segunda-feira, 8 de junho de 2015

Outback Steakhouse e seus vinhos de marca própria!

Eu, como fã confesso do Outback Steakhouse, sempre que posso, aproveito para passar por lá e comer uma boa costela de porco ao molho barbecue. E qual não foi minha surpresa neste último final de semana, quando resolvi fazer uma boquinha por lá: O Outback Steakhouse Brasil lançou uma linha de vinhos própria. Eu não poderia deixar de experimentar esta novidade! Foi então que provei o Outback Red Selection 2014. Vamos ver como foi a experiência?


Do próprio site do Outback: "Em um projeto inovador, o Outback Steakhouse Brasil lança dois vinhos em parceria com Bodegas Salentein, vinícola argentina conhecida por seus projetos de vanguarda na produção de vinhos de alta qualidade. Os rótulos Red Selection e White Selection foram desenvolvidos no Vale de Uco, em Mendoza, especialmente para harmonizar com os sabores marcantes do cardápio do Outback. Os vinhos Outback foram desenvolvidos com exclusividade para harmonizar com os pratos da culinária farta e sabor marcante da rede, e o responsável pelas duas seleções foi o enólogo Pepe Galante, responsável por famosos vinhos argentinos, em conjunto com seu braço direito na vinícola Gustavo Bauzá, criando um vinho feito a quatro mãos."

A Bodegas Salentein tem como objetivo fazer vinhos argentinos alta qualidade, respeitando e apoiando o povo, a natureza e a comunidade da qual os vinhos são criados. O magnífico projeto arquitetônico da Bodega em forma de cruz foi pensado com o objetivo de permitir a manipulação delicada e personalizada das uvas, reduzindo a distância que o vinho precisa percorrer entre as etapas de vinificação. Cada uma das asas é uma pequena vinícola com dois níveis; o nível do solo que abriga tanques de aço inoxidável e tonéis de madeira francês para fermentação e armazenamento, e um nível subterrâneo para o envelhecimento do vinho em barricas de carvalho. As quatro asas convergem em uma câmara central circular, que se assemelha a um anfiteatro e foi inspirado por antigos templos clássicos.

Já sobre o Outback Red Selection 2014, me resta acrescentar que é um vinho feito a partir de uvas Malbec, Cabernet Sauvignon e Petit Verdot. Não encontrei informações sobre envelhecimento em barricas mas continuarei pesquisando, se encontrar mais alguma informação acrescento por aqui. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma coloração violácea de média para grande intensidade, com bom brilho e boa limpidez. Lágrimas finas, abundantes, rápidas e coloridas tingiam também as paredes da taça.

No nariz o vinho mostrou aromas de frutos vermelhos e escuros, algo de especiarias, floral e chocolate.

Na boca o vinho tinha corpo médio, boa acidez e taninos bem fininhos e macios. Retrogosto confirma o olfato e o final era de média duração. 

Um vinho simples, gostoso, e bem fácil de beber. Combinou com a costela ao barbecue. Acho que é a cara da casa. Achei ainda a aposta interessante e ousada para o estilo de casa e o mercado pequeno que o vinho ainda tem no Brasil mas ganhou minha simpatia e ajuda na divulgação. Portanto, eu recomendo.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário