quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Câncer de mama x consumo de vinho: inimigos?

Normalmente eu vinha colocando por aqui diversas notícias discorrendo sobre os benefícios do consumo de vinho para a saúde (em maior ou menor grau) mas me parece que esta notícia vai trazer um ponto controverso e que pode colocar em cheque muitos outros estudos. Leiam trechos da reportagem original, publicada no site da revista WineSpectator.

Um novo estudo da Associação Americana para Pesquisa do Câncer desafia a noção de que o consumo de álcool por si só é um fator de risco para o câncer de mama em mulheres pós-menopáusicas. O risco aumenta substancialmente quando as mulheres realizam terapia de reposição hormonal: o estudo encontrou um risco 60 por cento maior para as mulheres que consomem bebidas alcoólicas ao se submeterem a terapia em comparação com as mulheres que bebem álcool de forma responsável e não estão na reposição hormonal.

"Tanto a terapia hormonal combinada, particularmente o estrogênio e progesterona (EPT) quanto o álcool têm sido relacionados ao câncer de mama", disse a principal autora do estudo, Pamela Horn-Ross, pesquisadora do Instituto de Prevenção do Câncer da Califórnia. E os pesquisadores notaram um "aumento não-significativo no risco" entre as mulheres que nunca usaram terapia hormonal, mas ainda consumiam álcool. "O EPT aumenta muito mais o risco do que o consumo moderado de álcool (cerca de uma dose por dia) e o nosso estudo sugere que o consumo moderado de álcool não tem um impacto negativo no risco de câncer de mama na ausência de EPT", disse Horn-Ross.

Horn-Ross e sua equipe contaram com dados do California Teachers Study, que acompanhou mais de 130 mil mulheres pós-menopausa por um período de 10 anos. O estudo, previsto para publicação na Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention, puxou os dados de 40.000 dessas mulheres. Destas, 660 foram diagnosticadas com câncer de mama invasivo durante os 10 anos. Os dados sobre os seus hábitos de consumo também foram anotados, bem como a participação na terapia de substituição hormonal, a qual é utilizada como um tratamento para os sintomas associados com a menopausa. Horn-Ross também sugeriu que o consumo responsável de álcool pode ter benefícios outros para as mulheres. "O consumo moderado de álcool pode reduzir o risco de doença cardíaca, o que é mais comum entre as mulheres do que câncer de mama é", disse ela.

O tema do papel do álcool na patologia do câncer de mama é muito disputado na indústria médica. O estudo mais recente não vai diminuir as chamas. Dr. Harvey Finkel, oncologista da Universidade de Boston Medical Center, analisou o estudo como parte do trabalho crítico com o Fórum Internacional Científico sobre Pesquisa de Álcool. "O papel do álcool na gênese do câncer de mama continua a ser confuso, mesmo em conflito", disse ele. "Devem haver subconjuntos de indivíduos ainda não precisamente dissecados que contribuem para as diferenças entre os resultados dos estudos epidemiológicos", acrescentou. "Pode-se esperar que estudos como o presente vai ajudar, embora claramente não são quase pronto para escrever uma teoria padrão."

Até o próximo!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário