terça-feira, 1 de março de 2011

Apresentação Viña Pérez Cruz na Bacco's

Nesta segunda feira alagada em São Paulo fui agraciado com uma oportunidade excelente: recebi um convite através do Marcelo Di Morais, blogueiro e apresentador do programa bomdivinho, para participar da apresentação da vinícola chilena Perez Cruz na loja Bacco’s. Os vinhos estão sendo trazidos ao Brasil agora pela importadora abflug, cujo portfólio ainda restrito mostra que o trabalho é galgado em vinhos de muita qualidade. A oportunidade de conversar com muitas pessoas que conhecem vinhos, que trabalham na área e mais, com o enólogo que trabalha na vinícola é inexplicável. Graças a deus consegui chegar ao local alguns minutos antes do horário marcado, sendo recebido com uma bela taça de prosseco di baco e uma bela mesa de frios. Falarei um pouco sobre o evento e sobre a viña nos próximos parágrafos.

A vinícola Pérez Cruz é um projeto de família, imaginada em memória ao patriarca por sua esposa e seus onze filhos. Os vinhedos da Perez Cruz se encontram no Vale do Maipo, a 45 km a sudeste da capital Santiago aos pés da Cordilheira dos Andes. O clima pode ser considerado mediterrâneo onde temos chuvas no inverno com temperaturas baixas moderadas e um verão quente e seco. A influência da cordilheira se faz sentir nas correntes mais frias que ajudam a resfriar os vinhedos durante o verão principalmente, onde podemos ter deltas de temperatura de até 15o C. Solos aluviais provenientes de águas de degelos dos Andes, muito pedregosos e de boa drenagem fecham o “pacote” do terroir envolvido. Todas essas características fazem com que a propriedade consiga uma excelente maturação de suas uvas. A bodega optou por trabalhar somente com uvas e vinhos tintos, o que se mostrou acertado dada a qualidade de seus vinhos.

A palestra foi marcada por uma breve apresentação da vinícola por parte do enólogo Pablo Fuentes, que falou sobre a vinícola, localização, uvas plantadas, a propriedade e afins. Depois, entrou na linha de vinhos com a qual a vinícola trabalha, fazendo uma degustação crescente, desde a linha mais básica aos vinhos ícones da vinícola, no caso o Liguai e o Quelen. A medida com que degustávamos os vinhos tinhamos espaço para trocar idéias e impressões entre nós e com o enólogo. Além disso, Rodrigo o sommellier da loja, sempre muito solícito esteve presente a todo momente e fez questão de degustar junto conosco os vinhos, mesmo já os conhecendo. O ambiente era muito agradável e todos participaram ativamente da degustação.

Os vinhos eram, na ordem da degustação:

1 – Perez Cruz Cabernet Sauvignon: composto por 91% de uvas cabernet sauvignon, 6% merlot, 2% Syrah e 1% de Carmenere (apesar de ser vendido como varietal cabernet) este vinho é um pouco diferente dos cabernets sulamericanos tradicionais, mais leve e muito frutado, lembrando ainda pimenta e leve tostado ao fundo ainda com seus taninos muito redondos. Apesar dos 14,5% de álcool esta potência não era sentida em boca;

2 – Perez Cruz Limited Edition Côt: composto por 91% de uvas cot (malbec) , 4,4% de carmenére e 4,3% de Petit Verdot este vinho também é diferente de seus parentes argentinos e não é aquela porrada na boca. Com lembranças de especiarias e frutos negros mais maduros, tem aquele aroma de violeta característico da casta tendo ainda uma excelente acidez, que dava sustentação pro extrato em boca;

3 – Perez Cruz Limited Edition Carmenére: composto de 92% de uvas carmenére, 5% de Syrah e 3% de Petit Verdot este vinho apresentou aquela picância característica da casta no nariz, lembrando pimenta, além do fundo especiado e frutas vermelhas quase em compota. Mais encorpado que os anteriores, se mostrou muito gastronômico também de seu frescor proveniente de sua boa acidez e leve mineralidade, atrelada ao terroir (segundo o enólogo). Aliás, todos vinhos apresentaram em maior ou menor intensidade, traços minerais. Foi um dos pontos altos da noite, em minha modesta opinião;

4 – Perez Cruz Limited Edition Syrah: composto por ....este vinho não estava previsto na degustação, mas atendendo a pedidos do enólogo foi incluido. Este vinho recebeu 92 pontos de Robert Parker e mostrou a potência da casta. Muito gastronômico este vinho trazia lembrança de frutos negros maduros sobre um fundo especiado me lembrando pimenta branca e ainda chocolate. Final longo e extremamente elegante este vinho também agradou muito;

5 – Liguai: composto por uvas Syrah (43,5%), cabernet sauvignon (34,8%) e carmenére (21,7%) este corte é o primeiro vinho top da casa. Trás no nariz aromas de frutos vermelhos maduros, pimenta, algo vegetal e chocolate/café. Muito corpo, taninos sedosos, redondos e com um final longo e persistente mostram um vinho pronto pra beber mas tb com certo potencial de guarda;

6 – Quelen: composto por uvas petit verdot (44%), carmenére (29,7%) e cot (25,9%) este corte pouco usual por possuir maior porcentagem de petit verdot quase lembra um bordeaux tamanha sua elegância. Mesmo tendo ficado no decanter por duas horas, seus aromas começam de forma muito discreta. Aos poucos se revelam nuances de  frutas vermelhas, especiarias, um pouco de tabaco e claro aquele toque mineral característico da vinícola. Tudo muito sutil e elegante, assim como os taninos finos e sedosos, quase doces. Final longo, persistente e muito frutado. Claro que foi o mais aclamado ao final da noite. Detalhe: este vinho recebeu 94 pontos Parker.

Vinhos de muita qualidade, pessoas muito bacanas e um local extremante elegante fizeram da noite chuvosa e alagada de segunda feira uma noite muito agradável e de aprendizado, como o vinho deve ser. Mais uma vez gostaria de agradecer ao Marcelo pela dica e a Luiza, gerente da Bacco’s, pela atenção durante a degustação. Espero ter a oportunidade de muitas outras pois a loja é muito séria, conta com excelentes profissionais e trata o cliente de uma forma muito agradável.

Quem quiser maiores informações sobre a loja, a vinícola ou do próprio Marcelo, os links seguem abaixo:
www.baccos.com.br
www.marcelodimorais.com.br
www.perezcruz.com

Saúde!

Nenhum comentário:

Postar um comentário