quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Arboleda Chardonnay 2013: Elegância e charme neste vinho chileno!

A Viña Arboleda, fundada em 1999, é o projeto pessoal de Eduardo Chadwick na região do Aconcagua, cujo nome é uma homenagem às árvores nativas preservadas em suas vinhas. Além de Chardonnay e Sauvignon Blanc, também há Pinot Noir, Carmenere, Syrah e Cabernet Sauvignon sendo produzidos. O local especialmente selecionado para os vinhos Arboleda é o Aconcagua Costa, sendo o vinhedo nomeado Chilhué, que significa" lugar de gaivotas" na língua nativa local. O objetivo deste projeto, a Viña Arboleda, é encontrar o melhor terroir próximo ao mar para fazer vinhos que se destacam do resto, com características bem definidas de clima frio. Pouco depois, se embrenhando e se distanciando da costa, encontra-se o vinhedo Las Vertientes, nomeado em "homenagem"as nascentes naturais encontrados na propriedade. Aqui os vinhos tintos tem mais destaque. Por fim, neste ano, a filha de Eduardo, Maria Eugênia Chadwick foi anunciada como embaixadora internacional da marca. Tendo crescido em um ambiente de vinhos e acompanhado seu pai em várias viagens que deram oportunidade de conhecer e interagir com personalidades da indústria, ela mantém a tradição da família e a paixão pelo vinho, passando a integrar formalmente a Viña Arboleda como Brand Manager desde março de 2015.


Sobre o Arboleda Chardonnay 2013 podemos ainda acrescentar que é um vinho feito com 100% de uvas Chardonnay colhidas à mão e foi integralmente fermentado em barricas de carvalho francês (30% novas). Existe ainda uma curiosidade, uma grande parte das uvas (44%) foi fermentada nas barricas, usando leveduras silvestres naturalmente presentes na pele das uvas. Passou por dez meses de envelhecimento “sur lie”. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma bonita cor amarelo palha com alguns reflexos ainda esverdeados, bom brilho e boa limpidez. Lágrimas finas, rápidas e incolores também escorriam pelas paredes da taça.

No nariz o vinho apresentou aromas de frutas tropicais como abacaxi e pêssego, toques de baunilha, manteiga, fósforo, mel e uma leve lembrança de tostado no fundo da taça.

Na boca o vinho se mostrou com bom corpo, estrutura e também uma boa acidez. O retrogosto confirma o olfato e o final era de longa duração.

Este vinho nos foi apresentado durante o último Winebar com os vinhos da Arboleda e com parceria da importadora Expand (relembrem aqui), mas eu ainda não tinha tido a oportunidade de provar este, que era o que faltava por aqui. Belo vinho chileno sem dúvidas, elegante e muito bem feito. Recomendo a prova.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário