quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Falerno Del Massico Rosso 2005

Como já tenho comentado no blog a algum tempo, depois que comecei a me interessar por vinhos e todas sua nuances, procurei ler e estudar muito sobre o assunto e além disso comecei a fazer cursos sobre o tema. Hoje em dia meu paladar evoluiu um pouco e tenho sido muito curioso com os vinhos que tenho degustado, procurando regiões que não conheço e uvas diferentes das usuais que temos mais facilmente contato (as européias cabernet sauvignon, chardonnay, malbec, etc.). Este vinho postado hoje é produzido numa região da Itália chamada Campania, e é elaborado com uvas autóctones, sendo 80% Aglianico e  20% Piedirosso.

Segundo o produtor em seu site na internet, o processo produtivo se dá pelo desengaçamento e esmagamento dos bagos seguido de maceração da borra a temperatura controlada a 25/26oC por um período entre 20 a 25 dias. Após este periodo o vinho passa pela fermentação alcoólica e a seguir malolática. Para afinamento, o vinho passa por madeira de 10 a 12 meses (50% francês e 50% eslavo).  Vamos agora as impressões.

Na taça o vinho apresentou uma coloração rubi violácea com um leve atijolado nas bordas, sugerindo alguma evolução. O vinho tinha aspecto limpido, com certa transparência e muito brilhante. Exibia lágrimas gordas, lentas e com certa cor.

Foi no nariz que o vinho começou a surpreender: muitos e complexos aromas, bem difíceis de se distinguir. O que eu consegui “retirar” foi que o vinho abriu com um frutado bem franco, notas de groselha e frutas escuras bem maduras, alguma coisa de especiarias lembrando talvez pimenta ou algo assim além de algum tostado e chocolate amargo. Ao fundo notava-se algum floral. Além desta complexidade aromática, o vinho (como ser vivo que é) estava em constante mudança e eu recomendaria que este vinho seja aerado/decantado por algum tempo pois me parece que ia abrindo com o tempo.

No paladar o vinho se mostrou bem encorpado, complexo trazendo de volta o frutado, floral e alguma coisa de cacau. Os taninos estavam bem presentes, elegantes, redondos! A acidez dava sustentação ao vinho, preenchendo bem a boca. Ao final, muito longo por sinal, senti um leve amargor mas que não me incomodou nem tão pouco estragou o prazer que o vinho proporcionara. 

Este exemplar fora adquirido na Vinea e não me recordo o valor pois foi numa promoção pós “Encontro de Vinhos” do ano passado. Mas com certeza valeu o preço pago. Aliás esta loja tem me surpreendido positivamente e deve receber em breve um post para comentar sobre minhas impressões.

Saúde!

Nenhum comentário:

Postar um comentário