segunda-feira, 3 de abril de 2017

Oxford Landing Estates Shiraz 2011

O post de hoje inaugura uma série de 3 postagens até certo ponto comparativas em que a estrela é a uva Syrah. Escolhemos 3 países diferentes que plantam a uva e resolvemos fazer este mini comparativo. Vale ressaltar que os três vinhos vem de países considerados Novo Mundo quando falamos de vinhos. Vamos ver o que temos por aqui hoje na postagem inicial?


A vinícola Oxford Landing Estates está situada nas margens do majestoso rio Murray, no sul da Austrália. O vinhedo Oxford Landing tem o nome de um local próximo onde os uma vez foi palco de pastoreio e criação de ovelhas. Hoje é o lar de um bando leal de pessoas da terra que se orgulham muito em fazer vinhos de qualidade, apreciado em todo o mundo. Embora possuam 650 acres de vinhas, o pessoal da Oxford Landing teima em agir como um vinícola de pequeno porte. E sabem por que? Eles micro-gerenciam 130 blocos de cinco acres cada como se fossem ecossistemas separados, por isso se tornaram intimamente familiarizados com cada bloco e podem dar as uvas exatamente o que elas precisam para alcançar o seu melhor. A abordagem de "pequena escala" continua na adega com métodos normalmente reservados para a vinificação boutique. Assim sendo, todos seus vinhos são engarrafados na adega própria, garantindo um ciclo completo do vinhedo ao engarrafamento a fim de garantir a qualidade exigida em cada garrafa.

Já sobre o Oxford Landing Estates Shiraz 2011 podemos ainda acrescentar que é um vinho feito com uvas 100% Shiraz (Syrah, como também pode ser grafada) com passagem de 12 meses em tanques de aço inox antes de ser engarrafado e liberado ao mercado. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou coloração rubi violácea de grande intensidade, bom brilho e limpidez. Lágrimas finas, espaçadas e coloridas também se faziam notar.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutos escuros maduros, especiarias, flores, chocolate e leve toque defumado.

Na boca o vinho apresentou corpo médio, uma suculenta acidez e taninos macios. O retrogosto confirma o olfato e o final era de média para longa duração.

Um ótimo vinho Syrah australiano que degustamos por aqui, que fez com que nossa série de degustações desta uva em diferente locais começasse com  o pé direito! Mal posso esperar pelos próximo capítulos.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário