segunda-feira, 27 de abril de 2015

ITBR Importadora e seus belos vinhos italianos no #Encontrodevinhos!

Ainda tentando compartilhar com vocês tudo de interessante que eu vi e degustei na última semana, recheada de eventos como a Expovinis e o Encontro de Vinhos Off em Sampa, volto por aqui pra falar de uns vinhos italianos que eu não conhecia e que são trazidos pela ITBR Importadora e são eles: um Barbera D'Asti, um Dolcetto D'Alba e um Nebbiolo produzidos pela Azienda Agricola Cascina Carlot.


Nos primeiros anos do século XX em Coazzolo, um lugar encantador, localizado entre Monferrato e Langhe (no Piemonte), imersos em uma paisagem maravilhosa, interpretação digna de um grande artista, um bom pai, Mario Mo, fundou com seus filhos uma pequena fazenda: a Azienda Agrícola Cascina Carlot. Localizada em Coazzolo d'Asti, a Azienda Agrícola Cascina Carlot abrange cerca de 7 hectares, com duas sedes cujas caves estão equipadas com as mais modernas ferramentas de vinificação.

Já sobre a ITBR Importadora, podemos ver que é uma empresa nacional cujo foco principal é a culinária e viticultura italianos, onde os produtores são escolhidos com muito rigor, com uma regra básica: produção em baixa escala, com tradição e história que mereça ser conhecida e compartilhada. e me parece que acertaram em cheio com estes vinhos que trouxeram pro Brasil e apresentaram no último Encontro de Vinhos. Vamos falar sobre eles?

O primeiro vinho provado foi o Dolcetto D’Alba DOC, um vinho produzido 100% com uvas Dolcetto sem envelhecimento em carvalho, só alguns meses em aço inox e garrafa antes de ser liberado ao mercado. Um vinho leve, fácil de beber essencialmente frutado (frutas vermelhas), com acidez pujante e taninos fininhos. Me parece que vem para ser um coringa, acompanhando uma comida descompromissada do dia a dia ou mesmo um bom papo.

Partimos então para o Barbera D'Asti DOCG, um vinho também 100% com uvas Barbera que também não tem passagem por madeira, somente tanques e garrafa por até um ano, antes de ser liberado ao mercado. Um pouco mais complexo, este vinho apresentou aromas de frutos silvestres, toques florais e terrosos. Na boca é bem macio e com uma acidez salivante. Imaginei uma massa com molho vermelho acompanhando este vinho. Outra boa opção para o dia a dia.

Por último provamos o Langhe Nebbiolo DOC, um vinho 100% Nebbiolo com uvas mais maduras que os outros vinhos, pelo amadurecimento tardio das mesmas nas vinhas, porém sem passagem por madeira também, só afinamento em tanques e em garrafa. De cor já com tendência granada, o vinho abriu com um intenso floral, frutos secos e algo de terroso. Na boca é tânico, marcado, encorpado, mas também muito saboroso e longo. Este vinho já pede uma carne de caça ou mesmo um risoto mais cremoso.

Ah, como é bom conhecer novos produtores e novos importadores que mais do que trazer vinhos, escolhem a dedo os produtos que mostram pro mercado e que agradam em cheio. Se ainda não provou estes vinhos, tenho certeza de que você deverá procura-los pois valerá a pena. Eu recomendo.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário