segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Visita a Fábrica da Baden Baden

Aproveitando minha última viagem a Campos do Jordão, programei uma visita a Cervejaria Baden Baden para conhecer um pouco mais sobre esta cerveja. Vejam bem, não sou muito conhecedor do assunto e sei que esta não é a vertente principal do blog, mas achei por bem brindar meus leitores com meus pontos de vista sobre a visita.

O agendamento é super simples e é feito por telefone (que pode ser encontrado no site da cervejaria http://www.badenbaden.com.br/). Evidentemente que fiz este tour fora de temporada e não sei ao certo com quanto tempo de antecedência deve ser feito o agendamento. A questão é que eu fiz com dois dias antes da visita e mesmo com bastante gente, consegui minha vaga. O preço é fixo de R$ 15,00 por pessoa, o que considerei justo. Agora um pouco de história. 

Em meados do ano de 1999, alguns amigos se juntaram e resolveram por em prática um antigo sonho: produzir cervejas artesanais e gourmet no Brasil. Desta união surigu então a Baden Baden. A primeira produção (chopp) se deu já em abril de 2000 sendo que a primeira cerveja apareceu em 2001. A partir dai diversas linhas de cervejas foram sendo lançadas e o público brasileiro começou a descobrir o verdadeiro sentido da harmonização de cervejas e comidas. A cervejaria já teve inclusive suas cervejas participando e ganhando prêmios internacionais do segmento, o que mostra a força e a qualidade desta empresa. Pra finalizar, em meados de 2007 a cervejaria passou a fazer parte do grupo Schincariol.


A visita em si é curta já que o parque fabril é pequeno e o processo até certo ponto bem artesanal. A cerveja nasce da combinação de quatro itens essenciais: água, malte, lúpulo e fermento. A partir dai, variações no tipo do malte, cereal que transfere sabor ao líquido final, modificam aromas/cores e sabores, a adição de outros itens tais como essências de frutas, processo adicionais de fermentação e assim por diante é que fazem com que se criem outras linhas de cervejas. O lúpulo é uma erva e em grande parte é responsável por conferir o amargor característico das cervejas. Grandes tanques de inox são os responsáveis pela guarda e armazenamento da cerveja durante as etapas do processo, que depois é bombeado para a área de engarrafamento e expedição. Evidentemente existem etapas intermediárias como filtrações, maturação, etc mas esta parte não é tão detalhada assim na visita (talvez devesse).


Passada esta parte fomos direcionados a sala de degustação, onde pudemos provar dois tipos diferentes de cerveja: a Cristal,  pilsen comum porém mais leve e saborosa; e a bock, cerveja escura feita com malte tostado, trazendo aromas e sabores que lembravam tostados e nozes num final levemente adocicado. Ambas deliciosamente cremosas e saborosas, devem ser degustadas em ocasiões diferentes.


Finalizamos a visita dando aquela rápida passadinha pela loja da cervejaria onde além de podermos adquirir toda a linha de cervejas, existem acessórios e roupas todas estilizadas pela marca. Os preços das cervejas não diferem tanto assim de outros lugares, a única diferença é a facilidade de encontrarmos uma maior variedade e tanto cervejas mais frescas. 

Para quem estiver de passeio marcado para Campos do Jordão e ainda não tiver conhecido a cervejaria, eu recomendo a visita. É um atrativo a mais na cidade e um programa gostoso pra se fazer mesmo em família. Eu recomendo!

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário