quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Desabafo corinthiano


Sei que este post vai soar um tanto quanto como choro de eliminado, e na verdade não deixa de ser também, mas eu creio que meu desconforto vai além. É claro que até pouco tempo atrás, mais especificamente até o ano passado, eu como quase todo corinthiano que conheço tinha uma obsessão pelo título da Copa Libertadores da América. Mas depois de tudo que aconteceu no ano passado, tive a certeza de que este é um campeonato que o Corínthians não irá vencer enquanto esta obsessão persistir.

Mas o principal motivo do post não é bem esta obsessão e sim uma coisa que, nos meus pouco mais de 20 anos como torcedor do Corínthians, tem se mostrado tão mesquinha e nojenta que eu achei no blog uma forma de desabafar: a inveja que o Corínthians leva aos torcedores de todos os outros times no Brasil. Fico cada vez mais impressionado como a cada campeonato, a cada jogo, a cada ano que passa mais e mais torcedores ditos rivais se juntam aos outros e criam quase uma religião cega movida por um anti-corinthianismo exacerbado e raivoso. É impressionante que a cada derrota do Corínthians se ouvem mais fogos e comemorações do que quando outros times conquistam campeonatos, obtém vitórias expressivas e por ai vai. Qual seria o motivo para tal satisfação? O Corínthians sabidamente é um time que não possui estádio, não ganhou um título de Libertadores, é motivo de grandes brincadeiras, e mesmo assim o gosto que os outros torcedores nutrem por torcer contra e vibrar mais do que quando seus próprios times jogam deveria ser motivo de estudos.

Ontem por sinal até o próprio Cleber Machado, narrador da TV Globo, chegou a dizer que o Tolima (time Colombiano) era o Brasil na Libertadores, vejam só. Isto por que quando outros  times nacionais jogam a tal competição são conclamados por representarem o país na competição. O chavão criado é “Fulano” ou “Ciclano” é o Brasil na Libertadores. E até isto se inverteu ontem.  Não vou ser hipócrita também e dizer que nunca dei uma secadinho em um rival, mas chegar ao cúmulo de comprar fogos, perder qualquer outra atividade que eu poderia fazer só pra assistir a um jogo, entre outros, eu nunca fiz. E isto é comum na nação anti-corinthiana. Aliás, a meu ver atitudes pequenas de pessoas invejosas. E não venham negar pois é tão nítido que fica até chato.

Por outro lado perdemos mais uma partida importante para nós mesmos, mas o Corínthians ainda é Corínthians e por isso, a vida segue e teremos outros campeonatos pela frente. Se estou satisfeito? Claro qeu não. Desoladamente triste e irritado? Também não. Estou tentando praticar o desapego . E que venham os próximos desafios.

2 comentários:

  1. O anti-corintianismo que se tem visto presente cada vez mais nos últimos anos, principalmente partindo de torcedores do time cor de rosa, deveria ser estudado como um caso patológico sério.

    Muito bom o texto, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. o corinthians sempre será corinthians, e corintiano que é corintiano não pode se abalar ...... Vamos Timão....

    ResponderExcluir