sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Casa do Porto Vinhos e sua "feirinha" de final de ano

Na última quarta feira rolou o que deve ter sida a última "feira" de vinhos que fui em 2013 e provavelmente a última que foi feita no ano também. E a feira apesar de pequena em quantidade, tinha muito de qualidade. Basicamente a mesma estava dividida entre produtores espanhóis e franceses, tais como: Bodegas Tampesta, Rodrigo Mendes, Bodega Bernebaleva, o famoso enólogo espanhol Raul Perez e uma linha de Bordeaux do maestro Jean-Luc Thunevin. Muita coisa diferente, lugares e castas que eu nunca havia provado, enfim, muito aprendizado. Os espanhóis, por exemplo, vinham da DO Madrid principalmente e traziam muita Garnacha e a branca Albillo como carros chefe. Além disso, alguns outros brancos da casta Alvarinho se destacaram em vinhos mais jovens e outros nem tanto. E teve ainda vinho que fica no fundo do mar envelhecendo! Incrível.

Confesso que diante de tanta coisa diferente e de vinhos considerados tão top me senti um pouco intimidado e por que não, ignorante no sentido de que me faltavam informações para degustar e discutir sobre eles. Entretanto a simpatia com que o Péricles, da importadora, e o Francisco apresentavam os vinhos tornaram a feira algo mais palatável e suave. Não vou discorrer sobre todos os vinhos que degustei por lá até por que seria muito cansativo e eu não teria argumentos reais para todos mas resolvi selecionar dois que me chamaram a atenção, um branco e outro tinto.

Do lado dos vinhos brancos o Cantocuerdas Albillo de Bernabeleva 2007, um branco da Bodega Bernebaleva que é feito com 100% de uvas Albillo (branca autóctone) e muito diferente. Na taça uma coloração palha com reflexos verdes e com muito brilho. No nariz aromas de frutas tropicais, fósforo, borracha e toques cítricos. Na boca acidez pronunciada, corpo médio e final prolongado com toques minerais. Interessantíssimo!


Já no lado dos tintos, um Bordeaux considerado de entrada mas que me fez sorrir, o Chateau Compassant Bordeaux 2004. Corte de Merlot 80%, Cabernet Franc 15% e Cabernet Sauvignon 5% típico de Bordeaux com um custo benefício incrível. Na taça uma cor rubi com tendência atijolada já nas bordas. No nariz frutas escuras maduras, especiarias e toques terrosos e animais. Boa acidez, taninos marcados e firmes mas de excelente qualidade. Encorpado, retrogosto confirma o olfato e um final de longa duração. Não sou muito escolado em Bordeaux mas este me pareceu um bom e típico exemplar. Até foi comentado na hora que degustávamos o vinho que este seria facilmente identificável num painel as cegas.


Um evento com grandes vinhos, ótimas companhias, anfitriões impecáveis e tudo que uma boa feira pede. Além disso tudo, muito aprendizado. E que 2014 traga muito mais eventos.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário