segunda-feira, 11 de abril de 2011

Bottle Shock

Continuando com meus estudos relacionados ao mundo do vinho era de se esperar que eu procurasse alguns filmes que se tornaram “must see” para os aficcionados pela bebida. Depois de  ter visto Sideways e Blood into Wine (ambos comentados anteriormente por aqui) era a vez de Bottle Shock. E foi o que eu fiz. Agora, compartilho com vocês minhas opiniões.

O filme em linhas gerais mostra a história, baseada em fatos reais, do evento chamado “Julgamento de Paris”, ocorrido na metade da década de 70 quando o especialista britânico Steven Purier, dono de loja e escola de vinhos em Paris, resolve voltar os olhos do mundo vitivinícola para o chamado novo mundo, mais especificamente para a produção norte americana de vinhos, e resolve criar um desafio ás cegas entre vinhos cabernet sauvignon e chardonnay franceses e americanos. Como resultado os vinhos americanos acabam vencendo a competição e uma grande revolução no mundo vitivinícola acontece. Finalmente o mito do solo sagrado francês havia sido derrubado.

Mas é claro que todo o filme fica permeado também por cenas mostrando como ainda era insípida e recente a produção de vinhos de qualidade nos EUA, mais precisamente em Sonoma e no Napa Valley.  Cientes de suas limitações, muitos produtores americanos na época até ficaram de certa forma até resignados e incomodados quando o britânico aparece em suas propriedades com o intuito de provar seus vinhos e fazer a seleção dos que irão integrar a competição.

Além disso, a história de Bo e Jim Barret é destrinchada, mostrando além da dedicação de Jim por seus vinhedos e produção de vinhos de altíssima qualidade dentro do Chateau Montelena, onde seu perfeccionismo quase os leva a falência até sua difícil relação com o filho Bo. Seu empreendimento vinícola é sua paixão e vida atualmente porém seu lado humano é muitas vezes marginalizado, fazendo com que quaisquer relações humanas que ele tente não saiam do papel.  Mas tanta dedicação acaba por ser recompensada com a vitória no julgamento.

Finalmente mas não menos importante, o filme é muito bem feito, conta com atuações consistentes e é claro, cria algumas hitórias paralelas a fim de entreter aqueles que não estam intimamente ligados ao mundo do vinho. E como funciona como conjunto! Acaba por nos entregar um drama convincente sobre superação, dedicação e a eterna busca pela perfeição.

Recomendo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário