sexta-feira, 24 de abril de 2015

Batalha Vinhas e Vinhos: Revelação nacional do #EncontrodeVinhos de Sampa!


Em uma semana recheada de bons eventos tais como o Encontro de Vinhos e a Expovinis, fica até difícil escrever muita coisa e colocar o assunto em dia mas, se eu quero fazer isso dar certo, tenho que procurar horários alternativos não é mesmo? E hoje vou falar de um produtor nacional que eu descobri durante um destes eventos, o Encontro de Vinhos Off. O produtor? Batalha Vinhas e Vinhos.


Em uma propriedade de 29 hectares, nasce neste mundo encantador e hipnótico da vitivinicultura a Batalha Vinhas e Vinhos, na região da Campanha Gaúcha, no Rio Grande do Sul (quase divisa com o Uruguai). Localizados ainda nas terras onde ocorreu a Batalha do Seival e com condições ideais de clima e solo na região considerada berço dos grandes vinhos do Rio Grande do Sul, fazem com que os vinhos que de lá saem, sejam prontamente reconhecidos por sua qualidade. Em sua propriedade são plantadas as castas Cabernet Sauvignon, Tannat, Merlot e Chardonnay. E eles não vieram para brincadeira quando o assunto é apresentar seus produtos e trouxeram toda sua linha de produtos para a feira. Por questões de espaço e fluidez do post, resolvi destacar dois dos vinhos que provei por lá. mas não se engane, os outros vinhos não comentados aqui também são bons e valem a prova.

O primeiro vinho que irei falar por aqui é o Batalha Espumante Brut, vinho espumante a base de 100% de uvas Chardonnay produzido pelo método tradicional (champenoise) e que ficou por 18 meses em contato com as leveduras antes de ser liberado ao mercado. Apresentou uma coloração amarelo dourada com boa formação de perlage, com borbulhas pequenas e constantes. Aromas de frutos cítricos e tropicais, mel e panificação. Na boca é cremoso e fresco, num final longo e saboroso. mais um belo vinho espumante nacional sem dúvidas.

Por fim destacamos o Batalha Tannat 2012. Apesar de ser denominado varietal, tem em sua composição uma parte de 15% de uvas Merlot. Passa por envelhecimento em barricas. Como resultado temos um vinho de coloração violácea de grande intensidade, bom brilho e limpidez. Aromas de frutos escuros, especiarias doces, flores e algo de chocolate. Na boca um vinho de médio corpo, com boa acidez e taninos macios e sedosos. Final de média duração. Os vinhos com a uva Tannat tem feito bonito quando vem lá da Campanha.

Ah, como é bom conhecer novos produtores e ver que o vinho nacional, em especial os tintos, tem alcançado bons resultados. Ainda falta muito, mas se continuarmos neste caminho, assim como a Batalha Vinhas e Vinhos, tenho certeza que chegaremos muito longe. Eu recomendo a prova!

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário