quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Risoto de Shitake e Aurora Reserva Chardonnay 2011: Par perfeito!

Numa dessas noites em que estava em casa com minha noiva, resolvemos fazer mais uma incursão pela cozinha onde há tempos planejávamos fazer um risoto, que seria o prato da noite. Foi então que surgiu o embrião para o post de hoje.


O risoto consistia basicamente em refogar o shitake juntamente com tomate picadinho sem pele/caroço e cebola por um curto período de tempo e após, fazer o preparo normal do arroz (tipo Carnaroli) frito previamente com cebola e azeite, adicionando vinho branco, caldo de legumes, juntar o cogumelo refogado, finalizando com manteiga e queijo grana padano ralado. E olha que o prato ficou maravilhoso, com arroz al dente, cremosidade e aquele toque final do sabor do queijo pra se comer de joelhos! O cogumelo ficou também com uma ótima consistência, sem ficar mole demais ou apresentar aquele consistência borrachuda. Ponto pra nós, nosso primeiro risoto havia saído como o planejado.


O vinho escolhido para se juntar a receita e ser bebido depois, o Aurora Reserva Chardonnay 2011, foi uma grande surpresa. Explico: procurava um vinho com um bom custo benefício para integrar a receita ao mesmo tempo que pudesse escortar o prato e dar o prazer típico de se degustar um bom vinho. Apesar de já ter ouvido comentários muito positivos sobre este vinho, confesso que o tiro foi meio no escuro mas sinceramente, acho que foi um tiro mais que certeiro.

O que falar sobre a Vinícola Aurora? A maior e mais antiga Cooperativa e Vinícola do Brasil, conta hoje com mais de 1000 famílias associadas e produtoras de uvas, sejam estas para vinhos finos, doces, sucos e espumantes. Hoje tem sede bem no coração de uma das mais famosas cidades vitivinícolas do Brasil, Bento Gonçalves, e possui uma vasta gama de produtos, tendo alcançado uma posição de destaque no mercado vinícola brasileiro em virtude de seus recentes investimentos em modernização e reposicionamento de algumas marcas. Sobre o vinho em si, é feito com uvas chardonnay e tem rápida passagem por carvalho. Vamos as impressões.

Na taça uma bonita cor amarelo com reflexos dourados me chamou atenção, apesar da pouca idade do vinho. Exibia ainda muito brilho e boa transparência. 

No nariz o vinho mostra aromas de frutas maduras como pêssego e abacaxi. Com algum tempo em taça se notam também toques de baunilha e mel. 

Na boca o vinho tinha um bom corpo, mostrando certa untuosidade e preenchendo bem o palato, aliada a uma boa acidez e um retrogosto que confirma as frutas e a baunilha do olfato. Final de média duração. 

Um bom vinho para o dia a dia tendo em vista que os pouco mais de 20 dinheiros pagos por ele foram bem investidos. Sua untuosidade casou muito bem com a cremosidade do risoto e seu frescor deixava a água encharcada e pronta para a próxima garfada. Eu recomendo.

Até o próximo!

2 comentários:

  1. Respostas
    1. É bom sim Jane. Deixe que qdo estiver tudo certo e nos mudarmos chamaremos o pessoal pra experimentar, e vc está mais do que convidada!

      Bjo

      Excluir