sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Voyeur Carpe Noctem 2008: Observar ou ser observado?

Já se sentiu observado? No trânsito, no escritório, pela janela do seu quarto? De certeza que em alguma ocasião alguém tinha os olhos postos em si. Ninguém lhe tocou, mas foi alvo de desejo sem saber. À sua frente tem um objecto de prazer. Olhe bem... Não resista à provocação! Toque, sinta, cheire e beba. Não vai ter muitos momentos assim.


Assim está escrito no rótulo do vinho Voyeur, que pode ser considerado top de linha da Wines With Spirit, que degustamos no último winebar, dando sequência a meu post anterior. Este é um tinto elaborado com as uvas Castelão (48%), Touriga Nacional (28%) e Touriga Franca (24%) também na região de Península de Setúbal, em Portugal. É feito em edições especiais de 10 mil garrafas, se não me engano, e a minha era a de número 2853. Como já falei bastante sobre o projeto ou das linhas de produtos da Wine With Spirits no post anterior, me darei o direito de ir direto para as impressões sobre o vinho. Tenho certeza que vocês, meus leitores, irão achar melhor assim.

Na taça o vinho apresentou uma bonita cor violácea escura, com bom brilho e pouco transparência. Lágrimas finas, rápidas e com pouca cor completam o aspecto visual.

No nariz o vinho se motrou muito aromático, trazendo aromas de frutas escuras, especiarias com pimenta em evidência e toques de chocolate e madeira.

Na boca o vinho tinha bom corpo, boa acidez e taninos finos e redondos mas bem marcados. Retrogosto de frutas escuras apimentado, num final longo e bem saboroso.

Um grande vinho, de muita qualidade e que valeu mais do que nunca a participação no Winebar. Se você ainda não provou, recomendo que o faça. Cada vez que provo um novo vinho português, fico mais fã ainda dos nossos patrícios no tocante a seus vinhos. 

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário