sexta-feira, 20 de abril de 2012

Evoluído, terciário, vivo ou em declínio? Mas o que isso quer dizer?

Sempre que nos deparamos com descrições sobre características dos vinhos, podemos encontrar uma ou mais destas palavras sendo utilizadas, entre muitas outras, mas que as vezes podem causar certa estranheza para uma pessoa menos acostumada a estes termos "vinícolas". Mas o que eles querem dizer?

Quando um vinho é descrito como vivo (ou com os termos relacionados como vibrante, fresco, brilhante, suculento ou picante) normalmente associamos à acidez de um vinho. A acidez é um dos fatores que dá uma estrutura ao vinho e amplifica os seus sabores. É também uma forma de destacar sabores de frutas que são particularmente exuberantes. Este termo quase sempre descreve os vinhos que são jovens, antes da percepção de acidez e sabores de frutas subsequentes começarem a desaparecer.

Os outros termos que dão título ao post de hoje - evoluído, terciário e em declínio - são normalmente utilizados para um vinho com alguns anos de garrafa, e que normalmente suportam tal envelhecimento. E cada vinho tem o momento em que estas notas começam a se mostrar, mas normalmente podemos dizer que um vinho tenha perdido a sua vida por volta da marca de 10 anos, se não mais cedo. Isto é o que eu chamaria de um vinho evoluído.

Enquanto um vinho continua a envelhecer, a cor desbota ou torna-se marrom e se o mesmo é um vinho de guarda e tenha sido bem armazenado, seus aromas de frutas passam a ficar em um segundo plano enquanto outras notas tornam-se mais evidentes. As notas que se desenvolvem durante o envelhecimento são chamadas de notas "terciárias" e incluem aromas florais, de terra, especiarias e sabores minerais que se desenvolvem mais tarde na vida de um vinho.

Quando um vinho passa seu pico - os sabores de frutas perderam seu frescor e as notas terciárias são menos proeminentes, dizemos que um vinho está em declínio.

Espero que esta matéria possa ajudar um pouco a elucidar tais termos utilizados nas descrições dos vinhos que encontramos por ai e é claro, deixo este canal aberto para que os meus queridos leitores possam colocar sugestões, descrições e significados para estes e outros termos com os quais nos deparamos no dia a dia vinícola. Lembrando que este texto foi retirado, traduzido e adaptado do site da revista WineSpectator.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário