terça-feira, 9 de setembro de 2014

Soli Brut 2012: Borbulhas diretamente da Bulgária para a nossa taça!

Como este mundo do vinho me surpreende a cada dia! Contando com meu pequeno conhecimento sobre ele, é difícil imaginar que em determinados lugares possam existir vinhos bacanas e prontos a serem descobertos. E este é o caso do Soli Brut 2012, vindo diretamente das terras de meus ancestrais, a Bulgária. Vamos conhecer um pouco mais sobre ele?
 
 
 
Este espumante é feito pela Vinícola Edoardo Miroglio, localizada no vale da Trácia, na aldeia de Elenovoa 22 km de Nova Zagora na Bulgária. A vinícola é cercada por vinhedos que se espalham sobre colinas, um lago e gramados verdes, que proporcionam excelentes condições para o desenvolvimento do enoturismo também. Em 2002 Edoardo Miroglio, um conhecido produtor têxtil e de vinhos italianos descobriu na região o solo perfeito e condições climáticas para a produção de vinhos de qualidade. O cultivo de uvas e produção de vinho têm sido tradicional na região desde os tempos ancestrais. Muitos autores antigos têm elogiado o vinho traciano,  e a receita foi passada de pai para filho por gerações. Até o presente momento, sobre o solo extremamente adequado de Elenovo, mais de 220 hectares de vinhas de uvas francesas e búlgaras foram plantadas. Algumas das variedades cultivadas pela Vinícola Edoardo Miroglio são: Cabernet Sauvignon, Merlot, Syrah, Cabernet Franc, Pinot Noir, Chardonnay, Muscat Ottonel, Gewurztraminer, Sauvignon Blanc, Mavrud, Rubin, Melnik 55 e Bouquet. A capacidade de produção anual de Edoardo Miroglio adega é de aproximadamente 1 milhão de litros de vinho. Até o momento, quase 22 milhões de milhões de euros foram investidos na Vinícola Edoardo Miroglio. Sobre o Soli Brut 2012, basta acrescentar que é feito com uvas 100% Pinot Noir vinificadas em branco pelo método tradicional. Vamos as impressões?
 
Na taça o vinho espumante apresentou uma bonita cor amarelo com tendência douradas, alguns reflexos ainda verdeais, bom brilho e ótima transparência. Borbulhas em abundância formando uma coroa na taça, de persistência média.
 
No nariz o vinho espumante mostrou aromas de frutos tropicais e toques florais.
 
Na boca o vinho espumante se mostrou fresco (boa acidez) e de corpo médio. Borbulhas faziam um bom colchão e o retrogosto confirma o olfato. Final de longa média para longa duração.

Uma grata surpresa vinda de terras ancestrais de onde sinceramente não esperaria ver vinhos espumantes. Recebi esse belo exemplar do Winelands Clube do Vinho, o Clube que eu assino.
 
Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário