terça-feira, 13 de outubro de 2009

Viva o Brasil, país "Olímpico"

Depois me perguntam ainda o por que de eu ser contra as olímpiadas de 2016 no Brasil, um país sem política para o esporte e muita coisa ainda por fazer em todos os campos (saúde, educação, cidadania, transportes, etc.). Postagem/matéria retirada do Blog do Boleiro, do site Terra e escrita por Luciano Borges.

Encontro pode determinar o desemprego de Maurren Magi e cerca de 20 atletas


Uma reunião nesta quarta-feira pode definir o fim do apoio da Rede Atletismo ao último grupo de atletas de alto rendimento que ainda tem vínculo com a equipe de Bragança Paulista. Entre os nomes conhecidos, estão os da saltadoras Maurren Higa Maggi e Keila Costa.

O presidente Jorge Queiroz de Moraes Júnior vai conversar com o técnico Nélio Moura. Há pouca esperança de que ele e cerca de 20 atletas que se transferiram no ano passado, continuem sob contrato.

Nas conversas que os dois tiveram nos últimos 30 dias, Jorge se mostrou decepcionado com os casos de doping envolvendo os velocistas orientados pelo treinador Jayme Netto Jr.

O fundador do Rede já tinha anunciado o fim desta ala do projeto no início de agosto. Mas deixou aberta uma possibilidade: “Estou com muita coisa na cabeça para dar uma palavra definitiva. Com certeza, pelo menos o investimento vai diminuir”, disse na ocasião.

Jayme assumiu a culpa pelo maior escândalo de doping da história do atletismo brasileiro. Pouco antes do Mundial de Berlin, seis atletas foram pegos no exame anti-doping com a substância EPO, cinco deles orientados pelo treinador.

O investimento feito por Jorge Queiroz, um ex-atleta com títulos como juvenil que se tornou empresário bem sucedido na área de energia elétrica, foi de cerca de R$ 7 milhões. A pista de Bragança tem certificado da IAAF (Federação Internacional de Atletismo)

Depois de Pequim, no ano passado, o Rede Atletimo trouxe Nélio, Maurren, Keyla e atletas de nível olímpico como Jefferson Sabino, Rogério Bispo e Gisele Oliveira. Todos tinham contrato com a BM&F, que venceu na classificação geral do último Troféu Brasil, mas desta vez foi acossada pelo Rede.

Medalhista de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim, Maurren se recupera de uma cirurgia no joelho. Ela foi a principal estrela contrata pelo Rede Atletismo. Agora, enquanto faz fisioterapia e se prepara para retornar em 2010, a saltadora poderá ficar sem clube. “É uma possibilidade para todos nós”, admitiu Nélio Moura.

Um terço deste grupo é integrado por jovem abaixo da categoria Sub-23. São promessas para Londres em 2012 e Rio em 2016. O Rede Atletismo pretende continuar com o projeto para revelar jovens valores. Hoje, o projeto mantém 49 atletas de todo o país na sua equipe de formação.


Nota do Balaio: Precisa dizer mais alguma coisa? Eu ainda postarei, daqui até sabe-se lá quando este blog estiver de pé, mais motivos pelos quais sou contra a Copa de 2014 e Olimpíadas 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário