terça-feira, 12 de novembro de 2013

Santa Chiara Vernaccia di San Gimignano 2011: lembranças eternas!

Na última sexta feira fui surpreendido com um jantar especial preparado carinhosamente por minha esposa: uma bela bacalhoada à portuguesa com muito azeite, batatas, cebola, pimentão, azeitonas pretas e ovos cozidos. Haviam inúmeros motivos para comemorarmos, e não irei aqui listá-los por não ver a necessidade. Só que a ocasião pedia é claro um vinho mais especial. Confesso que diante deste prato eu  sempre gosto de ter um bom vinho tinto português a mão, um alentejano ou duriense, mas que na hora por falta de um e pela vontade de trazer boas memórias a tona (logo falarei mais sobre isso), optei por este branco Santa Chiara Vernaccia di San Gimignano.


Este vinho é feito na comuna de San Gimignano, na Toscana, centro sul da Itália. A uva Vernaccia di San Gimignano não é muito conhecida por aqui nem tão pouco é muito difundida mundo a fora, se concentrando basicamente em fazer vinhos para o mercado interno italiano principalmente por não ser largamente plantada. Entretanto este produtor, a Tenute Niccolai, é um grupo grande que possui vinhedos e vinícolas em alguns lugares estratégicos na Itália e principalmente na Toscana, fazendo desde vinhos brancos que podem ser considerados mais simples até os potentes Brunellos de Montalcino. Dito isto, tem distribuição no Brasil pela importadora Vinea.

Sobre o vinho em si, como dito anteriormente, é feito com uvas 100% Vernaccia di San Gimignano de vinhedos com altitude média de 300 metros acima do nível do mar e que passam apenas por envelhecimento e afinamento nos tanques de inox e na própria garrafa, por um mínimo de 6 meses antes de ser liberado ao mercado. Se maiores delongas, vamos as impressões.

Na taça uma bonita cor amarelo palha com reflexos verdeais, muito brilho e transparência. Lágrimas finas e rápidas também podiam ser notadas.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutas cítricas, florais e toques de pedra molhada. Um vinho extremamente fragrante. 

Na boca um vinho fresco com boa acidez, corpo médio e com um retrogosto que confirma o olfato trazendo muita fruta cítrica e toques salinos que lembram água do mar. Um final longo e saboroso.

Realmente o vinho confirmava minhas expectativas. E além disso trouxe memórias, agora descritas, pois foi com este vinho que brindei meu casamento em meio aos vinhedos da vinícola, em San Gimignano. O único arrependimento, por assim se dizer, é não poder e não ter trazido mais do vinho em minha mala. 

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário