quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Qual a diferença entre barris de carvalho francês e americano?

Eu sempre tive esta curiosidade e aposto que muitos de meus leitores também a tem. Estava outro dia lendo artigos e notícias relacionadas a vinho pela rede quando me deparei com este pequeno artigo que, apesar de não satisfazer 100% a nossa curiosidade, pode ajudar a começar a entender um pouco melhor tal diferença. Espero que gostem e que as informações aqui contidas vos sejam úteis.

"A primeira diferença é bastante óbvia: barris franceses são feitos de carvalhos cultivados na França e barris americanos são feitos a partir de árvores de carvalho cultivadas nos Estados Unidos. Para ser mais específico, as duas espécies de árvores de carvalho usados ​​principalmente para barris na França são Quercus robur e Quercus sessiliflora, enquanto na América, o carvalho é tipicamente usado Quercus alba. Falando em traços largos, barris de carvalho francês são conhecidos por dar ao vinho notas mais sutis e picantes (especiarias), com texturas mais sedosas. Já os barris americanos tendem a ser mais potentes no seu sabor, muitas vezes descritos como aportando notas de baunilha e coco, com uma textura mais cremosa aos vinhos.

Dito isto, uma série de variáveis ​​podem afetar como o barril irá influenciar um vinho. Existem diferentes produtores de barril e diferentes níveis de "torra", que se refere ao aquecimento do interior da madeira para a moldagem da mesma. A influência também depende de como os barris são utilizados. Alguns vinhos são envelhecidos em barris por alguns meses, outros por alguns anos. Barricas mais novas (geralmente de primeiro e segundo uso) são mais fortes, enquanto barris mais velhos (terceiro e demais usos) são mais neutros. Muitos enólogos usam uma variedade de barris, incluindo uma mistura de francês e americano, ou barris de outras fontes, como a Hungria e Eslovênia."

E ai, será que ajuda a começar a entender as pequenas diferenças em seus vinhos quando sabemos qual tipo de madeira é aplicada no vinho? Você tem alguma coisa a acrescentar? Me ajudem a enriquecer o post colocando seus comentários ai embaixo do post!

Até o próximo

Matéria traduzida e adaptada de www.winespectator.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário