sexta-feira, 22 de julho de 2016

Joel Gott 815 Cabernet Sauvignon 2013

Em minha recente viagem aos EUA eu provei um vinho em um restaurante o qual eu gostei bastante e resolvi trazer uma garrafa pra casa pra curtir com minha esposa, ciente de que ela também gostaria de prova-lo. O único porém, se é que podemos falar assim, é que eu não consegui segura-lo muito tempo na adega e já colocamos ele a prova. Estou falando do Joel Gott 815 Cabernet Sauvignon 2013.


A Joel Gott Wines foi fundada em 1996 com a produção do seu vinho icônico, Amador County Zinfandel. Joel tinha comprado cinco toneladas de uvas de um vizinho de infância, Tom Dillian, e fez o vinho com a então namorada Sarah, uma enóloga no Napa Valley. A subsequente safra de 1997 do Dillian Ranch Zinfandel marcou não só o casamento de Sarah e Joel, mas também os primeiros comentários significativos do vinho em publicações respeitadas. O sucesso da safra 1997 possibilitou a Joel comprar uvas a partir de doze diferentes vinhedos em todo o norte da Califórnia, em 1999. Joel e Sarah originalmente tinha a intenção de produzir somente vinhos Zinfandel single vineyard com estas uvas, mas concluíram durante degustações que o vinho ficava muito mais equilibrado quando em um blend. Eles ajustaram seus planos e lançaram seu primeiro California Zinfandel, que esgotou em uma semana. Enquanto isso, Sarah ganhou mais experiência de vinificação, produzindo blends de Cabernet reconhecidos na vinícola onde ela trabalhava. A sua experiência com blends de Cabernet levou à produção do primeira Joel Gott Cabernet, em 2003. O próximo projeto de Joel era um Sauvignon Blanc californiano, a terceira adição ao portfólio de vinhos. Os vinhos carros chefe agora incluem um California Zinfandel, California 815 Cabernet, California Sauvignon Blanc, Monterey Chardonnay sem barrica e um Washington Riesling.

Falando agora sobre o Joel Gott 815 Cabernet Sauvignon 2013, podemos incluir na nossa conversa que é um vinho feito 100% com uvas Cabernet Sauvignon de vinhedos espalhados pela Califórnia, de diversas apelações tais como Napa Valley, Sonoma County, Lodi Lake County, Paso Robles e Monterey County. Os lotes de cada vinhedo são vinificados separadamente e envelhecidos em barricas de carvalho americano (25% novas) por até um ano, passando por constantes provas a fim de se efetuar o blend final quando os vinhos individuais estiverem no seu ápice. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma bonita coloração violácea de grande intensidade com bom brilho e limpidez. Lágrimas mais ou menos finas, ligeiramente mais lentas e coloridas se faziam notar.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutas vermelhas, especiarias, café com leite e tostado.

Na boca o vinho mostrou corpo médio para encorpado, boa acidez e taninos firmes e presentes. O retrogosto confirma o olfato e o final era longo e saboroso.

Confirmei minha primeira impressão sobre este bom vinho americano. Valeu a pena tê-lo trazido. Eu recomendo a prova.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário