terça-feira, 20 de outubro de 2009

Rio de Janeiro Olímpico..

Neste final de semana todos pudemos assistir a mais uma cena, cotidiana diga-se de passagem, de barbárie na cidade do Rio de Janeiro. Um helicóptero da policia militar do Rio de Janeiro foi abatido por artilharia anti aérea dos traficantes dos morros/favelas da cidade, vitimando dois soldados da corporação. Além disso, todos ficamos aturdidos com fotos de policiais, fuzis, pessoas comuns, idosos e crianças diante de uma verdadeira guerra civil que se instaurou na disputa pela "liderança" do tráfico nos morros do Rio.

Tais fatos, não de maneira isolada, mas na conjuntura dos fatores sócio-econômicos atuais da cidade e do país em um geral, só tem denegrido ainda mais a imagem do país perante aos meios de imprensa ao redor do mundo. Todos estes veículos querem, e não precisam se esforçar muito, colocar muito medo em todos os turistas/visitantes que um dia vislumbraram a possibilidade de visitar o Rio durante o período dos Jogos Olímpicos (ou mesmo uma visita ao país durante a Copa do Mundo de 2014). E é evidente que nossas autoridades começam a demonstrar apreensão em suas recentes declaração contundentes de que a mídia está só se aproveitando da situação para tentar mudar a imagem que o Brasil tem mundo afora. Parece que nossas autoridades estão arrumando um modo de fuga da realidade que assola o país.

Já é possível se ver pessoas, jornalistas, autoridades e outros que começam a defender um plano emergencial semelhante ao utilizado durante o Pan Americano de 2007 no mesmo Rio de Janeiro (sendo que este Pan Americano não serve de parâmetro para nada), onde o exército e a força nacional de segurança ocuparam as ruas e garantiram até certo modo a segurança de atletas, jornalistas, turistas e moradores do local. E não é para menos, tendo em vista que o que aconteceu neste final de semana no Rio foi apenas uma gota num oceano de insegurança que assola o pais do Oiapoque ao Chui.

Este é apenas mais um dos motivos pelos quais, a pouco tempo atrás, me coloquei contra a organização dos jogos no país. Temos ainda muitos problemas estruturais a arrumar antes de alçarmos vôos mais altos como a organização de um evento esportivo de tal porte. Setores como educação, saúde, transporte público, moradia caminham juntos com a falta de segurança neste país. Vamos ver quantos outros motivos irei relatar aqui neste espaço até a data dos jogos no país, se estes realmente vierem a se tornar realidade um dia....

Nenhum comentário:

Postar um comentário