terça-feira, 18 de março de 2014

Fantôme Saison: grande cerveja belga da Brasserie Fantôme

Eu sei que o espaço aqui é normalmente cedido a vinhos e viagens relacionadas a tal, experiências gastronômicas e afins. Sei também que não sou expert em cervejas, apesar de gostar muito, mas sempre que posso e acho que devo, cedo espaço aqui para elas. E hoje não será diferente, quero compartilhar com vocês minha experiência com a Fantôme Saison.


A Fantôme Saison é produzida por uma pequena cervejaria familiar localizada no vilarejo belga de Soy, situado na região da Valônia, a Brasserie Fantôme, que foi criada em 1988 por iniciativa de Dany Prignon e seu pai . Tendo trabalhado durante vários anos em vários grupos para o turismo, Dany e seu pai esperavam reviver um pouco de sua aldeia, sua cidade, sua região e procurando uma atração local, se interessaram por receitas antigas de cervejas.

A especialidade da cervejaria é a cerveja do estilo Saison, cervejas estas pertencem a família das Ales (cervejas de alta fermentação). O estilo é típico do Sul da Bélgica, mais especificamente da região da Valônia, quase que fronteiriço com a França. O nome significa “estação do ano”, em tradução livre do francês, e foi dado porque a cerveja era produzida durante o inverno e primavera, sendo guardada para ser consumida no verão. Tudo isso antes de existirem os equipamentos de refrigeração, o que tornava inviável a produção destas quando esquentava. A solução foi diminuir a quantidade de açucares fermentáveis e usar leveduras que atacassem a bebida lentamente. Bastante carbonatada, normal­men­te fermentada no barril, a cerveja é densa, apresenta cor alaranjada e tem aromas complexos, lembrando principalmente o caráter cítrico. Comumente são adicionados temperos à bebida, o que aumenta ainda mais a pluralidade de sabores. Possui bom equilíbrio entre o dulçor do malte, amargor do lúpulo e acidez, tendo fi­nal mais seco. É também conhecida como Farmhouse Ale, ou cerveja camponesa. Vamos então as impressões.

Na taça (usei a de vinho mesmo, achei que merecia) apresentou uma cor tendendo ao âmbar com um creme levemente amarelado, denso e muito persistente.

No nariz apresentou aromas cítricos e frutados com toques de especiarias e herbáceos ao fundo.

Na boca apresentou bom corpo, acidez leve e equilibrada. Retrogosto em sintonia com o olfato, tendo um toque final meio "salgado" que fica por um bom tempo na boca.

Uma cerveja deliciosa e refrescante, que cresceu também quando ingerida com comida: filé de frango enrolado com farofa e molho de mostarda dijon. Eu recomendo a prova. Esta me foi apresentada pelo Celso, do Empório Hopfields em São José a quem agradeço por sempre me apresentar estas preciosidades.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário