quinta-feira, 7 de maio de 2009

Só o gordo salva!

Falar, ou melhor, escrever sobre as características, qualidades e superações pelas quais o atacante Ronaldo Fenômeno passou em sua carreira, e pq não na sua vida, é como diz a velha expressão, chover no molhado. Por isso não vou ficar aqui reescrevendo tudo que a imprenssa em geral tem escrito sobre ele, mas sim um relato de um fã, corinthiano roxo e amante do futebol.

Inegavelmente ele está, para ser gentil, um nível acima de qualquer jogador em atividade no futebol brasileiro. É visível que em todo jogo decisivo que o Corínthians tem passado se não é por seu poder decisivo e pontaria como atacante, o Corínthians iria passar grandes sufocos. Ficaria difícil imaginar um time que dependeria das soluções que Souza, Dentinho ou mesmo Lulinha teriam diante das situações pelas quais Ronaldo saiu com genialidade e habilidade habituais.

O jogador que já foi considerado ex-jogador em atividade, baladeiro, gordo e acabado para o futebol, mesmo não mostrando a mesma forma dos áureos tempos de PSV e Barcelona tem sido o melhor homem em campo em todo jogo que tem participado pelo Corínthians. Podem inclusive vir com o papo de invejoso de que os zagueiros tem aliviado para o seu lado, de que existem complôs de arbitragem e proteção pela equipe e diretoria do clube para com o atleta mas é visível que sua habilidade tem feito a diferença.

Como já havia dito anteriormente, sempre fui fã do atacante e nem em meus melhores sonhos, imaginaria que ele viria a jogar no meu time de coração e ainda mais para ser tão decisivo como tem sido em sua até aqui breve passagem pelo time de Parque São Jorge. Isso só tem me enxido de orgulho e me fazendo ser cada vez mais fã do atacante.

Mas, não podemos esquecer de que o time do Corínthians atingiu um conjunto invejável nas mãos do treinador Mano Menezes e como corinthiano, dou o braço a torcer, pois sempre fui crítico do medroso treinador quando começou sua epopéia no Corínthians. É um time homogêneo, compacto e com marcação muito forte, conforme as tradições quase centenárias do clube. E mais, o técnico soube montar o time pra jogar em função de sua principal arma.

Devemos sim dar créditos a muralha Felipe e Chicão, aos incansáveis Cristian e Alessandro e outros que tem dado o sangue para que Ronaldo consiga marcar seus gols. E vocês amigos corinthianos, o que acham?

Nenhum comentário:

Postar um comentário