quarta-feira, 11 de agosto de 2010

E alguém sentiu saudades do Dunga ou do Felipe Mello?

Ontem foi um dia de estréias para a seleção brasileira de futebol. Do técnico a aproximadamente 10 jogadores que nunca estiveram com a camisa amarelinha. E olha que pelo pouco que pude acompanhar, culpa da emissora de TV que comprou os direitos de transmissão do jogo mas simplesmente resolveu que só iria transmitir em seus canais por assinatura, foi uma estréia de gala assim podemos dizer.

Este novo ciclo da seleção nacional teve início com uma bela vitória por 2 x 0 diante de uma bem postada e entrosada seleção americana. A nossa seleção, depois de um início um tanto quanto nervoso, mostrou um bom futebol, jogadas rápidas pelas pontas e muita alegria em jogar futebol, alegria esta que parecia perdida no ciclo anterior que culminaria com a elminição nas quartas de finais de copa do mundo diante de uma pragmática Holanda.Grande parte disso se deu devido a utilização do trio entrosado e inspirado formado por Paulo Henrique Ganso, Neymar e Robinho (jogaram juntos no Santos) juntamente com o "intruso" Pato. Além disso a grata surpresa do zagueiro David Luiz , do sempre regular André Santos na lateral esquerda além da sempre segura atuação de Thiago Silva completaram o "pacote".

É claro que o jogo foi apenas um amistoso e muito pouco para julgar o início de trabalho de Mano Menezes a frente da seleção brasileira, com o primeiro grande desafio já com data marcada: Copa América de 2011 na Argentina. Mas é bom saber que o futebol brasileiro é muito mais do que foi apresentado durante a Copa da África durante os meses de junho e julho ultimos. Mas é notória a mudança de filosofia e de trabalho aplicados por Mano Menezes. No final das contas, uma única crítica que se pode e deve ser feita é quanto ao desperdício de diversas oportunidades sobretudo no segundo tempo, onde o Brasil poderia ter saído com uma goleada expressiva. De qualquer maneira, o futuro parece muito promissor.

É ver para crer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário