terça-feira, 4 de agosto de 2015

Califortune Red Wine 2012: Beba sem moderação!

Eu simplesmente adoro o jeitão americano de fazer vinhos, embora tenha a convicção que agora muitas pessoas começarão a torcer o nariz para tal declaração. Que fique claro, existem bons vinhos e vinhos ruins em qualquer lugar do mundo, e nos Estados Unidos não é diferente. O que eu quero dizer é que os vinhos com os quais eu tenho tido experiências recentes me agradam muito, criando um tipo de vinho que eu tenho mais prazer ao beber. Normalmente são corpulentos, carregados de frutas e em alguns casos de madeira, alcoólicos, enfim, um nicho que tenho gostado, apesar de gostar também de vinhos mais elegantes e complexos. E não é que o vinho de hoje é diferente, apesar de sua origem? Vamos então conhecer mais sobre o Califortune Red Wine 2012.


O vinho de hoje é produzido por uma espécie de cooperativa, a West Coast Wine Group, uma empresa dedicada à missão de trazer a verdadeira essência e carácter dos vinhos da Califórnia para o mundo. Produzem em geral vinhos acessíveis, encorpados, bem equilibrada e a preços comumente mais acessíveis do que as outras marcas de vinhos californianos. Seus vinhos são um convite caso você esteja interessado em um vinho para beber todos os dias. Todas as marcas de vinho por eles produzidos buscam mostrar o potencial da fruta, fáceis de beber e amigos do bom prato - perfeitos para celebrações cotidianas. Os pilares da gama de vinhos são as castas Cabernet Sauvignon e Merlot.

Já sobre o Califortune Red Wine 2012 em si, podemos ainda acrescentar que é um blend de uvas francesas, famosas por integrarem os vinhos de Bordeaux: Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Petit Verdot, Merlot, Syrah e Malbec. Além disso, estagiou em barricas de carvalho por 12 meses. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma coloração rubi violácea de grande intensidade, bom brilho e boa limpidez. Lágrimas finas, espassadas, lentas e coloridas também podiam ser notadas.

No nariz o vinho abriu com aromas de frutos escuros, especiarias doces, chocolate e algo de tostado no fundo de taça.

Na boca o vinho se mostrou de corpo médio, boa acidez com taninos macios e sedosos. O retrogosto confirma o olfato e o final era de média para longa duração.

Um gostoso e despretensioso vinho americano que foge um pouco do esteriótipo "bombado" que costumamos ver por ai que aliado ao seu preço em conta, pode aproximar mais nós enófilos brasileiros dos vinhos americanos. Recebi mais esse belo exemplar do Winelands Clube do Vinho, o clube que eu assino e recomendo.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário