seu clima fresco e brisas do mar da tarde, saindo da Cidade do Cabo para nutrir os excelentes vinhos brancos e tintos. A Stellenrust orgulha-se hoje de ser uma das maiores propriedades vinícolas de propriedade familiar da África do Sul, gerando gerações de habilidades de vinificação e o legado de nosso lema "onde a excelência cumpre a vinificação" apresentada em cada garrafa.

Falando especificamente sobre o Stellenrust Chenin Blanc 2016, podemos ainda afirmar que o vinho é feito com uvas 100% Chenin Blanc de vinhas com idade variável, mas não menores de 30 anos e até 42 anos de idade. Cerca de 12% do vinho é fermentado em barricas de carvalho francês de 3º e 4º usos (o restante é fermentado em tanques de aço inoxidável). Após este processo, ambas as porções são mantidas por 5 meses em seus respectivos recipientes em contatos com as leveduras até o blend e finalização. Nos resta portanto, falar sobre as impressões a cerca deste vinho.

Na taça o vinho apresentou coloração amarelo palha com reflexos verdes com excelente brilho e limpidez.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos cítricos e tropicais (como limão siciliano, pera, manga e outros) além de um delicioso toque mineral, quase salino.

Na boca o vinho mostrou corpo médio aliado um excelente frescor. O retrogosto confirma o olfato e o final era de longa duração.

Me parece que Chenin Blanc é algo que os vinicultores da África do Sul fazem muito bem, e este não é exceção. Muito Fresco, vibrante e com muita fruta, impressionante e convidativo. Eu recomendo a prova. É trazido pela Winebrands e vale o quanto custa.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário