segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Suri Ceviche Bar


Este post sai com um certo atraso pois eu estava tentando faze-lo parecer um texto perfeito, mas cheguei a conclusão de que não é necessário. Existem algumas coisas na vida que merecem comemorações e entre elas, as primaveras de nosso relacionamento com a pessoa amada. E é sobre isto que fala este post, onde em um único post irei detalhar como foi a noite de 17 de Dezembro de 2010.

Já estou junto da Milena fazem sete anos (ou melhor, completamos esta idade em 15 de dezembro de 2010) e entre muitas situações enfrentadas por nós, o aprendizado tem sido constante. É claro que na união de duas pessoas com personalidades tão marcantes e distintas sempre existirão obstáculos para serem transpostos mas a partilha de momentos felizes sempre supera qualquer problema. E nada melhor do que comemorarmos esta data em um lugar diferente, romântico e que ficará então em nossa memória.

Como eu vinha de uma recente viagem a Miami e havia descoberto um pouco mais sobre a cozinha latina, e ainda sabedor de que a Milena é grande apreciadora de frutos do mar resolvi que deveríamos apostar na cozinha peruana. E o restaurante escolhido desta vez foi o “Suri Ceviche Bar”, localizado na Rua Mateus Grou, no bairro de Pinheiros em São Paulo. Nas próximas linhas irei falar sobre as impressões que tivemos do lugar e da comida.

O restaurante conta com um ambiente descontraido onde no salão de entrada é possível se deparar com um bar que possui um grande balcão onde, na possibilidade da casa estar cheia, você pode aguardar até a liberação de uma mesa ou mesmo bebericar, petiscar e ficar por lá mesmo tendo a chance ainda de acompanhar o que acontece na elaboração de seu prato.  Aliás o restaurante é bem pequeno e possui um salão no andar superior, onde também possui poucas mesas, por isso é recomendável se programar e ir um pouco mais cedo caso não queira esperar. A proposta da casa é servir o típico ceviche peruano mas com a a cara e os sabores mais globalizados, ou seja, se utilizando de outros ingredientes não comumente empregados na cozinha peruana. Ponto positivo para a diversidade de combinações de ceviches no cardápio.

Quando pesquisava sobre o local, pude perceber que o site da internet do restaurante disponibiliza um cardápio on line e , assim que bati os olhos no mesmo, já sabia qual o prato a Milena iria optar. E foi na mosca.  Mas antes porém falemos sobre o couvert da casa  que nos foi servido, que contava com chips de batatas com duas opções de molho, guacamole e picante. Simples e gostoso. Agora sim, as opções de prato: eu fui de ceviche de camarão, lula e corvina servidos com um delicioso tempurá de batata doce para quebrar a acidez cítrica do molho do ceviche e a Milena foi de garoupa em crosta de mandioquinha acompanhada de um raviole de milho e queijo, adereçados com um saboroso molho de bisque. Para beber  fomos de espumante, uma vez que a casa conta com uma cartinha de vinhos brancos/espumantes enxuta porém acessível e eu gosto sempre de provar vinhos diferentes. Mas isto (o espumante) vou deixar para um post subsequente a este aqui, para não me alongar muito. Porções suficientes dos pratos fizeram com que finalizássemos apenas com um expresso.

Uma noite agradabilíssima ao lado da pessoa que tem me feito feliz e num grande restaurante que eu indico pra quem gosta de frutos do mar e similares. E bom apetite!

Nenhum comentário:

Postar um comentário