segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Columbia Crest Syrah 2011: A vez da Syrah na #CBE

E não é que hoje, com dois dias de atraso, chegamos àquele dia que sempre esperamos com entusiasmo todos os meses, que é quando os membros da #CBE - Confraria Brasileira de Enoblogs - numa gostosa brincadeira, postam todos sobre um mesmo tema relacionado ao vinho. Neste mês, o tema foi dado pela Fabiana Gonçalves do blog Escrivinhos, sem dó nem piedade: "um vinho feito com a uva Syrah/Shiraz, de qualquer nacionalidade e faixa de preço". E cá estamos nós do Balaio do Victor com o nosso Syrah americano, o Columbia Crest Syrah 2011. Vamos ver o que pudemos descobrir sobre ele?


Situada ao longo do rio Columbia, no leste de Washington (Estados unidos), a Columbia Crest Winery abriu as suas portas no coração do aclamado Horse Heaven Hills, em 1983. Ano após ano, a vinícola mantém seu compromisso com a qualidade, tradição e inovação no cultivo da uva e produção excepcional de vinhos artesanais. O estado de Washington e o Columbia Valley representam o terroir perfeito para o cultivo de uvas , desde o clima ao solo onde estão plantados os vinhedos. Estas condições de cultivo, juntamente com práticas de viticultura em circulação e de vinificação, permitem a Columbia Crest Winery criar vinhos de alta qualidade que são fiéis ao seu caráter varietal.

Sobre o Columbia Crest Syrah 2011, podemos ainda acrescentar que o vinho possui cerca de 1% de uvas Primitivo em sua composição (os outros 99% são Syrah) e que estagiou durante 14 meses em 60% de  barricas de carvalho francês e 40% de barricas de carvalho americano. Vamos as impressões?

Na taça o vinho apresentou uma bonita coloração violácea de grande intensidade com bom brilho e boa limpidez. Lágrimas finas, rápidas e ligeiramente colorida também se faziam notar.

No nariz o vinho mostrou aromas de frutos vermelhos frescos, especiarias, defumado,algo de folhas secas e toques de coco.

Na boca o vinho se mostrou de médio corpo, boa acidez e taninos macios. O retrogosto confirma o olfato e o final era de longa duração.

O vinho se mostrou mais fresco e elegante do que eu esperava pra um Syrah, o que foi uma agradável constatação pois o vinho não se torna pesado nem chato para se beber. Acompanhou bem um fondue de carne ao vinho. Eu recomendo a prova. E mais uma tarefa para a #CBE - Confraria Brasileira de Enoblogs concluída.

Até o próximo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário