domingo, 2 de janeiro de 2011

Cuvée Sylvain

E o esperado ano de 2011 chegou e nada melhor do que brindar com a família a ano que se passou e compartilhar as esperanças para o ano que vai entrar. Para isso escolhi um espumante francês que eu comprei na Cave Jado em uma de suas degustações aos sábados. Aliás, eu sempre indico esta loja pra quem quer tomar vinhos franceses de boa relação custo x benefício. A loja, como eu já devo ter falado por aqui, fica na Vila Mariana aqui em sampa e consegue sempre trazer vinhos de produtores menores e menos famosos da França mas com uma excelente qualidade.

Fazendo um parentese no post, vamos falar um pouco sobre vinhos espumantes. Afinal, o que são os vinhos espumantes? Na verdade estes vinhos resultam de uma segunda fermentação de um vinho base aonde tem incorporados em seu corpo o gás carbônico necessário para a formação das borbulhas.

Voltando ao espumante, este exemplar é feito pelo produtor Domaine du Rin du Bois, que tem seus vinhedos localizados no Vale do Loire, na França dentro da AOC Touraine. Elaborado com uvas Chardonnay e Chenin Blanc (50/50) pelo método tradicional, envelhece nas caves a partir dai.

Segundo parentese do post, quando dizemos que um espumante é feito pelo método tradicional, é por que a segunda fermentação que o vinho sofre acontece ainda na garrafa ao passo que os espumantes que usam o método charmat de elaboração o fazem em tanques de inox. Vamos as impresssões.

Na taça apresentou uma coloração amarelho palha bem clarinha, quase transparente.

No nariz apresentou aromas cítricos bem nítidos, eu destacaria abacaxi mais acentuado. Ao fundo notas herbáceas bem suaves. Senti falta daqueles aromas característicos da segunda fermentação pelo método tradicional, como fermento, pão, brioche e afins mas como este é um espumante mais simples deve ter um tempo menor pra segunda fermentação e por isso o vinho deve ter menos contato com as leveduras não deixando tempo suficiente para que o vinho adiquira tais aromas. Mas enfim um espumante que já mostra no nariz muito frescor.

No paladar apresentou ótima acidez, muita cremosidade e um excelente final, de média persistência. A lembrança das frutas cítricas aumenta no palato.

Interessante ressaltar que o espumante foi acompanhado de um Pacú recheado, o que fez muito bem a ambos pois o espumante com seu frescor e acidez ajudavam a diminuir um pouco a sensação da gordura do peixe e quase que limpavam a boca durante a refeição.

Um belo espumante, que eu confesso que preciso aprender ainda a beber e a apreciar, mas que causou uma excelente impressão. Mais um ponto positivo pras meninas da Cave Jado.

Saúde!

Ps.: Nota da mãozinha da minha namorada na foto, adicionando beleza a mesma !

Um comentário: