segunda-feira, 8 de março de 2010

Alcoolismo e futebol combinam?

Não é mais novidade para ninguém que Adriano, centro avante do Flamengo, tem problemas sérios de depressão e alcoolismo. Porém sua volta ao futebol brasileiro, que anda bem fraco é verdade (salvo exceções), fez com que isso fosse mascarado perante suas aparentes boas atuações e gols frequentes. Até ontem.

Em uma entrevista  do vice presidente do Flamengo ao apresentador Milton Neves neste domingo, tudo foi escancarado de novo. Depois de uma briga em um baile funk com sua noiva, Adriano voltou a faltar a treinos do Flamengo e se entregar a bebida, tanto que não está relacionado nem para a partida do rubro negro pela libertadores em Caracas. Dizem por ai que está refugiado em uma mansão em Búzios no momento.

Outro jogador que teve sua queda de rendimento relacionado ao consumo excessivo de álcool foi Ronaldinho Gaúcho, que passou um ou dois anos encostado no Barcelona, envolto em "baladas", mulheres, e muita, mas muita bebida. Espalhavam-se boatos pela internet de que ele mal conseguia ficar de pé em alguns treinamentos, e por isso não rendia o mínimo esperado dele.

Mas a questão é muito maior e diz respeito a estrutura (falta de estrutura na verdade) que estes jovens tem no início de suas carreiras e ao longo das mesmas. Acompanhamento psicológico quando existe, está restrito a poucos grandes clubes no Brasil e basicamente está ligado ao departamento profissional dos clubes, sendo que a base fica muitas vezes a mercê de treinadores despreparados.Outro problema recorrente é o assédio sexual que muitos jovens das categorias de base de alguns times brasileiros sofrem quando ainda crianças/adolescentes e que acarreta uma marca muito grande em sua formação e carácter. E olha que só estamos falando de times conhecidos do futebol brasileiro e mundial, mas o que não deve acontecer nos pequenos clubes espalhados principalmente por esta imensidão chamada Brasil?

Mesmo diante destes fatos não podemos justificar o erro de tais jogadores que se dizem profissionais e ganham rios de dinheiro para fazer aquilo que mais gostam e que tem prazer: jogar futebol. Estes atletas ficam nos hotéis mais caros, treinam uma ou no máximo duas vezes ao dia, tem os melhores profissionais da saúde a seu dispor entre outros mimos.

Fica ai aberto o canal de comentários do blog para a discussão sobre o assunto, sua opinião é sempre bem vinda. Que atitude devem o Flamengo e a Seleção Brasileira tomar diante do que vem acontecendo com o jogador Adriano? Escrevam!

Nenhum comentário:

Postar um comentário