quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Loma Larga Cabernet Franc 2008: Diretamente do Chile para a #CBE

É mais uma vez aquela época do mês em que os enoblogueiros espalhados por este Brasil (e mundo) afora se unirem em mais uma degustação virtual, a já conhecida por aqui #CBE - Confraria Brasileira de Enoblogs. Desta vez quem escolheu foi o Felipe Silva E Silva do blog BebadoVinho: "Um vinho 100% CABERNET FRANC, de qualquer país e faixa de preço". Como minha esposa estava em viagem pelo Chile e queria trazer uns vinhos que ela andou vendo por lá, enquanto ela me mandava as fotos eu a ajudava a escolher. E foi assim que o Loma Larga Cabernet Franc 2008 veio participar da festa.


Como já comentado anteriormente por aqui: "Don Manuel Escudero Joaquin Diaz Alvarez de Toledo, bisavô dos proprietários da Loma Larga Vineyards, trouxe pessoalmente em sucessivas viagens a Paris e Bordeaux, cepas as quais ele plantou com consultoria de enólogos também franceses, em sua propriedade agrícola "Chacra Victoria", localizada ao leste do que hoje é a rua Santa Rosa, da cidade de Santiago. Com o sonho de manter viva essa tradição vitivinícola, o que levou seus ancestrais a produzir vinhos de alta qualidade, que foram inclusive exportados para a Europa, a família começou a plantar as vinhas que existem atualmente na Loma Larga Vineyards ainda em 1999. Anteriormente porém, ainda em 1994 se iniciaram os estudos de clima e solos para entender o potencial do "Terroir" da Loma Larga".

Agora falando um pouco mais sobre o Loma Larga Cabernet Franc 2008, ele é um vinho com uvas colhidas na DO Vale da Casablanca que após a fermentação malolática passou por estágio de 14 meses em barricas francesas. Após este período não foi filtrado e foi engarrafado, estando liberado ao mercado. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma coloração rubi violácea de grande intensidade com algum brilho e pouca transparência. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente coloridas tingiam as paredes da taça. 

No nariz o vinho mostrou aromas de frutos escuros, toques de especiarias, flores e algo de coco.

Na boca o vinho se mostrou de corpo médio para encorpado, boa acidez e taninos macios e redondos. o retrogosto confirma o olfato e final era guloso e de longa duração.

Mais um bom vinho Chileno provado por aqui, este parte do desafio mensal da #CBE, desta vez cumprido dentro do prazo estabelecido. Eu recomendo.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário