quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Risoto de Gorgonzola com Presunto Parma e Fleur Du Cap Bergkelder Selection Chardonnay 2011

Devaneios culinários de uma quarta-feira a noite


Em mais um incursão culinária com minha noiva resolvemos arriscar mais um risoto, prato pelo qual nutrimos verdadeira paixão. E desta vez escolhemos como ingredientes o presunto parma e o queijo gorgonzola. De acompanhamento um belo medalhão de filet mignon. E é claro que como a preparação do prato pede, escolhi um vinho branco sul africano bacana por dois motivos: um para realçar o sabor do prato e dois pra mostrar pra minha noiva que existem vinhos fora do eixo Argentina-Chile que são muito interessantes. Vamos aos resultados.

O risoto é bem simples de se fazer se forem utilizados os ingredientes corretos e na sequência ideal. Primeiro  frita-se o arroz (carnaroli) com cebola picada no azeite. Em paralelo prepara-se um litro de caldo de carne para o cozimento do arroz. Coloque uma xícara de vinho branco e vá acrescentando aos poucos o caldo e provando a "textura" e cozimento do arroz. Quando o mesmo estiver próximo de al dente, você pode incluir então o presunto parma picado e o gorgonzola esfarelado e continuar a misturar na panela para que o arroz pegue o gosto dos ingredientes e para que o mesmo termine de cozer. Finalize com um pouco de manteiga e queijo grana padano. Voilá! E não é por que fomos nós que fizemos, mas o prato ficou uma delícia: arroz al dente, sal na medida, cremosidade dos queijos fundidos de dar inveja e o sabor marcante do parma: era de se comer de joelhos! E para acompanhar um delicioso medalhão de filet mignon frito no azeite, bem suculento e ainda rosado em seu interior.


Agora falarei um pouco da vinícola e do vinho. O vinho escolhido foi o Fleur Du Cap Bergkelder Selection Chardonnay 2011, produzido pela vinícola homônima que é um braço do grupo Distell, grupo este considerado líder do país na produção de vinhos e bebidas "espirituosas". A famosa adega chamada "Bergkelder" se encontra encravada nas montanhas da região de Stellenbosch, notadamente uma das mais famosas regiões vinícolas da África do Sul. Como não encontrei muito sobre o vinho e sua produção, passarei direto então as impressões.


Na taça o vinho mostrou uma coloração amarelo palha bem clara, límpida e transparente com lágrimas finas, rápidas e bem esparsadas. Ligeiro reflexo esverdeado.

No nariz o vinho mostrou aromas de abacaxi, cítricos e toques de fósforo. Leve lembrança de mel ao fundo.

Na boca uma deliciosa e salivante acidez, corpo médio, bom equilíbrio de álcool com boa estrutura geral. Retrogosto trazendo cítricos, mel e leve toque mineral (lembrando um pouco de salinidade). Final de curta pra média duração com ligeiro amargor (sem comprometer).

Uma bela combinação para uma quarta a noite junto de meu amor. Tanto o vinho como os pratos foram muito bem e deixaram a noite ainda mais prazerosa. E que venham muitas outras.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário