terça-feira, 8 de maio de 2012

Chile: Almoçando no Winebar Concha Y Toro

Conforme eu disse no post anterior, depois do Tour Marques da Casa Concha, resolvemos fazer uma parada para o almoço e escolhemos propositalmente o restaurante/winebar da vinícola Concha Y Toro para isto. Ainda portávamos nossas tábuas com as sobras de queijos/pães e torradinhas da degustação final do tour e fomos procurar uma mesa para nos sentarmos. O dia era bonito, apesar de um pouco frio quando batia um vento. Resolvemos nos sentar na parte interna do restaurante pois o sol atrapalhava um pouco a vista. No entanto, caso seja de sua preferencia, existem mesas ao ar livre cobertas com guarda-sóis para se aproveitar também a vista. O restaurante se encontra num lugar que fica entre a saída das caves e a lojinha.

Como ainda tínhamos alguns petisquinhos conosco, resolvemos que não iríamos pedir nenhuma outra entrada. Pedimos então a carta de vinhos e demos uma passada de olhos sobre o menu, enxuto e com opções de carnes, massas e alguma coisa de pescados. Como todos optariam por pratos a base de carne (que irei comentar mais pra frente neste post), passamos então a escolha do vinho. E resolvemos que esta seria uma oportunidade para provarmos um vinho mais top, optando assim pelo EPU 2009. Este é o segundo vinho da Vinícola Almaviva, tanto que seu nome na língua Mapuche (indígenas chilenos) quer dizer dois em alusão a este fato e se beneficia da joint venture da Concha Y Toro com a Baronesa Philippine de Rothschild para criar um vinho nos mesmos padrões dos segundos vinhos dos Château de Bordeaux, se aproveitando da fama do "primo rico". Produzido a partir dos mesmos vinhedos do Almaviva, de Puento Alto e Alto Maipo, o EPU 2009 é um corte de Cabernet Sauvignon e Carménère, com a predominância da primeira, entretanto não encontrei informações precisas quanto a porcentagens, tempo de carvalho, etc. Uma linda cor violácea, intensa e brilhante podia ser observada no decanter e posteriormente nas taças. Aromas de frutas vermelhas e escuras, baunilha e especiarias. Encorpado, carnudo e potente, o vinho tem taninos presentes e firmes, boa acidez e um final marcante e longo, confirmando os aromas. Um belo vinho sem dúvida.


Ah, e quanto a comida vocês devem estar se perguntando. É que eu me empolguei falando do vinho que até me esqueci de qual foi o prato que acompanhou tanto deleite. Não poderia escolher qualquer prato para fazer frente a este vinho, e todos na mesa optaram por escolher um belo cordeiro ensopado com batatas gratinadas de acompanhamento. A carne, forte e levemente gordurosa, foi preparada no ponto e se encontrava tenra e suculenta ao passo que as batatas formavam quase uma "mini-lasanha" juntamente com o queijo e demais ingredientes do gratinado, contrabalanceando a força e dando um toque de requinte ao prato. Tudo delicioso, diga-se de passagem. Era de se comer ajoelhado!


Depois do cafezinho, fechávamos a visita a Concha Y Toro, com a certeza de que a viagem havia começado com chave de ouro! Eu realmente recomendo que façam esta visita com tempo e que ao menos desfrutem um petisco e vinhos no wine bar da vinícola, que ainda conta com tábuas de queijos e frios, tapas e vinhos em taça, além de menus degustação e outros. Se nos balizarmos pelo prato que comemos, fechem os olhos e agucem os sentidos pois não irão se arrepender. Vale o dinheiro e o tempo investido com certeza!

Até o próximo!

2 comentários:

  1. Belo post. Estou indo para Santiago semana que vem e devo ir visitar a Concha Y Toro. Queria almoçar lá mas fiquei curioso, quando disse que compensa o dinheiro investido estamos falando de quanto rss? O prato e vinhos que pediu custaram mais ou menos quanto?

    Abraços

    Leandro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leandro,

      Obrigado pela visita e pelas palavras gentis. Infelizmente irei ficar te devendo as informações sobre preços pq já faz algum tempo que viajei e sinceramente não me recordo. Mas eu creio que em torno de R$ 60,00 por pessoa se come e bebe um ótimo vinho.

      Abraços.

      Excluir