segunda-feira, 14 de maio de 2012

Cava Freixenet Cordón Negro

Este espumante foi o escolhido para celebrar o dia das mães em casa, junto da família e de minhã querida mãe, evidentemente. Um dia festivo a se agradecer a minha mãe, e por que não, a todas as outras mães do mundo que estão ai para criar, educar e suportar seus filhos diante das dificuldades que a vida nos impõe e ainda tem tempo de trabalhar, arrumar a casa, ser esposa e mulher! Portanto, um brinde a elas.

Eu não consegui uma foto legal e retirei esta daqui do  próprio site do produtor.

Este produtor já teve outro vinho (outra cava) comentado aqui no blog em outra ocasião (relembrem aqui) e portanto não irei me estender muito com relação ao que são as cavas, um pouco de história e métodos de produção, deixando o espaço abaixo menos cansativo para a leitura e vocês e também indo direto a minhas impressões. Esta cava é feita com as uvas Parellada, Macabeo e Xarel-lo sem proporções definidas. Envelhece entre 18 e 24 meses em garrafa e tem 12% de álcool. Vamos as impressões.

Na taça o vinho apresentou uma bonita cor amarelo palha brilhante, com toques esverdeados. Tinha um bom colar de borbulhas, que se mantinha constantemente abastecido pelas mesmas.

No nariz o vinho era essencialmente frutado, com notas cítricas e de frutas mais tropicais. Ao fundo, leve aroma de panificação, o que certamente é fruto da segunda fermentação em garrafa.

Na boca o vinho tinha um corpo leve, ótima acidez e formava um gostoso colchão de bolhas na boca, mantendo o aspecto espumante do vinho. Retrogosto confirma o nariz e principalmente as notas cítricas num final de média duração.

Um vinho jovem, refrescante e de certo charme que harmonizou bacana com uma feijoada e o tempo frio que se encontrava em sampa, além de deixar o dia das mães mais alegre. Eu recomendo!

Até o próximo!

2 comentários:

  1. Olá Victor, belo post
    Coincidentemente provei esta mesma cava não faz muito tempo. Logo deverei postar no blog também. Acho que nossas impressões foram parecidas.
    Curiosamente, no quesito Freixenet, prefiro a versão Demi-sec (Carta Nevada); acho mais atrativa que a Brut.

    Abraço

    Tiago Bulla
    http://universodosvinhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tiago,

      Obrigado pela visita e pelo comentário. Fico contente em saber quando as pessoas gostam do meu trabalho.

      Sobre o vinho, legal saber que temos opiniões semelhantes, ainda não provei o Carta Nevada mas quando o fizer, certamente irá pro blog.

      Continue nos prestigiando.

      Abraço

      Excluir