segunda-feira, 23 de abril de 2018

Los Intocables Black Malbec 2016

No último dia 19 de abril tivemos a comemoração do Malbec Day em São Paulo, na Casa Traffo, evento este que acontece em diversos países, onde a Wofa - WINES OF ARGENTINA - exalta a uva ícone do país. Durante o evento foram abordados obviamente vinhos da uva Malbec e alguns outros. A celebração trouxe aos apreciadores e amantes dos vinhos, um evento descontraído, com música, food trucks, e com diferentes comidas para harmonizar com os diversos estilos de vinho que cada vinícola oferecerá para degustação. Como é de praxe por aqui resolvei trazer um destaque pessoal, um vinho que se sobressaiu neste mar de Malbecs que foi o Los Intocables Black Malbec 2016 da Finca Las Moras.


Criada em 1992 como uma vinícola experimental, a Finca Las Moras, após anos de estudos e experimentos, se transformou no primeiro produtor de vinhos de alta qualidade da região de San Juan, localizado ao norte de Mendoza, na Argentina. Seu nome provém de árvores que produzem um fruto chamado "mora" e que cercam a região da vinícola. Liderados pelo enólogo Eduardo Casademont e com uma proposta inovadora de redescobrir essa região, essa vinícola premiada como a melhor da Argentina em 2013 pela IWSC (International Wine & Spirit Competition), tem como objetivo produzir vinhos de qualidade e estilo internacional respeitando a natureza e aplicando práticas sustentáveis.

Falando um pouco especificamente sobre o Los Intocables Black Malbec 2016, podemos ainda dizer que o mesmo é feito a partir de uvas Malbec cuidadosamente selecionadas, com um rendimento muito baixo de cachos por planta e, vejam que curioso, passando por um processo de produção inovador, que contempla uma maturação do vinho de 12 meses em barricas de carvalho Bourbon. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração violácea de grande intensidade com bom brilho e limpidez. Lágrimas finas, rápidas e bem coloridas também se faziam notar.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos vermelhos em compota, chocolate, caramelo, fumaça e algo de flores. No fundo de taça também notei notas torradas.

Na boca o vinho se mostrou encorpado com boa acidez e taninos bem redondinhos. O retrogosto confirma o olfato e o final era longo e saboroso.

Um vinho que soube aliar muita elegância e complexidade a já conhecida pujância do Malbec argentino. Eu recomendo a prova.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário