segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Cline Cashmere 2011


Quando juntamos amigos com interesses iguais para almoços ou confraternizações fica muito difícil prestarmos atenção a detalhes de um ou outro vinho, não é mesmo? Afinal de contas tudo acaba se tornando mais importante do que degustar o vinho, prestar atenção a suas nuances e coisas do gênero. Mas eu resolvi que a cada encontro deste com o pessoal do mundo do vinho, iria tentar ao menos focar e  falar sobre um dos vinhos bebidos no encontro. E desta primeira vez o vinho escolhido foi o Cline Cashmere 2011 pois eu já estava curioso sobre ele dado a sua composição e da onde o mesmo vinha. Vamos ver o que descobrimos sobre o mesmo.

Foto dos vinhedos em Carneros, tirada do site do produtor

A Cline Cellars é uma vinícola fundada inicialmente em Oakley na California que depois teve sua sede levada para Carneros, no Sonoma. Existe desde meados dos anos 80 sendo que, segundo pude apurar, é uma das pioneiras no cultivo de uvas oriundas do Vale do Rhône na região, fazendo uso do clima um pouco mais ameno em Carneros. Conta hoje com vinhedos em ambas regiões (Carneros e Oakley) além de Pentaluna, também em Sonoma. Conta ainda com acomodações para turismo além de um museu cujo tema principal é as Missões Espanholas na região conhecida como El Camino Real.


Sobre o vinho em questão, o Cline Cashmere 2011, o mesmo é um blend de Mouvédre, Syrah e Grenache e Petit Syrah de uvas colhidas do condado de Contra Costa, na Califórnia. Cerca de 25% do vinho passa por 6 meses de envelhecimento em barricas de carvalho francês. A história bacana por trás deste rótulo é também que o mesmo foi feito para suportar a causa da Living Beyond Cancer. Vamos as impressões.

Na taça uma bonita cor violácea de média intensidade, alguma transparência e bom brilho. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente coloridas também tingiam as paredes da taça.

No nariz o vinho trouxe aromas de frutas vermelhas e escuras, toques de especiarias e chocolate. Muito fragrante e perfumado.

Na boca um vinho de corpo médio, boa acidez e taninos redondos. Retrogosto confirma o olfato e tem um final de média duração.

Mais um bom vinho trazido pelo Smart Buy Club, que sempre surpreende com novidades e vinhos diferentes principalmente vindos dos EUA. Eu recomendo.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário