quinta-feira, 11 de julho de 2019

Quanto maior a sua educação, mais você gasta em álcool

É importante ser sempre inteligente em relação ao consumo de álcool - mas e quanto a ser mais "estudado" sobre o consumo de álcool? Alguns dados recentemente publicados sugerem que, de fato, pessoas com níveis mais altos de educação, como os de nível superior, gastam significativamente mais em bebida do que aquelas que nunca terminaram o ensino médio.


Nesta semana, o Visual Capitalist forneceu sua análise de “Como os americanos ganham e gastam seu dinheiro, por nível educacional”. O site analisou os ganhos e gastos de quatro grupos - não graduados nem no ensino médio, diplomados do ensino médio, bacharéis, e aqueles com pós-graduação - usando dados retirados do Bureau of Labor Statistics e compilados visualmente por Engaging Data. Embora os gastos sejam divididos em cerca de 20 categorias, como aqui o assunto é vinho e comida, nos dedicamos especialmente ao consumo de álcool - e os números revelam que à medida que aumenta o nível de educação não só aumenta o consumo de álcool ( o que faria sentido, uma vez que os níveis de renda também aumentam), mas a proporção de renda que as pessoas gastam com o álcool aumenta também.

O gasto médio das famílias para aqueles sem um diploma do ensino médio é de aproximadamente 28 mil dólares, e este grupo gasta 102 dólares por ano em álcool ou apenas 0,4 por cento do seu orçamento total, de acordo com os dados. Para graduados do ensino médio, isso vai até US $ 276 e 0,8 por cento dos gastos. Mas para as famílias com diplomas de bacharel, as despesas anuais com álcool saltam para US $ 760, ou 1,2% de seus gastos médios anuais de US $ 63.373. E para as famílias com mestrado ou superior, as despesas com bebida alcoólica estão listadas em US $ 992 por ano. Isso equivale a cerca de US $ 19 por semana, ou dinheiro suficiente para comprar uma garrafa decente de vinho todo fim de semana.

Embora nenhuma explicação seja fornecida a respeito de porque essa correlação pode existir, a NBC News aponta que, além de renda mais alta, as médias também poderiam ser afetadas pelo fato de que níveis mais baixos de educação se correlacionam com menos bebida em geral. Um relatório de 2015 da Gallup descobriu que oito entre dez graduados em faculdades disseram que bebem ocasionalmente, em comparação com apenas metade dos entrevistados com apenas o ensino médio. Mas em defesa daqueles no ensino superior, tenho certeza que é impossível escrever uma dissertação sem um gole.


Matéria original em https://www.foodandwine.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário