sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Ora Pois Restaurante, Tinto da Talha 2010 & Monte Velho 2011: Um trio português com certeza!

Ainda como consequência de "ganhar" uma família nova (já explicado no post anterior) fui convidado juntamente com minha noiva pra uma noite dessas conhecer o restaurante português (acho que ainda sob o efeito Vitor, também explicado no post anterior) "Ora Pois"localizado na charmosa e aconchegante Serra da Cantareira.


O restaurante é uma filial de uma casa já aclamada que existe até hoje na Vila Madalena, bem junto ao burburinho característico da região. Fundada por dois Lisboetas sonhadores, a casa conta com pratos típicos a preços competitivos e uma carta de vinhos honesta e com algumas opções interessantes.

Antes de qualquer escolha de pratos, o pessoal já se adiantou e pediu porções de bolinhos de bacalhau, belamente dourados pelo processo de fritura, bem sequinhos e com bastante recheio de bacalhau.  O  próximo passo foi então a escolha do vinho, que primeiramente ficou a cargo do "primo" e xará de Portugal, que optou por um Alentejano interessante, o "Tinto da Talha 2010", aromas de frutos vermelhos e algo de especiarias, corpo médio, taninos finos e domados e acidez um pouco baixa, mas sem prejudicar o vinho. Só pela entrada já previa que a noite seria mais uma daquelas de esbórnia gastronômica.


Como previa o script e por eu ser muito previsível, quando passei os olhos sobre o cardápio, minha escolha seria um pouco óbvia: iria de bacalhau, afinal sou doido por este "peixe" misterioso. Brincadeiras a parte, um dos motivos também pelo qual escolhi um prato baseado em bacalhau era por que o mesmo servia duas pessoas e eu iria apreciá-lo em conjunto com minha noiva. A escolha seria então o modo de preparo do mesmo, e acabamos por optar pelo "bacalhau com natas", preparado de forma deliciosa com bacalhau desfiado em profusão num molho branco de natas e batatas palha gratinado no forno com queijo deixando aquela camadinha crocante por cima do prato. Era de comer lambando os dedos!

Como o vinho tinha acabado, recaiu sobre mim a escolha da próxima garrafa e eu vi na carta um velho conhecido, o "Monte Velho 2011" e optei pela segurança. E não é que o vinho agradou? Um pouco mais potente que o anterior e mais frutado, o vinho tinha um pouco mais de corpo e taninos e acidez mais equilibrados, caindo no gosto até das pessoas que não são grande apreciadores de vinhos. Para quem achava que era pouco, ainda optamos por um pastelzinho de Santa Clara de sobremesa para "rebater a umidade" e acalentar o coração. 

E a noite entre pessoas especiais, amor, família, foi se findando com o se aproximar da madrugada. E isso era só o começo das festividades de final de ano!

Até o próximo!

Ps.: Como vocês, meus caros leitores, devem ter percebido, a qualidade das fotos mudou. É que eu contratei uma nova fotógrafa, minha noiva Carolina, e ela tem feito um ótimo trabalho. Obrigado, amor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário