segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Montgras Reserva Cabernet Sauvignon - Syrah 2011

Depois de uma semana cheia, cansativa e com muita coisa finalizada, cheguei em casa na sexta e só o que eu queria era estar com o meu amor e tomar um bom vinho pra relaxar sem saber que este seria um final de semana repleto de bons vinhos, boa companhia e boas notícias. A escolha desta vez recaiu sobre um vinho que é especial desde sua origem, pois foi um presente de minha sogra em sua recente viagem ao Chile, e portanto se tornou um queridinho meu assim que chegou. Estou falando do Montgras Reserva Cabernet Sauvignon- Syrah 2011.


Sobre a vinícola, retirado do site do produtor: "Localizada na bela e elegante Palmilla, Colchagua, San José de Peralillo representa a evolução e desejo de qualidade constante e possui como filosofia a produção de vinhos chilenos de excepcional qualidade e valor. Sempre teve tecnologia de ponta em todos os seus processos, desde sua concepção se propôs a ser uma adega com os melhores vinhos premium do Chile". Como não consegui mais acessar o site deles na internet, resolvi deixar por isso e falar mais sobre a vinícola quando conhece-la pessoalmente ou quando tiver acesso ao site deles novamente. 

Falando do vinho em si, o mesmo é um corte de 60% Cabernet Sauvignon, 40% Syrah com graduação alcoólica de 14%. Infelizmente não consegui descobrir o tempo que passa por madeira, mas a certeza é de que tem algum contato com a mesma. É um vinho bem avaliado pela crítica e que teve sua safra 2009 (salvo ledo engano) pontuada em 90 pontos RP. Vamos as impressões.

Na taça apresentou uma coloração rubi violácea bem profunda e escura, quase intransponível mas com certo brilho. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente coloridas completavam o aspecto visual. 

No nariz aromas de frutas escuras, especiarias e algo que conforme descreveu minha noiva: lembrava cheese cake de frutas escuras (por causa dos toques lácteas/baunilha provenientes do contato com a madeira). Com algum tempo em taça, notas herbáceas podiam ser notadas, mas nada agressivo.

Na boca o vinho tinha bom corpo, boa acidez e taninos finos, presentes e de boa qualidade. Retrogosto trazia mais deste "cheesecake", muita fruta escura e especiarias confirmando o olfato. Final de média duração.

Um ótimo vinho que por motivos óbvios não vi o preço pois o valor sentimental aqui esteve mais presente. Foi bem com as sobras do nosso risoto de parma e gorgonzola. Eu recomendo!

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário