sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Os vinhos realmente sofrem um "tranco" com a viagem?

Mais uma da série curiosidades sobre o vinho. Todos já nos deparamos com esta questão, ao menos uma vez, seja por experiência própria ou leituras sobre o assunto. Seria realmente necessário colocarmos os vinhos para um período de descanso após traze-los em uma viagem ou mesmo quando compramos on-line ou por telefone e os mesmos são entregues seja pelo modal terrestre, aéreo ou marítimo? Bom, outro dia estava lendo uma revista especializada em sua seção de perguntas e respostas e veja o que eles disseram:

"Consideramos o "Bottle Shock" (às vezes chamado de "bottle sickness") uma preocupação legítima para os vinhos que acabaram de ser engarrafados, ou que apenas viajaram, ou ambos. Há uma abundância de evidências anedóticas e histórias de amantes do vinho que tenham sofrido com um vinho que parecia flácido/mole por um período de tempo após uma viagem. Mais frágeis, os vinhos mais velhos parecem ser mais suscetíveis a esta condição, ao passo que os vinhos mais jovens e mais robustos seriam menos suscetíveis. O que uma viagem pode fazer a um vinho? É quase como o jet lag que judia dos amantes do vinho quando viajam de avião e mudam muito de fuso horário, por exemplo. Realmente não há qualquer evidência científica sobre o assunto, apenas uma teoria de que o movimento e o calor podem destacar todos os elementos diferentes do vinho, como os compostos fenólicos e os compostos químicos e tal. Esperamos que você possa deixar os vinhos que foram recentemente enviados para você descansar por alguns dias ou algumas semanas antes de abri-los.

Como não há maneira científica para medir como um vinho vai se mostrar pra o consumidor ou se houve algum efeito do bottle shock, este é o máximo que podemos te esclarecer. Uma vez que o vinho chega à sua casa, faça o seu melhor para mantê-lo imóvel e nas condições ideais de armazenamento como temperaturas constantes e frias, longe da luz, calor e vibração. Mesmo nos casos mais graves de bottle shock que já vivenciamos, o vinho estava bom duas semanas depois."

Agora deixo para vocês leitores me relatarem suas experiências e opiniões sobre o bottle shock.

Até a próxima!

2 comentários:

  1. Victor,
    já tomei vários vinhos logo a seguir de viagens e nunca percebi nada errado. Todos eram vinhos jovens.

    Abs

    ResponderExcluir
  2. Prezado amigo do blog Leigo Vinho, sabe que eu não sei se fora por causa da viagem ou de toda ambientação envolvida, mas uma vez eu trouxe um vinho em uma viagem ao Uruguai, e o vinho quando degustado em casa, mesmo que com algum tempo de guarda, me pareceu diferente. Evidentemente muita coisa estava envolvida, mas eu fiquei com uma pulguinha atrás da orelha.

    Obrigado pela visita e continue conosco!

    Abs.

    ResponderExcluir