quinta-feira, 18 de setembro de 2014

KM 0 Río de La Plata Reserva Tannat 2012: Músculo e classe Uruguaio

O Uruguai é um país que passou e me fascinar desde que tive a oportunidade de passear e conhecer um pequeno pedaço de lá. E desde então sempre que posso provar um vinho vindo de lá me recordo de como eu ainda preciso voltar e visitar muitas outras partes do país que não pude na primeira vez além é claro das vinícolas de lá que vem mostrando ao mundo como tratar a dura e áspera uva Tannat. E é bem por ai que vamos hoje com o KM 0 Río de La Plata Reserva Tannat 2012.
 
 
A Bodega Irurtia, produtora do vinho em questão, nasceu com a chegada ao Uruguai do imigrante Vasco Don Lorenzo Irurtia nos primeiros anos do século passado. Sua paixão pelos bons vinhos e a dedicação ao trabalho no cultivo da videira dão seus frutos em 1913 com a primeira vindima. A quarta geração da família Irurtia ainda está estabelecida em Carmelo e hoje administra  os negócios da família. Cinco irmãos, filhos e filhas de Dante Irurtia e Estela González assumiram o legado da família e o desafio de ir junto com seus antepassados por uma ​​estrada infinita, através da melhoria da qualidade de seus vinhos com a mesma paixão e dedicação de seus antepassados e a responsabilidade de manter e aumentar o reconhecimento internacional dos vinhos Irurtia, da cidade de Carmelo e do orgulho uruguaio.
 
Sobre o KM 0 Río de La Plata Reserva Tannat 2012, basta acrescentar que é um vinho 100% Tannat colhidas em um terroir considerado único no Uruguai, bem na nascente do Rio da Prata (daí o nome KM 0 Rio de La Plata) na costa de Carmelo. Envelhecimento de 6 meses em garrafa. Vamos as impressões?
 
Na taça o vinho apresentou uma bonita cor violácea de grande intensidade, bom brilho e quase sem transparência. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente coloridas tingiam a taça também.
 
No nariz o vinho apresentou aromas de frutos escuros maduros e toques florais.
 
Na boca o vinho ser mostrou encorpado, musculoso e suculento. Boa acidez e taninos redondos e macios também se faziam presentes. Retrogosto confirma o olfato e o final é de média para longa duração.
 
Recebi mais esse belo exemplar do Winelands Clube do Vinho, o Clube que eu assino e recomendo. E o Uruguai vai me deixando com mais vontade de visita-lo.
 
Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário