sexta-feira, 4 de junho de 2010

Distrito 9 - O filme

Já tivemos inúmeros filmes sobre invasões alienígenas na Terra e esta é, sem dúvida, a premissa principal e comercial de Distrito 9. Porém ao assistir ao filme, tive a sensação de que o filme queria passar também uma lição digamos moral. Mas antes de falar sobre isso, saibam que o filme tem todos os demais clichês cinematográficos dos filmes de seu gênero: sogro militar malvado, soldado mal encarado que não morre mesmo se chovesse bala de canhão do céu, mocinha indefesa, reviravolta na vida do " mocinho", inimigos que viram amigos e se unem por objetivo comum e por ai vai, sem falar é claro das naves e dos próprios extraterrestres que por si só já são clichês.

A premissa de Distrito 9 é a chegada de uma grande nave alienígena a Terra,vinda refugiada de seu planeta natal. Com isto os seres humanos ao mesmo tempo que temem uma invasão hostil, tentam de todas as formas sugar os avanços tecnológicos e novidades vindas do espaço e confinam os aliens as margens da cidade de Joanesburgo. Mas o aumento da tensão entre aliens e os africanos faz com que o governo trace um plano de reassentamento destes aliens em outro local. Só que o plano sai errado. E a partir dai toda a história se desenrola.

Mas voltando a história do politicamente correto (ou incorreto?), o filme trata também de segregação racial. Sim, isto mesmo. Não estranha portanto o fato do filme se passar no bairro de Soweto em Joanesburgo (África do Sul). Os aliens são tratados como constante ameaça e desde a sua chegada foram "assentados"  num campo militar que depois de um certo tempo migra para algo perto de uma favela nos dias de hoje. A partir dai são retratados como marginalizados a sociedade e adeptos do crime, tráfico de armas e drogas, prostituição e assim por diante. Quem já não viu isso no dia a dia como alusão a pobres e ricos, negros e brancos? Pois é essa a mensagem digamos secundária que o filme tenta passar. E acho que consegue com certa maestria, sem parecer piegas. O que ajuda também é o fato de se usar de formato documentário para aproximar a platéia do dia a dia dos alienigenas (camarões, como são tratados no filme).

O filme consegue entreter e fazer pensar ao mesmo tempo, o que traz um grande ponto positivo para a produção ao passo que deixa pontas abertas para uma possível continuação (afinal, neste mercado dinheiro e retorno é quase tudo certo?). Vale a pena, caso não tenha o visto no cinema, alugar o filme e aproveitar o feriado e o frio para passar bons momentos em frente de seu televisor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário