segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Antica Corte Ripasso della Valpolicella Classico Superiore 2012: #CBE!

Com algum atraso, chegou um dos dias que mais espero no mês quando o assunto é vinho e o blog: é dia de postagem para a #CBE - Confraria Brasileira de Enoblogs. Desta vez o tema nos remete a uma Itália que ainda não tive o prazer de conhecer mas que ainda é sonho de consumo: "Velhão, pensei no tema "Valpolicella" Vale tudo, do clássico ao ripasso, amarone, recioto... Tá de bom tamanho?" Esta frase foi enviada pelo Alexandre Takei, do blog Notas Etílicas, e serviu como guia para encontrarmos os vinhos deste mês. Aqui ficamos com o Antica Corte Ripasso della Valpolicella Classico Superiore 2012.

 
A Antica Corte produz todos os grandes vinhos da província de Verona: Valpolicella, Ripasso e Amarone, Bardolino e Chiaretto, Soave; Lugana, Custoza e também Pinot Grigio. A província de Verona oferece um território variado, especialmente adequado para a viticultura: a zona de Valpolicella - um anfiteatro de colinas ao norte de Verona - área de Bardolino - localizado perto do Lago Garda, que é um fator determinante na criação de características positivas nas uvas e vinhos - e as colinas a leste de Verona na zona de Soave, não esquecendo Lugana e Custoza. O cuidado especial com as vinhas, com alta tecnologia na adega permitem a Antica Corte produzir vinhos de qualidade que são a expressão do terroir.
 
O Antica Corte Ripasso della Valpolicella Classico Superiore 2012 é produzido pela técnica de ripasso, que consiste em o vinho obtido como Valpolicella passar por um tempo de contato com a borra de vinificação que sobra da vinificação dos vinhos Amarone, obtendo assim mais estrutura, complexidade e aromas. Este vinho é feito com as castas  Corvina (65%), Rondinella (25%), Molinara, Rossignola e Negrara (10% juntas). Os vinhedos estão situados em 5 das principais comunas da área de Valpolicella Classico (Fumane, Marano di Valpolicella, Negrar, San Pietro Incariano e Santo Ambrósio di Valpolicella). Depois de todo o processo fermentativo (incluindo o "ripasso"), o vinho envelhece em barricas de carvalho esloveno. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma bonita cor rubi violácea de média para grande intensidade, bom brilho e pouca transparência. Lágrimas mais gordinhas que o usual e mais lentas também, com alguma cor.

No nariz o vinho mostrou aromas de frutos secos como ameixa e uvas passas, toques de especiarias e notas florais.

Na boca o vinho se mostrou encorpado, com boa acidez e taninos macios. Retrogosto confirma o olfato e o final é de longa duração.

Um grande vinho italiano, apesar de não estar muito acostumado e consumi-lo, mostra qualidade a cada gole. Eu recomendo a prova. E assim cumprimos a tarefa da #CBE, com um pequeno atraso.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário