segunda-feira, 5 de julho de 2010

Viagem a NY - Parte II

Hoje gostaria de falar um pouco sobre a companhia aérea que eu utilizei nesta viagem, a Delta Airlines. É claro que, como entusiasta e profissional da aviação, não poderia deixar de fazer um post exclusivo para falar da companhia aérea. É evidente que a escolha da companhia aérea se deu primeiro no preço, afinal era uma viagem de férias e eu tentei economizar nesta ocasião, mas usando desta premissa pude escolher uma companhia aérea e um equipamento que ainda não tinha voado: o 767.

Primeiramente, é bom que se fale que a experiência com a Delta não foi de toda agradável. O equipamento utilizado no vôo São Paulo - NY era um 767 já bem surradinho e pouco confortável. Infelizmente por um lapso acabei não tomando nota da matrícula nem número de série do avião. Não que o pitch entre as poltronas fosse muito diferente do que estamos habituados mas eu penso que o conforto oferecido pelas poltronas dos A330 da TAM, por exemplo, é muito maior. Outro ponto desfavorável é a não existência de equipamentos individuais de entretenimento de bordo, somente os velhos monitores espalhados ao longo da cabine do 767. Um ponto favorável entretanto é que os bins eram bem espaçosos e deram conta de toda bagagem de mão, mesmo na perna de volta onde todos voltavam com milhares de malas a mais do que as utilizadas na ida, fenômeno comum nos vôos Brasil - EUA. Mas o que realmente me decepcionou de forma muito grande foram os atrasos ocorridos em ambas as pernas, uma hora na ida e mais de duas horas na volta. E engraçado ver que os brasileiros gritam e esperneiam quando este tipo de situação acontece no Brasil e companhias locais ao passo que quando isto ocorre nos EUA ou mesmo com uma cia americana a reação é totalmente diferente. Vale ressaltar que a Delta possui um terminal dedicado no aeroporto JFK em NY e com isso, pelo menos o checkin/despacho de bagagem e posterior embarque se torna bem mais ágil e facilitado, uma coisa que poderia acontecer por aqui se tívessemos aeroportos decentes. As refeições eram somente corretas, com destaque ligeiramente negativo para os cafés da manhã, com um simples pão com ovo e queijo e uma fruta, além de bebidas a escolha. Já os jantares eram mais "encorpados" apresentado duas opções e com um pouco mais a apresentar.

No frigir dos ovos, um vôo de pouco mais de 9 horas pode se tornar um pouco chato e demasiadamente longo caso assim como eu, você tenha dificuldades para dormir, mesmo vindo de uma viagem cansativa onde você andou muito e curtiu cada minuto. Mas a título de curiosidade, a escolha pela Delta valeu também...

Nenhum comentário:

Postar um comentário