terça-feira, 30 de setembro de 2014

Bosque Olivos: O Brazil do Azeite Extra Virgem que não conhecemos!

O Brasil é um país curioso, cheio de altos e baixos e que vive um momento de incertezas dado a proximidade com que as eleições presidenciais se aproximam. Independentemente do que vier por ai, tenho em mente de que não será muito fácil, mas isso não vem ao caso. O que eu queria mesmo dizer aqui é que recentemente descobri que fazemos azeite de oliva extra virgem de boa qualidade por aqui. Posso ser até taxado de ignorante por não saber disso anteriormente mas, enfim, estou sendo sincero. E eis que uma amostra deste belo Bosque Olivos Azeite de Oliva Extra Virgem surgiu em minha vida e eu quis compartilhar com vocês um pouco a respeito.


A empresa Bosque Olivos surgiu no Rio Grande do Sul, mais precisamente em 2006 com o intuito do estudo de viabilidade de fruticultura em uma propriedade de aproximadamente 11 hectares de terra que, após muito estudo, acabou apostando no plantio e cultivo de oliveiras. Já em 2007 o projeto piloto se iniciou e em 2008, a empresa como é conhecida hoje, foi finalmente batizada e fundada oficialmente. Atualmente a empresa conta com mais de 3000 árvores plantadas na propriedade sendo que aproximadamente 9 hectares de terra estão cobertos por esta cultura. Hoje passadas as dificuldades iniciais, o projeto tem crescido consideravelmente e as pesquisas tem dado bons frutos.

A principio, a primeira safra que gerou azeite de oliva foi a safra 2014 nas variações monovarietais arbequina, arbosana, picual e koroneiki. Ainda se utilizando desta safra, estão sendo experimentados diferentes blends para que agradem o consumidor final. Tive acesso ao varietal arbequina e vou compartilhar minhas experiências nas linhas que seguem.

O azeite era bem límpido e sem partículas em suspensão. No aroma era basicamente frutado e com toques ligeiramente amendoados, Na boca o azeite não era fluído de tudo mas também não era dos mais viscosos, diria que está no "meio termo", muito saboroso e com um leve picante no final. Não deixava qualquer amargor final. Bom frescor. 

Surpresa, o azeite agradou em cheio tanto a mim como a minha esposa, pois somos ambos apaixonados por esse alimento. Eu recomendo a prova e fico contente de descobrir mais uma faceta deste nosso Brasil varonil. Para maiores informações acessem:


Tenho certeza de que não irão se arrepender.

Até o próximo!

2 comentários:

  1. Fernando Gonçalves Simões Pires2 de outubro de 2014 19:44

    Comprei, provei e aprovei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando,

      Que bom que gostou.

      E obrigado por compartilhar sua opinião conosco!

      Abraços

      Excluir